TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Não saqueei o Banco do Vaticano e nem convenci Bento XVI a desistir do pontificado

Mensagem  sueli em Qua 13 Fev 2013 - 7:39

Não saqueei o Banco do Vaticano e nem convenci Bento XVI a desistir do pontificado


Millôr Fernandes, o saudoso e genial, certa vez escreveu que “democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim”. Tão brilhante quanto Millôr, o jornalista Carlos Brickmann, durante um dos muitos ataques sórdidos que sofri, saiu em minha defesa e escreveu-me que “ninguém chuta cachorro”. E se me chutam é porque incomodo, disse o jornalista.

Acontece que no Brasil há pessoas ignaras que desfilam na passarela da vida ora com a fantasia de gênio, ora com a fantasia de tirano. Às vezes a imbecilidade faz com que o desavisado vista uma fantasia sobre a outra. E nessas condições não há quem segure um ser que é tomado pela idiotia e aposta que o próprio nome consta da árvore genealógica de Aladim. Nesse palco da sandice é que uma pessoa, que acredita ser virtuosa e estar acima de todos, faz com que o seu conceito oblíquo de democracia se transforme em uma nesga da ditadura obtusa.

Para não alimentar o ego de algumas mentes doentias e sequer patrocinar fama a quem não merece, omito o nome desses apedeutas oportunistas, que usam a própria ignorância como arma de intimidação, não sem antes acreditar que são donos da verdade suprema. Decidi escrever esse artigo em respeito aos leitores e seguidores, que não podem ter a honra achincalhada apenas porque exercem o direito de escolher aquilo que desejam ler. Quanto a mim, já estou acostumado com esses ataques repentinos e constantes dos contrariados.

Sobre a decisão de Joseph Ratzinger, o papa Bento XVI, de deixar o comando do Vaticano, assinei matéria que relata fatos comprovados por autoridades, alguns deles por mim testemunhados in loco. Bento XVI sofre de doenças típicas de uma pessoa com 85 anos, mas não foi a anunciada artrose que o levou à decisão de interromper o próprio pontificado. Ratzinger não conseguiu conviver com o crime organizado que grassa nas coxias do Vaticano. Quem não aceita tal realidade ignora a verdade, o óbvio, o que foi provado e comprovado por investigações de todos os naipes.

Ter escrito sobre o tema causou uma revolução na banda católica que frequenta a rede mundial de computadores, os ortodoxos se rebelaram, sem contar os que pegaram carona no tema sem saber uma vírgula sequer sobre o assunto. É aquela velha história dos oportunistas que nada são, mas aproveitam um momento para ganhar os quinze minutos de fama a que se referiu, um dia, o artista plástico Andy Warhol. E até os desprovidos de inteligência e conhecimento têm direito a esses escassos minutos de fama, algo que será regurgitado aos bolhões nas conversas dos botecos de esquina, para que a claque canalha aplauda um herói de mentira, um sabereta de araque.

Gostem ou não os incomodados, não há como fugir da verdade dos fatos, da história. A patifaria circula pelos corredores do Vaticano desde o fim da era de João XXIII, o que não significa que antes a sacanagem por lá deixou de reinar em algum momento. Entre ser católico e acreditar no que fazem e dizem os inquilinos do Vaticano existe uma abissal distância. E é exatamente essa distância que torna muitas pessoas cegas diante da realidade.

O Estado paralelo e criminoso que existe na Praça São Pedro ganhou força quando Licio Gelli, que foi próximo de Benito Mussolini, se juntou ao então arcebispo Paul Marcinkus e a Roberto Calvi, que presidia o Banco Ambrosiano e ficou conhecido como o “banqueiro de Deus”, no rastro de um dos maiores escândalos político-financeiros da história da Itália. Com a morte de Giovanni Montini, o papa Paulo VI, chegou ao cargo máximo da Igreja Católica o ex-patriarca de Veneza, Albino Luciani, o papa João Paulo I. Homem correto, probo e humilde, Luciani durou pouquíssimo tempo no cargo.

Nos trinta e três dias de seu pontificado, João Paulo I tentou acabar com o crime organizado que dominava o Vaticano desde muito. A Santa Sé anunciou que Albino Luciani morreu em decorrência de um infarto, mas na verdade ele foi envenenado. Um assessor próximo, integrante da quadrilha que agia desde os tempos de Paulo VI, colocou cianureto no chá de Luciani. Enquanto aguardava-se a escolha de um novo pontífice, Gelli, Marcinkus e Calvi agiam livremente e contavam com a mente criminosa de Michele Sindona, o “Tubarão”, destacado integrante da loja maçônica Propaganda Due ou P2, um dos vértices do escândalo, banqueiro e membro da Cosa Notra, a máfia siciliana.

Escolhido como novo papa, o polonês Karol Wojtyla, ou João Paulo II, também tentou fazer uma faxina nas entranhas do Vaticano, pois fora avisado sobre o funcionamento do esquema criminoso que imperava na Santa Sé. Wojtyla havia mal começado a adotar medidas moralizadoras quando sofreu um atentado em plena Praça São Pedro, episódio que teve como atirador, não por acaso, o turco Mehmet Ali Agca.
O criminoso, que foi preso imediatamente pelos seguranças do Vaticano e depois foi perdoado por Wojtyla ainda no cárcere, era membro do grupo Lobos Cinzentos e estava a serviço da máfia turca, que por sua vez contava com o apoio operacional e estratégico do soviético Leonid Brejnev. A máfia turca era a outra ponta do esquema que usava o Banco Ambrosiano como central de branqueamento de capitais.
Os Lobos Cinzentos participaram da Operação Gladio (a qual detalho mais adiante), mas tinham em seus quadros agentes soviéticos que se infiltraram a mando de Brejnev, que queria detalhes sobre a atuação do grupo clandestino de informações secretas.

Na ocasião em que o escândalo veio à tona, descobriu-se que o rombo no Banco do Vaticano, acionista do Ambrosiano, era de quase US$ 2 bilhões. Nos bastidores, a ação criminosa – que levou o Ambrosiano à quebra e provocou um rombo no Banco do Vaticano – foi comandada por Roberto Calvi, Paul Marcinkus, Licio Gelli e Michele Sindona.

Por conta desse enredo criminoso, que levou um internauta debochado e abusado a afirmar que a minha matéria mais parecia um roteiro de Dan Brown, autor do best-seller “O Código da Vinci”, desço aos detalhes do esquema que levou Bento XVI a optar pela renúncia. Não criei qualquer história e muito menos estória, mas relatei fatos que acompanhei de perto, além de muitos outros que acompanhei e estudei ao longo de mais de vinte anos. Quando integrantes da Igreja Católica entram em contato para, sob a promessa do sigilo, reconhecer que estou certo, fica claro que não sou roteirista de filme de suspense e nem recebo para ovacionar descompensados mentais.
Quem era quem na trama

Paul Marcinkus

Nascido nos Estados Unidos, Paul Marcinkus, o Gorila (que já havia presidido o Banco Ambrosiano), chegou ao posto de terceiro homem mais importante do Vaticano e, durante dezoito anos (1971 a 1989), presidiu o Banco do Vaticano, que era sócio-controlador do Ambrosiano. Por seu porte físico avantajado e jeito truculento, Marcinkus passou a atuar como guarda-costas do papa Paulo VI e foi acusado de participar da trama que levou João Paulo I à morte.
O escândalo do Ambrosiano foi tamanho, que o Vaticano funcionou como refúgio para um marginal que falava em nome de Cristo não fosse preso e condenado. Para proteger Marcinkus, a Santa Sé colocou sua rede criminosa para atuar nos bastidores da Justiça italiana, a quem coube investigar o caso. Para justificar a não punição a Marcinkus e aos outros administradores do Banco Ambrosiano, a Justiça italiana invocou o Tratado de Latrão, que transformou o Vaticano em Estado e prevê, em um dos seus artigos, que “os entes centrais da Igreja Católica estão isentos de qualquer ingerência por parte do Estado italiano”. Marcinkus viveu no Vaticano à sombra do Tratado de Latrão até voltar para os Estados Unidos, onde morreu em 2006.

Licio Gelli

Licio Gelli, chefão da loja maçônica P2, onde é mestre venerável, e criminoso conhecido que agia nos escaninhos do poder, foi informante da Gestapo durante a 2ª Guerra Mundial. Gelli participou da Operação Gladio, uma organização clandestina que funcionava como central de informações secretas, cujo objetivo era evitar a invasão da Itália pela União Soviética. Em muitos momentos, a Gladio, que teve sua existência reconhecida oficialmente pelo ex-primeiro-ministro italiano Giulio Andreotti, usava de estratégias baixas para desestabilizar o sistema político do país. O que explica o apoio logístico dado à máfia turca por Leonid Brejnev, que tinha na Itália dúzias de espiões infiltrados.
Licio Gelli foi acusado de participação nas mortes do ex-primeiro-ministro italiano Aldo Moro, do jornalista Carmine “Mino” Pecorelli, de Roberto Calvi e de João Paulo I. Prestes a completar 94 anos, Gelli cumpre prisão domiciliar na propriedade que tem na Toscana.
O jornalista Pecorelli, que era um desafeto de Licio Gelli, foi assassinado porque em um livro deu detalhes do planejamento do assassinato de Aldo Moro, ex-primeiro-ministro da Itália. Moro, que era ligado à Igreja Católica, foi sequestrado e morto pelas “Brigate Rosse” (Brigadas Vermelhas), organização terrorista italiana com que Gelli mantinha estreitas relações por causa da Operação Gladio, que foi o pano de fundo para as atrocidades cometidas por Cesare Battisti, o criminoso que contou com a ajuda de Lula para continuar impune no Brasil.

O grupo “Brigadas Vermelhas”, que participou da Gladio, foi responsável pela explosão de um trem em Bologna, em 1980, que ao deixar a estação da cidade foi alvo de bomba dentro de um túnel, matando dezenas de pessoas e deixando duzentos passageiros feridos.
Em 2002, a Justiça italiana condenou Giulio Andreotti e o mafioso Gaetano Badalamenti a 24 anos de prisão pela morte do jornalista Mino Pecorelli. Um dos chefões da Cosa Nostra, a máfia siciliana, Badalamenti foi também condenado à prisão nos Estados Unidos por ser um dos líderes da organização mafiosa que ficou conhecida como “Pizza Connection”, uma rede pizzarias que funcionava como lavanderia do dinheiro dos mafiosos que atuavam em território norte-americano.

Roberto Calvi

Nascido em Milão, Roberto Calvi presidiu o Banco Ambrosiano e ficou conhecido, à época do escândalo, como “Banqueiro de Deus”. Envolvido diretamente na trama que levou o Ambrosiano à falência e provocou um rombo bilionário no Banco do Vaticano, com direito a desvios de dinheiro para uso pessoal de muitos dos integrantes do esquema e pagamentos indevidos à loja maçônica P2, Calvi fugiu da Itália e acabou sendo assassinado em Londres.
Em junho de 1982, o corpo de Calvi foi encontrado em um terreno debaixo de uma ponte da capital inglesa, pendurado em uma corda, dando a entender que o ex-presidente do Banco Ambrosiano cometera suicídio. Na ocasião, afirmei que Calvi fora assassinado, mas apenas em 2002 essa tese foi confirmada por uma equipe de médicos-legistas, após a exumação dos restos mortais do integrante da quadrilha que operava sob as bênçãos do Vaticano.
Durante o período em que presidiu o Banco Ambrosiano, Roberto Calvi tinha como principal assessor e braço direito um ex-agente do serviço secreto italiano, Francesco Pazienza. Acusado de envolvimento no atentado terrorista de Bologna, na morte de Calvi e no escândalo que levou à quebra do Ambrosiano, Francesco Pazienza fugiu da Itália e prestou serviços a agências de inteligência de vários países latino-americanos e serviu a Manoel Noriega, traficante de drogas panamenho de quem era amigo.
Pazienza foi preso nos Estados Unidos e extraditado para a Itália, onde cumpriu pena e foi colocado em liberdade condicional em 2009. Por ser um arquivo ambulante, pois muitas informações sobre a quebra do Ambrosiano ainda são ignoradas, Pazienza não deve durar muito tempo.

Michele Sindona

Michele Sindona, banqueiro inescrupuloso que era conhecido como “Tubarão” e que dirigia uma instituição financeira na Suíça e levou à bancarrota a Banca Privata Italiana, atuou durante décadas como o braço financeiro da Cosa Nostra, a máfia siciliana. Sindona também foi acusado de pagar propina de US$ 5,5 milhões a Marcinkus e Calvi.
Em 1986, Michele Sindona foi condenado à prisão perpétua pela morte do advogado Giorgio Ambrosoli, ocorrida em 1979. Ambrosoli foi indicado pela Justiça italiana como síndico da massa falida da Banca Privata Italiana, quando descobriu a atuação criminosa de Sindona na instituição financeira. Antes disso, Michele Sindona foi nomeado pelo papa Paulo VI como assessor financeiro do Vaticano e membro do conselho de administração do Banco do Vaticano.
Diante dos fatos, o Vaticano, sem ter como explicar a nomeação do criminoso, informou por meio de nota que fora enganado por Sindoma. Cumprindo pena em prisão de segurança máxima na Lombardia, Michele Sindona prometeu revelar detalhes dos escândalos, mas morreu em sua cela, em março de 1986, enquanto tomava café. Durante a perícia, a polícia descobriu que a bebida continha cianureto, a mesma tática usada para assassinar João Paulo I.

O caso Emanuela Orlandi

Filha de um funcionário do Vaticano, Emanuela Orlandi não foi protagonista do escândalo, mas vítima da organização criminosa que era liderada por Paul Marcinkus. Emanuela desapareceu em 1983, quando tinha 15 anos, e jamais foi encontrada.
O que era para ser um caso corriqueiro de desaparecimento transformou-se, em pouco tempo, no capítulo mais sinistro do escândalo que teve na proa o Banco Ambrosiano e envolveu o Vaticano, o Banco do Vaticano e uma organização criminosa conhecida como “Banda della Magliana”, que atuava na capital italiana.

A “Banda della Magliana” era comandada por Enrico de Pedis, um delinquente que, junto com seus parceiros de crimes, atuava no tráfico de drogas, turfe e lavagem de dinheiro. Ao lado da Gladio, a “Banda della Magliana” participou de ataques terroristas realizados, durante a Guerra Fria, com o objetivo de desestabilizar a política italiana durante o período que foi chamado de “Anos de Chumbo”.
A “Banda” foi acusada de participar dos assassinatos do jornalista Carmine Pecorelli, do ex-primeiro-ministro Aldo Moro e do então presidente do Banco Ambrosiano, Roberto Calvi, além de envolvimento no atentado na estação de ferroviária de Bolonha. A “Banda della Magliana” era uma espécie de apêndice criminoso das Brigada Vermelhas.
O desaparecimento de Manuela Orlandi foi relacionado com a tentativa fracassada de assassinar Karol Wojtyla, o papa João Paulo II, na Praça São Pedro. Em junho de 2008, Sabrina Minardi, ex-namorada de De Pedis, afirmou em depoimento que Emanuela foi sequestrada e morta pela “Banda della Magliana”, tendo seu corpo arremessado em triturador de cimento. O crime, segundo Sabrina, foi ordenado pelo arcebispo Paul Marcinkus.
Enrico de Pedis se aproximou de Marcinkus por intermédio de Roberto Calvi, então presidente do Ambrosiano, que acolhia e lavava o dinheiro sujo da “Banda dela Magliana”. De acordo com o depoimento de Sabrina Minardi, a ordem de Marcinkus tinha o objetivo de calar o pai de Emanuela Orlandi, um funcionário do Vaticano, que sabia demais sobre os bastidores imundos da Santa Sé.
De Pedis morreu em fevereiro de 1990, assassinado por seus antigos comparsas. A sua proximidade com a cúpula criminosa do Vaticano garantiu-lhe o sepultamento ao lado de papas e cardeais na Basílica de São Apolinário.

Após denúncia, o Ministério Público de Roma decidiu abrir o túmulo para investigação e confirmou que De Pedis de fato tinha sido sepultado em uma basílica pertencente ao Vaticano. Os procuradores prosseguem na investigação para apurar os motivos que levaram a tão estranho sepultamento.
Há informações desconexas no caso, mas a ex-namorada de Enrico de Pedis não tinha razão para mentir, em depoimento, depois de quase vinte anos da morte do líder da “Banda della Magliana”.
As denúncias de Viganò

Joseph Ratzinger não é um homem inocente e desprovido de inteligência. Se assim fosse, jamais teria chegado a Sumo Pontífice da Igreja Católica. Contra Ratzinger pesa o fato de ter integrado a Hitlerjugend (Juventude Hitlerista), divisão da SS criada por ordem de Adolf Hitler e composta por jovens alemães. Em outras palavras, ao então jovem Joseph Ratzinger não restou opção, que não a de cumprir a determinação de um facínora que acreditava na supremacia da raça ariana e na possibilidade de dominar o mundo. E esse detalhe tem sido usado por alguns que querem dar conotação distinta à decisão de Bento XVI encerrar seu período à frente do Vaticano.

Sabendo do que acontecia no Vaticano antes de sua escolha como papa, Joseph Ratzinger foi alertado pelo arcebispo Carlo Maria Viganò sobre o esquema criminoso que ainda domina a sede do Catolicismo.
Na carta que enviou ao papa, cujo conteúdo acabou vazando para a imprensa, Viganò, que foi secretário-geral do governorado do Vaticano, afirmou que lá “trabalham as mesmas empresas, ao dobro (do custo) de outras de fora, devido ao fato de não existir transparência alguma na gestão dos contratos de construção e de engenharia”. Para que o caso não se transformasse em mais um escândalo na seara da Igreja Católica, o Vaticano informou que as afirmações de Carlo Maria Viganò resultavam de “avaliações incorretas”.
Viganó seguiu em suas denúncias e na carta endereçada a Ratzinger destacou: “Jamais teria pensado em me encontrar diante de uma situação tão desastrosa”, que apesar de ser “inimaginável, era conhecida por toda a Cúria”. Além disso, o denunciante afirmou que banqueiros que integram o chamado Comitê de Finanças e Gestão se preocupam muito mais com os próprios interesses do que com os do Vaticano, lembrando que em dezembro de 2009 “queimaram US$ 2,5 milhões” em uma operação financeira. Ou seja, o desvio de dinheiro para despesas pessoais dos que integravam o concílio criminoso e que levou o Banco Ambrosiano à quebra continua em pauta na Praça São Pedro.

O escândalo Vatileaks

Mordomo do papa Bento XVI desde 2006, Paolo Gabriele foi preso sob a acusação de ter roubado documentos secretos da cúpula do Vaticano, encontrados pela polícia em seu apartamento.
O escândalo Vatileaks, uma alusão ao Wikileaks, veio à baila em janeiro de 2012, quando o jornalista italiano Gianluigi Nuzzi publicou o conteúdo da carta do arcebispo Carlo Maria Viganó ao papa.No documento, Viganó pedia ao Sumo Pontífice para não ser transferido apenas por conta de suas denúncias. Contudo, a decisão de Ratzinger de mandar um dos ex-administradores do Vaticano para os Estados Unidos pode ter salvado a vida de Carlo Maria Viganó.

Ainda no primeiro semestre de 2012, o escândalo ganhou reforço com o vazamento de documentos que tratam de uma ferrenha luta pelo poder no Vaticano e relatam os esforços de Bento XVI para mostrar maior transparência financeira e cumprir à risca as normas internacionais de combate à lavagem de dinheiro. Nesse período, uma carta anônima, que ganhou o noticiário, fazia um alerta sobre ameça de morte contra o papa.
O imbróglio ganhou novos e explosivos contornos com o lançamento, em maio de 2012, do livro “Sua Santidade, as Cartas Secretas de Bento XVI”, do jornalista Gianluigi Nuzzi, que em sua obra tratou das correspondências confidenciais trocadas entre Bento XVI e seu secretário pessoal. Polêmico, porém verdadeiro, o livro mostra a face oculta do Vaticano, onde intrigas, armações e disputas intermináveis pelo poder acontecem diuturnamente. O livro de Nuzzi também revela detalhes sobre as finanças pessoais de Ratzinger, casos de pagamento de suborno para conseguir agendar uma audiência com o papa, além de relatórios secretos sobre políticos italianos, como o presidente Giorgio Napolitano e Silvio Berlusconi.
Gianluigi Nuzzi garante não ter desembolsado um euro sequer pela papelada, o que confirma que importantes e secretos documentos do Vaticano foram vazados propositalmente na tentativa de intimidar os criminosos que agem na Santa Sé. Escolhido para ser o operador desse vazamento de documentos, o mordomo Paolo Gabriele foi preso, mas por saber demais acabou solto e no final de 2012 recebeu um indulto do papa, o que mostra que a operação foi previamente combinada, mas não surtiu o efeito desejado e levou Ratzinger a anunciar o fim do seu pontificado.

Minhas considerações finais

Ser informado no Brasil é crime para aqueles que nada sabem e se julgam a personificação da sabedoria. Revelar a verdade dos fatos, narrar a história em sua sequência real e fiel, também é crime na visão de um bando de revoltados que não se conformam com a própria ignorância e usam rapapés e declarações chicaneiras para atacar quem não conhecem.

Faço jornalismo da maneira como deve ser feito, sem sensacionalismo barato. Se o Criador, aquele que não frequenta a Santa Sé, resolveu me colocar no lugar certo e na hora certa em determinados momentos, não tenho culpa. Não sou um inerte diante da história e muito menos um conformado que não reage às mentiras que a grande imprensa divulga sem parar.

A história mostra que o Vaticano se cerca, não é de hoje, de bandidos profissionais e sou acusado de inventar fatos e chutar outros. Nada tenho contra a ignorância consentida de alguns, mas que esses se contentem com a própria insignificância, pois do contrário a melhor receita está no divã do analista mais próximo.

Há mais de trinta anos me dedico a acompanhar e estudar os escândalos que emolduram o Vaticano e não será um grupelho facinoroso, que age como se fosse uma filial de Treblinka, que roubará minha consciência e muito menos a competência, reconhecida por muitos e que a cada dia busco melhorá-la, pois não me contento com o pouco saber e nem saio batendo no peito para gazetear que sou gênio, como fazem alguns dos meus críticos.

Discordar é um dos pilares da democracia, cujo segredo é a convivência pacífica das opiniões divergentes. Atacar gratuitamente por discordância ou oportunismo burro e barato é sinal inconteste de incompetência e ignorância. Esses merecem merecem conviver com os falsos santos que circulam nos subterrâneos do Vaticano, porque afinal são iguais.

Joseph Ratzinger tomou a decisão mais acertada, pois entre viver em paz e ser conivente com criminosos
que posam de oráculos do Senhor sem ter gabarito para tal, a primeira opção é a mais lógica. Por outro lado, continuo acreditando que aquele que incomoda uma minoria burra é porque está no caminho certo.

http://ucho.info/nao-saqueei-o-banco-do-vaticano-e-nem-convenci-bento-xvi-a-desistir-do-pontificado

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Renúncia evidencia clima de 'guerra civil' no Vaticano

Mensagem  sueli em Qua 13 Fev 2013 - 7:43

Chocante! Jamais pensei que a Igreja Católica se tornasse um covil.

Notícias de hoje:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1229942-renuncia-evidencia-clima-de-guerra-civil-no-vaticano.shtml

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Philippe Barbarin Próximo papa?

Mensagem  sueli em Qua 13 Fev 2013 - 7:46

Mais especulações sobre quem será o novo Papa.


IMPORTANTE NOTA DE ATUALIZAÇÃO: O PRÓXIMO PAPA

Surpreendendo o mundo todo, no dia 11 de fevereiro de 2013 o papa Bento XVI anunciou sua renúncia ao papado, a efetivar-se no dia 28 do referido mês. A pergunta óbvia, neste momento é:

Quem será o próximo papa?



Philippe Barbarin
Próximo papa?

Ficaremos sabendo nas últimas semanas de março. Enquanto isso, vamos especular.

O cardeal francês, arcebispo de Lyon, Philippe Xavier Christien Ignace Barbarin, nascido em 17 de outubro de 1950, é um dos papas mais "jovens", do conclave. Em se tratando de papas, 62 anos é uma excelente idade. Apenas mais 4 papas participantes do conclave são de "boa idade" como ele, sendo dois alemães e um polonês, uma condição que aparece em algumas quadras referentes ao próximo papa.

Seu sobrenome BARBARIN aparece citado na quadra VIII.49, uma quadra astrológica de extremo simbolismo, e que seguramente se refere a uma guerra num tempo em que haverá desastres naturais. Barbarin (com B maiúsculo) aparece apenas nesta quadra, e seguramente também se refere aos muçulmanos, normalmente chamados de "barbares" (bárbaros), por razões óbvias, as quais vemos todos os dias nos noticiários, por ainda agirem como se estivessem na Idade Média, capazes de matar em defesa de assuntos religiosos banais e às vezes absurdos.
Este guerra envolve Israel, a Turquia, e outros países muçulmanos, e a RÚSSIA, conforme nos diz a Bíblia e está amplamente divulgado em vídeos no Youtube e em documentários.

OCORRE QUE Philippe Barbarin nasceu em Rabat, Marrocos, um país muçulmano...

O grande segredo deste lema está na palavra psecutione. cujo ponto indica que está abreviada, conferindo-lhe, portanto, em latim, um duplo sentido, perfeitamente visível em várias línguas, como o inglês, o francês, o espanhol, e no nosso português, perseguição, e prossecução, esta última também com o sentido de interrupção e de prosseguimento (latim ou português, consulte um bom dicionário).

O que significa isso?

Que este lema comporta não um papa, mas DOIS.
Um que assumirá o papado no próximo mês de março, e outro que assumirá ainda em ROMA, mas já em tempo de guerra e de grandes calamidades, e cujo papado em sua maior parte decorrerá em Jerusalém. Este, sim, será um papa inglês, como dizem numerosas profecias, não o que será eleito no próximo mês de março.

Na verdade, então, nosso próximo papa, a assumir em março de 2013, não é o último, mas, sim, o papa que se ENLAÇA com ele no lema. Ainda assim, num dos lados do papado, em Roma, porque em Jerusalém o papado seguiria em paralelo, usurpado por aquele que chamamos de Anticristo. E cinco outros passariam ainda pelo trono de Pedro, na terra de Pedro, e o lema se referia, pois, não somente a este papa que veremos em breve, mas a quem o segue e toma o leme do barco de Pedro, que naufraga.

No presente momento existe apenas um cardeal inglês, Cormac Murphy O'Connore, e ele não é papável, nem jovem o suficiente.

É possível que o próximo papa assuma o nome de Pio XII. Várias profecias mencionam este nome.
Bom, está aperta a temporada de especulação.

CENTÚRIA I QUADRA 4

Par l'univers sera faict un Monarque,
Qu'en paix et vie ne sera longuement:
Lors se perdra la piscature barque,
Sera regie en plus grande detriment.

Pelo universo será feito um Monarca,
Que em paz e vida não estará longamente:
Então se perderá a barca do pescador,
Será regida no maior detrimento.

http://www.nostradamus.net.br/destino.html

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Qui 14 Fev 2013 - 8:46

Nesta Quarta-Feira de Cinzas, Bento XVI meio que "joga no ventilador" os podres da Igreja:

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2013/02/14/papa-cita-hipocrisia-religiosa-e-desfiguracao-da-igreja.htm


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  estel em Qui 14 Fev 2013 - 17:11

As verdades estão começando a aparecer, as máscaras cairão e mesmo assim muitas pessoas não acreditarão, acostumadas que estão a serem manipuladas.

Nestes últimos tempos tenho tido vontade de ficar mais sincronizada com a natureza, meditando e fazendo meus exercícios de visualização.

Digo que as energias estão todas fora de controle, sinto isso, minhas semanas tem sido de insônia, se durmo dois dias já está de bom tamanho.

A coisa está só começando, muito ainda tem que vir a tona.

"Orar e vigiar" nunca teve tanto sentido para mim, como nestes tempos.


Abraços,
Estel.

estel

Mensagens : 280
Data de inscrição : 08/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Sex 15 Fev 2013 - 2:19

O que se espera de "Pedro Romano":

http://radarladob.blogspot.com.br/2013/02/sinais-do-apocalipse.html

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  fadinha em Sex 15 Fev 2013 - 11:29

Amigos.

Queda e explosão de meteoros na Rússia assusta moradores e fere cerca de 500 pessoas por estilhaço de vidros.
No Uol.

Não está claro se este meteoro está vinculado ao asteroide 2012 DA 14, que deve passar a 27.000 km da Terra ainda nesta sexta-feira, em um trajeto próximo ao planeta. Mas, segundo Winter, "o asteroide é um fenômeno diferente".

fadinha

fadinha

Mensagens : 793
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Dois papas

Mensagem  Clever em Sex 15 Fev 2013 - 20:26

Estava cá a pensar com meus botões. Nostradamus prevê que existirão dois papas. Mas não será por ocasião do papado de Pedro, o Romano, que será o último. Será no penúltimo papado.
Isso estaria explicado porque Bento XVI, apesar de ter se afastado, não deixa de ser Papa. E com o novo eleito, haveria dois papas.
Mas Nostradamus também diz que o titular seria traído pelo seu principal secretário, antes de haver os dois. Aí está uma previsão que teremos que aguardar para entender.
De qualquer forma, torço para que o próprio papa não se chame Pedro.

Clever

Mensagens : 40
Data de inscrição : 24/11/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Sex 15 Fev 2013 - 20:55

Clever,

Fale mais sobre essa linha de raciocínio. Afinal, o Papa Bento XVI foi traído por um de seus principais assessores, o tal do mordomo que evadiu documentos sigilosos. Dizem inclusive que o desgaste do episódio foi uma das razões que encorajaram o Bento em sua decisão.

Você lembra quais os versos em que Nostradamus faz estas referências?

Martelo

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Sab 16 Fev 2013 - 1:04

http://radarladob.blogspot.com.br/2013/02/em-busca-de-petrus-romanus.html

Nas últimas postagens temos tentado analisar a situação na qual o Papa Bento XVI deixa o pontificado e também como podemos identificar a identidade de seu misterioso sucessor, o qual São Malaquias alcunhou de Petrus Romanus (Pedro, o Romano).

O que este nome significaria? Não acredito que algum dos cardeais tenha a pretensão de escolher o título "Pedro II" para seu pontificado. Soaria demasiadamente arrogante alguém querer se comparar (mesmo que de maneira minimalista) a São Pedro. Outrossim, é possível que os Cardeais queiram evitar especulações a respeito da Profecia de São Malaquias e, assim sendo, tentariam ao máximo desvincular o sucessor de Bento XVI ao nome Pedro Romano.

Embora, claro, à boca miúda, comenta-se que no Vaticano a Profecia de São Malaquias é levada muito a sério...

Outra possibilidade é que o novo Papa já tenha o nome "Pedro". Nestas possibilidades, temos o brasileiríssimo Odilo Pedro Scherer, o atual camerlengo Tarcisio Pietro Evasio Bertone, e o já citado Peter Turkson.

Mesmo assim, ainda podemos ir além. Será que o nome Pedro seria uma menção a um martírio, tal como São Pedro o foi há dois mil anos atrás?

E o Romano presente no título? Alguém nascido em Roma, ou mesmo alguém que venha a se identificar de maneira demasiada com a cidade durante o Pontificado?

Uma informação interessante sobre um dos Pedros Papáveis, o camerlengo Tarcisio Pietro Evasio Bertone, é o nome de sua cidade de nascimento: Romano Canavese, perto de Turim. Entretanto, ele não parece ser um dos favoritos na corrida sucessória.

Em alguns dias teremos o conclave e, quem sabe, poderemos ter maior luz sobre estas questões.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Apocalipse capítulo 17: A Profecia sobre o Último papa - A Vinda de João XXIV???

Mensagem  sueli em Sab 16 Fev 2013 - 5:51

13/02/2013
Apocalipse capítulo 17: A Profecia sobre o Último papa - A Vinda de João XXIV???


Será o oitavo rei descrito no Apocalipse a volta de JP II dos mortos? Ou ainda o atual secretário de Estado do Vaticano e camerlengo Tarcisio Pietro Bertone nascido em Romano? Vejamos porque, afinal, nenhum deles será o próximo papa.

Apesar de alguns amigos católicos não gostarem muito quando eu cito esse capítulo do Apocalipse como uma clara referência à Igreja Romana e ao seu atual centro representativo, o Vaticano, é inegável que esse capítulo fala integralmente sobre o Vaticano e sobre o período final do papado, deixando essa profecia totalmente alinhada com a profecia de Malaquias e também as referências sobre o fim de Roma fornecidas por Dom Bosco e Nostradamus, que foram analisadas nos links ao final deste post.

No blog eu expus em dois textos que ao longo do Apocalipse, a Besta (do grego therion, animal feroz) é representada em 4 formas diferentes, inclusive nos 4 cavalos montados pelos cavaleiros do Apocalipse. Essas explicações também estão nos links que deixo ao final deste post.

Uma dessas representações da Besta foi Roma e seus 3 impérios que participaram ativamente em guerras e diversas perseguições terríveis segundo os relatos históricos: o império do ocidente, do oriente e o papado romano.

Considerando esse raciocínio, a Besta citada no capítulo 17 é Roma, a mulher vestida de púrpura (a cor das vestes dos cardeais) citada em Ap 17:4 é a Igreja Católica, mas em virtude dos crimes que cometeu ao longo da história (Cruzadas, Inquisição) é referida como prostituta no Ap 17:5, inclusive pela aliança com diversos reis e impérios em busca de status e dinheiro, a mulher que se embriagou com o sangue dos santos, uma clara referência a perseguição que ocorreu desde o início da Igreja Romana em 325 criada por Constantino, sobre os cristãos primitivos, ao longo de mil anos, que culminou no massacre dos cátaros em 1340, referência citada em Ap 17:6.

Pra não deixar dúvidas, a profecia cita que “a Besta traz a mulher” (Ap 17:7) ou seja, Roma traz a Igreja Católica, uma verdade, pois foi no império romano em 325 que o Cristianismo Romano foi criado pelo imperador Constantino. E a profecia cita que são 7 cabeças e que elas são sete montes (Ap 17:7 e 9) onde a mulher está assentada, deixando claro que é Roma, a cidade das sete colinas onde a Igreja está assentada atualmente no Vaticano.

No versículo 10 está o ponto alto da profecia: é dito que são 7 reis, cinco caíram, um existe, o outro ainda não é vindo e quando vier convém não ficar muito tempo.

Ou seja, quando João teve essa visão descrita na Revelação, 5 reis (casados com a Mulher, portanto papas) já haviam morrido. O Vaticano, o reino, erguido nas 7 colinas, foi erguido em 1929 pelo tratado de Latrão, é um Estado-monárquico, portanto tem um rei como dito na profecia.

Nessa época Pio XI, papa desde 1922 era o papa, portanto os 5 reis já mortos nessa visão foram: Pio XI, Pio XII, João XXIII, Paulo VI e João Paulo I.

É dito na profecia que um rei existe, ou seja, JPII era o papa que João de Patmos via na visão do Apocalipse e disse que após este papa, o próximo não ficaria muito tempo, no caso, Bento XVI que ficou 7 anos e alguns meses.

É feita então a profecia sobre o oitavo e último rei (papa):

“E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo (rei), e é dos 7, e vai à perdição” (Apocalipse 17:11)

A besta que era a principal representação da antifraternidade no mundo diz respeito Roma, mas ela não é mais a representação maior dessa antifraternidade, ela foi, não é mais, por isso é dito que “a besta que era e já não é”. Lendo os textos ao final desse post sobre as 4 bestas do Apocalipse o tema ficará plenamente compreendido.

É dito na profecia que ela, Roma (a besta que era e não é) é também o oitavo rei, ou seja, o oitavo papa e aquele que irá para a perdição, ou seja, para o fim da própria Roma e da Igreja, e sendo assim, esse oitavo papa como descrito nas profecias de Malaquias e Dom Bosco presenciará o fim de Roma.

É dito na profecia de Malaquias que o último papa será Pedro Romano, isso explica a referência na profecia do Apocalipse ao falar que Roma (a besta) é também o oitavo rei, pois é uma indicação de que a profecia de Malaquias é verdadeira, o último papa, o oitavo rei é Pedro Romano, Pedro de Roma, por isso João fala que Roma é oitavo rei, pois ele fazia uma referência velada a profecia dos papas. Mas ele vai mais além, ele disse que esse rei (papa) é um dos sete anteriores.....ele diz isso claramente, sem rodeios.

Surgiram então duas teorias, ambas na minha opinião equivocadas, sobre quem seria esse papa dos 7 que estaria retornando pra ser o oitavo e último papa.

A primeira delas fala que João Paulo II vai ressuscitar dos mortos e será novamente papa da Igreja. Talvez até fizesse sucesso novamente, já que os zumbis estão na moda com filmes e séries conquistando a garotada, mas convenhamos que isso é biologicamente impossível.



A segunda teoria, um pouco mais elaborada, fala que o atual secretário de estado do Vaticano e atual Camerlengo, Tarcísio Pietro Bertone, nascido em Romano Canavese há 79 anos, seria esse oitavo rei, pois ele será papa temporariamente após a renúncia de Bento XVI e antes do fim do conclave pra eleger o novo papa, ou seja, seria um dos papas. A teoria é bem elaborada, mas tem furos: primeiro que ele não foi nenhum dos 7 papas eleitos e citados por João na profecia, pois o profeta cita categoricamente o número de 7 reis, ou seja, papas efetivamente eleitos pelos cardeais e além disso temos uma outra questão: a centúria 5, quadra 56 de Nostradamus fala que o último papa será alguém novo e que viverá muito tempo tomando atitudes polêmicas, algo que não combina com um cardeal que já conta com praticamente 79 anos.

Mas então o que significa a profecia do Apocalipse capítulo 17 ao dizer que o oitavo rei (papa) será um dos 7 reis anteriores? A resposta é simples: ele utilizará um dos nomes utilizados pelos seus 7 antecessores: Pio, João, Paulo, João Paulo ou Bento. Se considerarmos as características renovadoras da personalidade de Peter Turkson, eu diria que desses nomes o mais provável é que ele adote o de João XXIV, visto que o papa João XXIII foi responsável pelo Concílio que renovou diversas práticas na Igreja.

Os links citados nesse texto podem ser vistos abaixo:


O Terceiro Segredo de Fátima e a Profecia de Malaquias: AQUI

Nostradamus - A Terceira Guerra e o Fim de Roma: AQUI

O Papa Negro: AQUI

Nostradamus - O Penúltimo e o Último Papa: AQUI

As 4 Bestas do Apocalipse (Parte I): AQUI

As 4 Bestas do Apocalipse (Parte II): AQUI

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2013/02/apocalipse-capitulo-17-profecia-sobre-o.html

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Nostradamus : O Penúltimo e Último Papa em 4 Quadras

Mensagem  sueli em Sab 16 Fev 2013 - 5:58

Neste texto de 2010 o autor citava Peter Kodwo Appiah Turkson como sucessor do papa Bento XVI.
Por enquanto só especulações, no mes de março saberemos quem será o novo Papa.




02/12/2010
Nostradamus : O Penúltimo e Último Papa em 4 Quadras


Centúria III Quadra 5

Pres loing default de deux grands luminaires,

Qui surviendra entre Avril & Mars

O quel cherté! mais deus grands debonnaires,

Par terre & mer secourrount toutes parts


“Próximo à “loing” a falta de dois grandes luminares

Que sobrevirá entre Abril e Março

O que penúria! Mas dois grandes "de bons ares"

Por terra e mar socorrerão todas as partes.”


Essa quadra tem ligação com centúria 2, quadra 28 que também fala de loin ou loing

O termo loing não deve ser traduzido como “longa falta” pois logo em seguida é dito que “sobreviverá” ou seja, não faz sentido uma longa falta sobreviver, pois não possui vida.

E Nostradamus deixa claro que esses luminares possuem “bons ares” ou seja, bons espíritos, já que o termo hebraico “ruach” e grego “pneuma” que designa espírito na Bíblia , também quer dizer ar, fôlego da vida. E também a referência a “luminares” outra clara referencia a luz do espírito (vide Tiago cap 1 quando se refere a Deus como o “Pai das luzes”)

Como já veremos em c2 q 28, “loing” é uma referencia a Bento XVI. Os dois papas próximos a ele foram João Paulo I e II, são eles os dois grandes luminares, os dois únicos papas com nome composto que já subiram ao pontificado, unindo os nomes de João e Paulo.

Bento XVI subiu ao papado em abril, foi eleito dia 19 e subiu ao trono dia 24. Nostradamus deixa claro ser uma referência a BentoXVI pois diz que ele “sobreviverá” ou seja, terá uma sobrevida, uma clara referência a sua idade avançada, pois ao ser eleito papa contava com 78 anos.

Além dessa ajuda espiritual dos ex papas, Nostradamus deixa também de forma velada que teremos “dois grandes” ajudando o mundo (socorrendo terra e mar em todas as partes) na época futura de penúria. A dualidade João e Paulo num só mostra também a futura aliança entre catolicismo ocidental e oriental. Os dois grandes representando João e Paulo num só (liderança maior do pai, do papa) são dois grandes países, onde em cada um existe a maioria católica, ocidental e oriental. No ocidente esse pais é o Brasil, no oriente esse pais é a Rússia, onde esta o maior numero de católicos orientais do planeta, dois grandes em território, dois grandes centros do catolicismo, unidos no propósito de ajudar o planeta na época futura de penúria.

Dessa forma fica assim a quadra:

“Próximo à “loing” (Bento XVI) a falta de dois grandes luminares (JP I e II)

Que sobrevirá (78 anos) entre Abril e Março (eleito papa)

O que penúria! Mas dois grandes (países) "de bons ares" (união espiritual dos católicos)

Por terra e mar socorrerão todas as partes” (ajudarão o mundo todo).


Mais sobre os papas: AQUI


Centúria III Quadra 19

En Luques sang & laict viendra plouvoir:

Un peu devant changement de preteur,

Grand peste & guerre,faim & soif fera voyr

Loing,ou mourra leur prince recteur.


“Em Luques sangue e leite virão com força

Um pouco antes mudança do pretor

Grande mal e guerra, a fome e a sede serão vistas

Loing, onde morrerá o seu príncipe retificador”


Mais uma quadra que traz referências a Bento XVI (Loing ou Loin), na verdade ao sucessor dele, que será o ultimo papa, pois se Bento XVI é o atual rei do Vaticano, seu sucessor pode ser considerado o príncipe dele. “Lucques” é o nome francês dado a uma província italiana na região da Toscana chamada Lucca (uma das 10 províncias na região). Essa província fica numa área litorânea como podemos observar na foto:


A palavra “plouvoir” pode se referir a duas palavras semelhantes: “pleuvoir” que significa chuva ou então “pouvoir” que significa poder, energia, força e creio que o segundo significado seja o mais provável. Sangue e leite vêm das entranhas, uma representação de algo que vem das entranhas de um vulcão, que emite fumaça branca e gera chuva acida (leite) alem da lava vulcânica vermelha (sangue). Temos nessa região da Toscana o vulcão Lacial que faz parte da província magmática romana que se extende da Toscana meridional até o Golfo de Nápoles , numa região de 1500 km quadrados onde também esta o famoso vulcão Vesúvio) .

Segundo o que estamos estudando nos textos do Apocalipse e de outros profetas, como Monge Pádua, Dom Bosco e Malaquias, assim que ocorrer uma grande erupção na Itália teremos uma invasão e guerra, que são as referencias da terceira linha: “ grande mal e guerra, a fome e a sede serão vistas” isso tudo no tempo do sucessor de Bento XVI (Loing) que é definido como “príncipe” já que vem substituir o penúltimo papa, que é o rei.

A figura do “pretor” pode ser uma referencia a um governador eleito, um presidente, um primeiro ministro , muito provavelmente de algum cargo político na Itália, Roma ou Toscana.

Nostradamus em mais duas de suas quadras previu os dois últimos papas, o penúltimo e o último e é essa compreensão que teremos agora, estudando todas essas 4 quadras.


Centúria II Quadra 28

“O penúltimo com sobrenome de profeta

Terá Diana no crepúsculo e repouso de sua vida

Loin irá vagar por pensamentos frenéticos

Ao livrar uma grande população de impostos”


Essa profecia se refere realmente ao penúltimo papa que segundo Malaquias e Monge Pádua seria o atual Bento 16.

Diana tem haver com o Vaticano exercer o oficio da República.

"Ártemis", algumas vezes designada pelo nome romano Diana, é a deusa grega da caça e Apolo é seu belo irmão gêmeo. No Monte Olimpo, seu trono está no lado oposto ao de Apolo. Isso daria a idéia clara de um estado constituído, o Vaticano, em Roma. Nas escrituras a Igreja é retratada como "mulher" (Apocalipse) e a Igreja realmente executou uma verdadeira caça aos cristaos primitivos por quase mil anos. Diana certamente é a representaçao de Nostradamus para o Vaticano.

Essa República teria alguma ligação com a Rússia, visto que o emblema de Ártemis é uma Ursa (mulher = cristianismo verdadeiro + urso = símbolo que Nostradamus dava pra Rússia)? Sim, tem uma ligação sim, pois Ártemis como veremos a seguir representa a República Russa*(* artigo 1 alínea 1 da constituição russa afirma que a Rússia é uma Republica) geograficamente ela representa a Igreja cristã ortodoxa do oriente, enquanto que Diana representa a República do Vaticano e a Igreja cristã do ocidente.

É interessante observar que no livro do Apocalipse a mulher representa o cristianismo verdadeiro e o termo “ortodoxa” significa exatamente “fé verdadeira”(correta). No entanto não devemos fazer confusão, pois “Ártemis” (nome original na mitologia grega) está ligado à quadra que fala sobre Aretusa, já que nessa quadra Nostradamus deixou bem claro que estava falando de Diana e não de Ártemis.

Nostradamus provavelmente usou essa diferenciação para explicar a divisão no futuro, que existiria entre as Igrejas cristãs do Ocidente e do Oriente, designando Diana como a parte ocidental de Roma que sobreviveu no poder com a Igreja cristã ocidental do Vaticano; e designando Ártemis como a parte oriental de Roma que sobreviveu no poder através da Igreja cristã ortodoxa oriental, cujo maior expoente seria a Rússia.

Lion é o próprio Bento XVI (Lion forma em números romanos o mesmo que X vezes V mais I ; ou seja 51 = 10x5+1, além de conter 3 letras do sobrenome do papa , que é Lois)

O nome completo do papa é Joseph Lois Ratzinger. Lois, nome de origem alemã, significa "famoso guerreiro". Joseph (José) é o nome de um profeta descrito na Bíblia em Gênesis 47:13-22 (um profeta aproveitador).

Lion é o leão, líder, em francês, portanto o termo “loin” é possivelmente um anagrama, sendo que os números ROMANOS da palavra Lion equivalem ao numero do atual papa romano, pois LI = X multiplicado por V+I. Ou seja, Lion tem dois números romanos que somam 51 (L+I) mas que equivalem ao número do atual papa, 16, se fizermos a conta 10x5+1= 51, assim como 10+5+1=16. Nostradamus deixa claro, Loin ou Loing é Bento 16.

Entendido isso temos decifrada a quadra:

Centúria II Quadra 28

”O penúltimo (papa) com sobrenome de profeta

Terá a República ( Diana) no crepúsculo e repouso de sua vida (já tem 83 anos)

Lion (Bento XVI, leão, líder guerreiro, anagrama de Loin) irá vagar por pensamentos frenéticos, preocupação

Ao livrar uma grande população de impostos”

Vamos analisar agora o último papa, primeiro com as previsões de São Malaquias, bispo irlandês do século XII, que previu os 112 papas que a Igreja teria até o seu fim.



O Último Papa:

“Na última perseguição da sagrada Igreja romana, reinará Pedro Romano que apascentará suas ovelhas entre muitas tribulações; passadas as quais, a cidade das 7 colinas será destruída; e o juiz tremendo julgará o povo”. (São Malaquias)

O comentário do Monge de Pádua, cujas profecias sobre os últimos 20 papas foram publicadas em 1527, diz o seguinte:

"Ele chegará a Roma , de uma terra distante, para encontrar tribulação e morte".

Vale ressaltar que Monge Pádua acertou em cheio nas curtas definições que fez sobre os papas:

João Paulo I, que ficou um mês no pontificado: “Seu reinado será tão rápido como a passagem de uma estrela cadente”

João Paulo II, veio da distante Polônia, sofreu um atentado e quase morreu: “ Virá de longe e manchará a pedra com seu sangue”

Bento XVI, que vem buscando uma aproximação com a Igreja do Oriente e os judeus: “ Semeador de paz e esperança em um mundo que vive suas últimas esperanças”

O último papa será, segundo Nostradamus, um papa relativamente novo, que ficará vários anos como o líder do Vaticano:


Centúria V Quadra 56

“Depois da morte do velho papa

Será eleito um romano de boa idade:

Este será acusado de enfraquecer a Santa Sé e viverá por um longo período,

Tomando atitudes polemicas”.


A referência aqui é clara a Pedro Romano e a expressão “boa idade” demonstra que será um papa novo, substituindo Bento XVI que já se encontra em avançada idade e também virá de uma "terra distante" como colocou o Monge Pádua, sendo assim dificilmente será italiano.

E QUEM SERIA O ÚLTIMO PAPA???



As profecias falam que o ultimo papa será Pedro Romano.

Peter Kodwo Appiah Turkson completou nesse ano 62 anos, é relativamente jovem e vem de longe (África).

Estudou de 69 a 71 no seminário Sao Pedro de Pedu. De 81 a 87 foi professor do Seminário Maior São Pedro. Fez estudos de pos graduaçao e doutorado exatamente em Roma durante o periodo de 10 anos.

Foi nomeado no fim de 2009 por Bento XVI para a presidencia do Pontificio Conselho Justiça e Paz

Com sua nomeação a relator geral do Sínodo para a África em 2009, foi considerado por muitos um prelado em forte ascensão. Alguns referem-se a ele até mesmo como um sério candidato ao papado, e possivelmente o primeiro Papa negro da história. Ele ri desta alusão, repetindo o que já havia dito em uma coletiva de imprensa durante o Sínodo: que quando um sacerdote aceita sua vocação, deve também aceitar a possibilidade de vir a se tornar um dia um bispo ou cardeal. “Por que um sacerdote africano não poderia ser Papa?”, se pergunta.

O cardeal também defende o uso de preservativos, caso um dos conjugues seja portador do vírus HIV e lembra: “Tivemos um secretário-geral da ONU que era de Gana (Kofi Annan), agora o presidente dos Estados Unidos (Barack Obama) é negro".

Vale ressaltar que em recente livro (novembro de 2010), o papa Bento XVI admitiu que o uso de preservativos é aceitável em certos casos, sobretudo para reduzir o risco de infecção do HIV, fortalecendo o posicionamento do cardeal Peter, prelado mais influente no continente africano.

O prepósito geral de uma das mais respeitadas e admiradas Ordens da Igreja Católica, a Companhia de Jesus liderada pelo sacerdote espanhol Adolfo Nicolás disse recentemente que o futuro da Igreja não está nem na Europa e nem na América, mas sim na Ásia e na África, sinalizando que o próximo papa deve ser de um desses dois continentes.

Apocalipse cap 17: O próximo Papa será João XXIV??: AQUI

O Terceiro Segredo de Fátima: AQUI

Nostradamus - A Terceira Guerra e o fim de Roma: AQUI

O Papa Negro: AQUI

http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2010/12/nostradamus-o-penultimo-e-ultimo-papa.html

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Apophis, sua ação no Exílio Planetário e as profecias bíblicas sobre sua vinda

Mensagem  sueli em Sab 16 Fev 2013 - 6:23

04/11/2010
Apophis, sua ação no Exílio Planetário e as profecias bíblicas sobre sua vinda


O Apophis passará muito próximo da Terra em 2029 como já foi informado aqui no blog em textos anteriores. Em 2029 , mais precisamente no dia 13 de abril, ele passará a uma distancia de 0,01 A.U. (Unidade Astronômica) o que equivale mais ou menos a 36 mil kilometros de distancia. , o que possibilitará que seja visto a olho nu em algumas regiões do globo e praticamente em todos os locais do mundo com o uso de binóculos. A questão é que essa passagem em 2029 poderá alterar a órbita do Apophis, fazendo com que ele não apenas venha a passar ainda mais perto em 2036 como também em um dia diferente do previsto (13 de abril de 2036). Acredito que essa diferença será descoberta exatamente em 2029, quando os cientistas chegarão a mesma data que diversos profetas, a Bíblia e a Cabala chegaram: 24 de abril de 2036.

Apesar de pequena, existe uma possibilidade que em 2029 o asteróide entre numa região próxima a Terra denominada de keyhole (buraco de fechadura), região com menos de 700 metros, mas caso esse azar ocorra, as chances de choque entre o asteróide e a Terra sobem para a casa de 100%.

Inclusive o impacto desse possível choque foi analisado pelo astrofísico Neil Tyson da Universidade de Columbia, que afirma que caso isso ocorresse, o asteróide fatalmente cairia no oceano e geraria duas tsunamis com mais de 1 kilometro de altura no ponto de origem do choque.

Ou seja, ainda não existe a confirmação de que será realmente em 13 de abril de 2036 que o asteróide irá passar próximo à Terra, a data exata só será descoberta em 2029. No entanto existe ainda uma terceira passagem prevista para o Apophis, apesar de não ser tão próximo como as passagens de 2029 e 2036, ela ocorrerá em 9 de janeiro de 2013, a uma distancia quase 10 vezes maior (0.9666 A.U.) do que a prevista para 2029, mas que permitirá um refinamento nos cálculos sobre a passagem em 2029. Mas o que isso tem de interessante? Como já abordamos aqui no blog, em 21 de dezembro de 2012 será aberto um portal em Alcyone e duas correntes de energia chegarão a Terra. O texto explicando isso esta AQUI

E adivinhem quem trará na contrapartida astral essas duas correntes? Sim, bingo pra quem respondeu Apophis. Após o portal ser aberto dia 21 de dezembro de 2012, quase 20 dias depois o Apophis estará trazendo essas 2 correntes pra próximo da Terra em 9 de janeiro de 2013. Com isso o Apophis realizará a primeira grande leva de espíritos que já estão aguardando o exílio no lado negro da Lua, como já foi informado pelos médiuns André Luiz Ruiz e Robson Pinheiro, sendo assim teríamos 3 grandes levas: 2013, 2029 e a maior de todas em 2036 com os fenômenos específicos descritos nesse texto do blog, inclusive com a materialização do gigantesco astro que envolve o Apophis na sua contrapartida astral : AQUI


Agora que já sabemos como e quando irão ocorrer esses eventos é interessante saber como o Apophis foi visto pelos grandes profetas bíblicos. Antes de mais nada, vamos conhecer melhor a história do Apophis:




Apophis é o nome grego do Deus egípcio Apep, inimigo de Rá (que para os egípcios era o Deus Sol, que foi usado por Akhenaton para representar um único Deus, Aton).

Apep/Apophis é a personificaçao do mal na mitologia egípcia, representado por uma serpente gigantesca e primitiva, com mais de 30 metros de comprimento, servido por uma horda de demônios. Segundo os estudiosos egípcios, os seguidores de Apep não lutam por um mundo dominado pelo mal, eles lutam pelo fim do mundo (alguém aí deve ter lembrado dos Dragões descritos pelo Robson Pinheiro, espíritos que ao contrario dos magos negros não querem dominar a Terra, mas sim destruí-la). Não é a toa que Apep/Apophis significa DESTRUIDOR.

Apep/Apophis é ainda descrito como uma criatura maligna, que vive no submundo, que vive na escuridão eterna do Duat (meio da Terra segundo a tradição egípcia), algo como o ABISMO. Pra quem já leu a trilogia do Robson Pinheiro (Legião, Senhores da Escuridão e a Marca da Besta) fica claro que esse deus do panteão egípcio é uma clara representação dos Dragões descritos na trilogia do Robson.

Mas não apenas os egípcios, como também os profetas bíblicos descreveram a ação do asteróide Apophis no ápice dos eventos:

“Foi então precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra, e com ele os seus anjos.” (Apocalipse 12:9)

A primitiva serpente é o Apophis, o demônio e opositor (Satan) é o nome desse deus egípcio que da nome ao asteróide Apophis.

“Têm eles por rei o anjo do abismo; chama-se em hebraico Abadon, e em grego, Apolion.” (Apocalipse 9:11)

Abadon e Apolion significam DEVASTADOR que é sinônimo de destruidor, ou seja, é mais um nome pra Apep, Apophis, o mensageiro do abismo.

“sobre a asa das abominações virá o devastador, até que a ruína decretada caia sobre o devastado.” (Daniel 9:27)

Virá do céu ( asa das abominações) o devastador, que nada mais é do que o mesmo personagem descrito no Apocalipse: Apophis.




“Depois apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão vermelho, com sete cabeças e dez chifres, e nas cabeças sete coroas” (Apocalipse 12:3)

O sinal será a visão do asteróide vermelho nos céus, o Apophis, que João descreveu como um Dragão Vermelho e os índios Hopi descreveram como o “Red Kachina” (espírito vermelho dos céus).

Essas 7 cabeças no céu são exatamente os 7 planetas que compõe o Sistema Solar vistos da Terra no céu (já que Plutão não é mais considerado um planeta): Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. São redondos como uma cabeça.

Os dez chifres são referencias a estrelas da constelação do Touro, o animal que possui chifres (Taurus), facilmente vistas no céu da Terra, estas “sete coroas” descritas na profecia são referencias as 7 estrelas mais brilhantes dessa constelação. A soma de todos esses números (7+10+7) dá o dia exato: 24.

A Terra entra no signo de Touro exatamente no dia 21 de abril, ou seja, João deixa claro que estava falando do dia 24 de abril, o dia do sinal no céu do grande Dragão Vermelho e ainda corrobora com duas quadras de Nostradamus:

“Ao fundamento de uma nova seita, serão os ossos de um nobre romano descobertos, o sepulcro em mármore aparecerá aberto, a terra TREMERÁ em ABRIL e o mal será sepultado” Centúria 6, Quadra 66

“Sol a vinte de TOURO, haverá um GRANDE TERREMOTO, o grande teatro cheio ruirá, ar, céus, terra escurecidos e perturbados , quando o infiel chamar a Deus a aos santos” Centúria 9, Quadra 83

E pra que não fique dúvida alguma sobre a visão de João, vejamos o capitulo e o versículo do Apocalipse:

Se divididos: 12:3 = 4 (mês abril)

Se multiplicados: 12x 3 = 36 (ano de 2036)

E de 2012 a 2036, o Apophis vai passar visível na Terra 3 vezes (2013, 2029, 2036). Tudo apenas grandes coincidências???





Jesus assim relata esses eventos futuros:


“Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (Daniel 9:27) então os habitantes da Judéia fujam para as montanhas. porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será. Logo após estes dias de tribulação, o sol escurecerá, a lua não terá claridade, cairão do céu as estrelas e as potências dos céus serão abaladas. Assim como foi nos tempos de Noé, assim acontecerá na vinda do Filho do Homem. E os homens de nada sabiam, até o momento em que veio o dilúvio e os levou a todos. Assim será também na volta do Filho do Homem. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem. Todas as tribos da terra baterão no peito e verão o Filho do Homem vir sobre as nuvens do céu cercado de glória e de majestade. Porque, como o relâmpago parte do oriente e ilumina até o ocidente, assim será a volta do Filho do Homem. Dois homens estarão no campo: um será tomado, o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo no mesmo moinho: uma será tomada a outra será deixada. Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra a aflição e a angústia apoderar-se-ão das nações pelo bramido do mar e das ondas. Os homens definharão de medo, na expectativa dos males que devem sobrevir a toda a terra. As próprias forças dos céus serão abaladas. Como um laço cairá sobre aqueles que habitam a face de toda a terra. Quando começarem a acontecer estas coisas, reanimai-vos e levantai as vossas cabeças; porque se aproxima a vossa libertação”. (Mateus capitulo 24, versículos 15, 16, 21, 29, 37, 39, 30, 27, 40, 41; Lucas capitulo 21, versículos 25, 26, 35, 28)

E João assim define o ápice dos eventos no Apocalipse:

“O Dragão Vermelho varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra. Houve, então, relâmpagos, vozes e trovões, assim como um terremoto tão grande como jamais houve desde que há homens na terra. A grande cidade foi dividida em três partes, e as cidades das nações caíram. Todas as ilhas fugiram, e montanha alguma foi encontrada. O céu desapareceu como um pedaço de papiro que se enrola e todos os montes e ilhas foram tirados dos seus lugares.” (Apocalipse 12:4; 16:18-20; 6:14)




http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2010/11/apophis-sua-acao-no-exilio-planetario-e.html

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Dois papas

Mensagem  Clever em Dom 17 Fev 2013 - 10:58

Martelo

Estive procurando onde foi que li sobre a traição do papa, mas não consegui encontrar ainda. É que pesquiso esse assunto desde 1973. Não é fácil achar onde li isso.
Nas profecias é difícil achar porque trata-se de interpretação e não de literalidade. Pode ler todas elas e não perceber onde se pode interpretar tal previsão.
De qualquer forma, nem me lembrava que o atual foi traído pelo mordomo (secretário).

Na busca pela citação a dois papas, encontrei uma outra de Nicolau V:
Profecia atribuída ao anti-papa Nicolau V (escolhido papa em 12 de maio de 1328, no lugar de João XII, exilado em Avignon:
“Um dia, dois discípulos ocuparão o mesmo trono. Nesta época, as terras serão queimadas por um sol doente e as orações dos dois apóstolos que estarão no mesmo trono, em Roma, não subirão mais aos céus. Durante a doença do sol, o ar também estará doente, como a água, assim como o coração do homem.”

Por sol doente pode-se interpretar a atividade recorde com pico em 2012/2013. As explosões solares podem provocar tudo isso que foi previsto. E o pior, os cientistas estão preocupados.

Clever

Mensagens : 40
Data de inscrição : 24/11/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Dom 17 Fev 2013 - 20:05

Obrigado, Clever!

Vamos ver o que rola.

Martelo

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Dom 17 Fev 2013 - 20:35

http://radarladob.blogspot.com.br/2013/02/o-sacrificio-pessoal-de-bento-xvi.html

Na postagem Renúncia do Papa: Golpe Político? já havíamos cantado esta pedra: Bento XVI estava assumindo um sacrifício pessoal a fim de tentar salvar a Igreja, a fim de manter sua unidade e tentar afastar as forças ocultas que se amontoam nos confins na Santa Sé.

Chegou hoje às nossas mãos um novo texto da Organização Católica Montfort, onde eles descrevem acerca de um sonho que Dom Bosco teve, e suas correlações com o atual papado:

http://www.montfort.org.br/pe-tenorio-bento-xvio-papa-do-sonho-de-d-bosco/

É interessante notar que a Montfort, tão cuidadosa em relação a Profecias (afinal, eles mesmos chegaram a taxar os escritos de São Malaquias como fraudulentos - http://www.montfort.org.br/interpretacao-de-profecias ), esteja tão preocupada com as implicações proféticas do atual momento.

Outrossim, eles chegam até a questionar se o controverso Terceiro Segredo de Fátima não teria implicações nos tempos atuais:

http://www.montfort.org.br/fatima-um-segredo-contendo-um-enigma-envolto-em-um-misterio/

O grande ponto central disso tudo é: A Igreja, tal como instituição, formada por milhões de prepostos, está sujeita às falhas destes. A Igreja não pode ser responsabilizada pelos atos de um bispo pedófilo - embora também não possa se omitir. Claro que, nestas omissões se escondem muitos interesses. Não os da Igreja, mas de grupos políticos dentro do Vaticano.

Afinal, se Jesus estivesse à frente da Igreja nos dias de hoje, ele jamais toleraria tanta insubordinação. Aliás, eu não duvidaria que, caso Jesus reaparecesse nos dias de hoje, estas correntes dentro da Igreja tentariam eliminá-lo a fim de que ele não interferisse nestes interesses...

Interesses os quais terminaram por engessar Bento XVI, um homem honrado e com sincera vontade de fazer o bem. Tal como Getúlio Vargas, Bento XVI busca chocar a opinião pública e ganhar tempo para preparar um contra-ataque. Por isso mesmo, duvido muito que Bento XVI fique alheio aos problemas da Igreja após deixar o pontificado. Ficará longe dos holofotes, mas trabalhará incessantemente nos bastidores por aquilo em que acredita.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  fadinha em Dom 17 Fev 2013 - 22:52

boa noite...

Porém as coisas são muito complexas atualmente para a Igreja Católica e o casamento gay é um motivo muito forte para divergências. Quem já leu a Bíblia leu sobre Sodoma e Gomorra e leu os muitos parágrafos sobre o tema sempre condenando tais práticas sexuais e jamais se cogitava em celebrá-las....
Mas...quem viver verá.

fadinha

Cardeal pede igualdade para relacionamentos hetero e homossexuais.


IHU – O Cardeal de Berlim, Rainer Maria Woelki (vídeo), disse numa importante conferência católica na Alemanha, o Katholikentag, que os relacionamentos de pessoas do mesmo sexo devem ser tratados de forma igual aos dos casais heterossexuais.

A análise é de Francis DeBernardo, publicada no sítio da New Ways Ministry, 20-05-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Um artigo publicado no sítio The Local, uma agência de notícias em inglês da Alemanha, noticia:

“Ele disse a uma multidão na quinta-feira, 17, que a Igreja deveria ver, a longo prazo, as relações homossexuais fiéis assim como fazem com as heterossexuais. ‘Quando dois homossexuais assumem a responsabilidade um pelo outro, se eles se relacionam uns com os outros de uma forma fiel e a longo prazo, então você tem que ver isso da mesma forma como as relações heterossexuais’, disse Woelki a uma multidão estupefata, de acordo com uma notícia do jornal Tagesspiegel.

Cardeal pede igualdade para relacionamentos hetero e homossexuais.

IHU – O Cardeal de Berlim, Rainer Maria Woelki (vídeo), disse numa importante conferência católica na Alemanha, o Katholikentag, que os relacionamentos de pessoas do mesmo sexo devem ser tratados de forma igual aos dos casais heterossexuais.

A análise é de Francis DeBernardo, publicada no sítio da New Ways Ministry, 20-05-2012. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Um artigo publicado no sítio The Local, uma agência de notícias em inglês da Alemanha, noticia:

“Ele disse a uma multidão na quinta-feira, 17, que a Igreja deveria ver, a longo prazo, as relações homossexuais fiéis assim como fazem com as heterossexuais. ‘Quando dois homossexuais assumem a responsabilidade um pelo outro, se eles se relacionam uns com os outros de uma forma fiel e a longo prazo, então você tem que ver isso da mesma forma como as relações heterossexuais’, disse Woelki a uma multidão estupefata, de acordo com uma notícia do jornal Tagesspiegel.


“Woekli reconheceu que a Igreja vê o relacionamento entre um homem e uma mulher como base para a criação, mas acrescentou que é hora de pensar mais sobre a atitude da Igreja com respeito às relações do mesmo sexo”.

Falando na 98º Katholikentag, uma conferência que reuniu 60 mil católicos em Mannheim, Woelki se juntou a um crescente coro de vozes episcopais que estão clamando por uma mudança na recusa tradicionalmente absolutista da hierarquia a reconhecer a bondade moral das relações lésbicas e gays.

Em dezembro passado, o arcebispo Vincent Nichols, de Londres, ganhou as manchetes ao apoiar as uniões civis para casais de lésbicas e gays no Reino Unido. Naquele mesmo mês, o padre Frank Brennan, jesuíta estudioso de Direito na Austrália, também pediu o reconhecimento similar para os relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo. Em janeiro, Dom Paolo Urso, bispo de Ragusa, Itália, também pediu o reconhecimento das uniões civis em seu país.

O mês de março de 2012 assistiu a uma explosão de questionamentos de prelados à proibição da hierarquia acerca da igualdade do casamento. No 7º Simpósio Nacional da New Ways Ministry, Dom Geoffrey Robinson, bispo australiano, pediu um total re-exame da ética sexual católica para permitir, dentre outras coisas, a aprovação moral dos relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo. A diocese de Manchester, em New Hampshire, apoiou um projeto de lei que legaliza as uniões civis (embora como uma medida paliativa para evitar a igualdade do casamento).

Dom Richard Malone, bispo de Portland, Maine, anunciou que a diocese não assumiria um papel ativo na oposição do próximo referendo do Estado sobre a igualdade do casamento, como havia feito em 2009. Na Itália, o cardeal Carlo Maria Martini, de Milão, afirmou em seu livro Credere e Conoscere (Crer e conhecer), que “eu não compartilho as posições daqueles que, na Igreja, criticam as uniões civis”.

Embora a oposição à igualdade do casamento por parte da hierarquia, especialmente nos EUA, ainda seja grande e forte, é significativo que essas recentes declarações estejam todas desenvolvendo um tema similar de ao menos algum reconhecimento do valor intrínseco das relações lésbicas e gays, assim como da necessidade de proteção civil a elas. Que essa tendência continue e cresça.

* * *

O Distrito Alemão da Fraternidade São Pio X comenta que o senhor cardeal flagrantemente contraria o ensinamento do apóstolo São Paulo, em sua primeira epístola ao Romanos, 24-27:

Por isso, Deus os entregou aos desejos dos seus corações, à imundície, de modo que desonraram entre si os próprios corpos. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos. Amém! Por isso, Deus os entregou a paixões vergonhosas: as suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza. Do mesmo modo também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em desejos uns para com os outros, cometendo homens com homens a torpeza, e recebendo em seus corpos a paga devida ao seu desvario.

e o Catecismo da Igreja Católica:

A homossexualidade designa as relações entre homens e mulheres que sentem atração sexual, exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. Sua gênese psíquica continua amplamente inexplicada. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves, a tradição sempre declarou que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados”. São contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados.

http://fratresinunum.com/2012/05/24/cardeal-pede-igualdade-para-relacionamentos-hetero-e-homossexuais/

mais em:

(http://fratresinunum.com/2012/04/12/o-beijo-de-judas-iscariotes-parte-iii/)



fadinha

Mensagens : 793
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  fadinha em Qui 21 Fev 2013 - 13:35

Na Folha de São Paulo:

19/02/2013 - 05h30
Fiéis pedem veto a cardeal em conclave

CLÓVIS ROSSI
ENVIADO ESPECIAL A ROMA

A revista "Famiglia Cristiana", da editora católica italiana San Paolo, assumiu, em sua edição on-line, a campanha de um grupo de fiéis americanos que querem impedir a participação no conclave que elegerá o novo papa do cardeal Roger Mahony, ex-arcebispo de Los Angeles, pelo encobrimento de 129 casos de abusos de menores por parte de religiosos.

Mahony, 77 anos a completar dia 27, foi afastado de todas as funções na arquidiocese pelo seu sucessor, José Gomez, o que é insuficiente para o "Washington Post", que escreveu que "tem sorte de não estar na prisão".

Gomez voltou parcialmente atrás, ao anunciar que Mahony permanecia "plenamente bispo e poderia celebrar os sacramentos e desenvolver atividades pastorais".

Mais: pediu orações "para o cardeal Mahony enquanto se prepara para ir a Roma para eleger o novo papa".

Em vez de orações, o que os fiéis fizeram foi elaborar um abaixo-assinado pedindo que Mahony fosse afastado do conclave.

A revista cita a frase do "Washington Post" em um amplo dossiê do escândalo, com o título de "Explode o caso Mahony".

O que torna a participação do cardeal norte-americano no conclave ainda mais complicada é o fato de que ele terá que depor na Corte Superior do Condado de Los Angeles no dia 23.

O escândalo de pedofilia por parte de religiosos compôs um dos problemas que provocaram tensão entre o papa e a Cúria Romana, porque Bento 16 tentou expor todo o possível sobre o caso, mas não foi acompanhado pelos seus auxiliares.

O papa nomeou Gomez para limpar o dossiê, e a sua diocese divulgou um relatório de 12 mil páginas contendo documentos até então secretos, cuja leitura "foi uma experiência brutal e dolorosa", conforme ele próprio relatou.

A petição que a revista encampa foi elaborada pelo grupo "Católicos Unidos", considerado de esquerda.

O título é eloquente: "Cardeal Mahony, fique em casa".

Termina lembrando que o cardeal foi punido disciplinarmente e "perdeu a capacidade de ter voz na igreja".

Nesse ambiente, entende-se porque o padre Emilio Laudazi, superior da comunidade carmelita de Santa Maria da Vitória, tenha dito ao jornal "La Stampa" que, "naquilo de impensável que está acontecendo, o diabo colocou a pata e, talvez, o rabo".

Padre Emilio é exorcista
.


fadinha

Mensagens : 793
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  estel em Qui 21 Fev 2013 - 16:53

Já li em outro forum que o Papa renunciou para tentar salvar a própria pele, tipo "vou me sacrificar pela igreja", mas na verdade é uma jogada para evitar que o nome dele também saia num processo que está rolando sobre pedofilia.

Se é verdade não sei, mas esse assunto é mais antigo que andar prá frente na igreja cátólica.


Abraços,
Estel.

estel

Mensagens : 280
Data de inscrição : 08/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Renúncia do Papa pode estar ligada à rede de sexo e corrupção, diz jornal

Mensagem  sueli em Qui 21 Fev 2013 - 20:10

Renúncia do Papa pode estar ligada à rede de sexo e corrupção, diz jornal

Para diário italiano La Reppublica, Bento XVI renunciou após receber um informe ultrassecreto que denuncia uma trama de corrupção, sexo e tráfico de influências no Vaticano. Porta-voz não comentará reportagem

France Presse
Publicação: 21/02/2013 19:20 Atualização: 21/02/2013 19:33

Vaticano - O jornal italiano La Repubblica garantiu que Bento XVI decidiu sua renúncia após receber um informe ultrassecreto elaborado por três cardeais em que denuncia uma trama de corrupção, sexo e tráfico de influências no Vaticano, noticiou nesta quinta-feira (21/2).

De acordo com o impresso, em uma reportagem assinada pela jornalista Concita di Gregorio, o relatório que foi encomendado por Bento XVI a três cardeais no ano passado - o espanhol Julián Herranz, o eslovaco Jozef Tomko e o italiano Salvatore De Giorgi -, após vazamentos de documentos confidenciais em um escândalo que ficou conhecido como Vatileaks, revela um sistema de "chantagens" internas baseado em fraquezas sexuais e ambições pessoais.



O texto de 300 páginas que se refere a um "lobby gay" dentro do Vaticano, foi entregue em dezembro ao pontífice, segundo a jornalista que não esclarece como teve acesso ao documento.

"Fantasias, invenções, opiniões", assegurou o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi, após advertir que não comentará a reportagem e que os cardeais envolvidos não aceitarão conceder entrevistas.

Com o título "Não fornicarás, nem roubarás, os mandamentos violados no informe que sacudiram o Papa", o jornal sustenta que o ancião cardeal espanhol Herranz, do Opus Dei, ilustrou ao Papa no dia 9 de outubro do ano passado os "assuntos mais escabrosos" do relatório, em particular a existência de uma "rede transversal unida pela orientação sexual".

"Pela primeira vez a palavra homossexualidade foi pronunciada no gabinete papal", escreve o impresso italiano.

La Repubblica sustenta que, durante oito meses, os cardeais interrogaram muitos prelados e laicos, dividindo-os por congregação e nacionalidade, e estabeleceram que existem vários grupos de pressão dentro do Vaticano, entre eles um sujeito a chantagem, a "impropriam influentiam" por sua homossexualidade.

Outro grupo é especializado em montar e desmontar carreiras dentro da hierarquia vaticana e outro ainda aproveita para usar recursos multimilionários para seus próprios interesses à sombra da cúpula de São Pedro através do Banco do Vaticano, segundo a publicação.

Em uma publicação especial, a revista Panorama defende que o documento será determinante para a eleição do sucessor de Bento XVI, em um artigo assinado por Ignazio Ingrado.

Para as duas publicações, o Papa se convenceu que um sucessor mais jovem, forte e enérgico é o melhor indicado para fazer uma limpeza na instituição milenária e por isso teria decidido deixar o Trono de Pedro no próximo dia 28 de fevereiro.


http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2013/02/21/interna_mundo,350844/renuncia-do-papa-pode-estar-ligada-a-rede-de-sexo-e-corrupcao-diz-jornal.shtml

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

'Próximo Papa terá de agir contra pedofilia', diz dom Geraldo Majella

Mensagem  sueli em Sex 22 Fev 2013 - 7:48

'Próximo Papa terá de agir contra pedofilia', diz dom Geraldo Majella

Para o cardeal brasileiro e arcebispo-emérito da Arquidiocese de Salvador, dom Geraldo Majella Agnelo, a eleição do sucessor do papa Bento XVI não será uma questão de nacionalidade nem de idade, mas "o próximo Papa deverá ter a capacidade de enfrentar os novos desafios para o ministério de São Pedro".

Em uma entrevista telefônica à ANSA, o cardeal Majella, que vai participar do conclave que elegerá o novo Pontífice, explicou que há "uma expectativa muito grande para esse conclave, considerando o momento que estamos vivendo, com suas dificuldades e seus desafios".

Segundo o cardeal, as maiores dificuldades da nossa época são "a violência, que está por toda a parte, com uma falta generalizada de diálogo, de procurar resolver as questões de modo pacífico. E também o egoismo das pessoas que fazem o que eles acreditem no melhor e não seguem o que é proposto para o cristão, que não é invenção humana do Papa, mas vem da palavra de Cristo".

"A unica razão que levou o Papa à renúncia foi a incapacidade física . Ele já não tem a capacidade física de enfrear os desafios do ministério, mas não está fugindo do dever, está querendo colocar adiante as necessidades da Igreja, e está sentindo que o tempo está passando e as forças estão sempre menores. Ele está preocupado em falhar dando prosseguimento ao seu trabalho", disse dom Majella, referindo-se aos boatos sobre as razoes que levaram Bento XVI à demissão.

De acordo com ele, o próprio Papa "terá de prosseguir aquilo que Deus confiou a Pedro, terá de administrar a Igreja junto com a cúria romana. O número dos dicastérios aumentou, e tudo isso pede um cuidado maior e sempre mais atento por parte da cúria e do Papa".

Comentando o caso do cardeal norte-americano Roger Mahony, acusado de ter encoberto dezenas de casos de pedofilia nos Estados Unidos, o cardeal Majella disse que é "muito triste que ele seja colocado nessa posição diante da opinião pública, uma posição em que ele é condenado. Deve ser muito sofrido para ele, mas isso não quer dizer que ele possa ser impedido de entrar no conclave".

"Todos podem votar e ser votados. Acusações de pedofilia e homossexualismo são coisas muito graves, mas não pode impedir que ele [Roger Mahony] seja barrado de entrar no conclave. Ele não é o único caso no mundo. O desafio maior para a Igreja, para os cardeais, bispos e para o Papa é acabar com as conivências e com os que não levem até às últimas consequências esses casos, excluindo os culpados do estado clerical, e também apontando muito na formação", declarou o arcebispo-emérito de Salvador.

Para o cardeal Majella, "isso será motivo de uma revisão muito grande. O próximo Papa tem de agir com força nessa direção. Bento XVI falou com muita clareza, mas cardeais e bispos ainda tem de ser chamados a exercer a disciplina e devem tomar o meio jurídico para fazer que esses que têm o poder, ou melhor, o dever, de agir dessa forma, não fiquem atrás, não fiquem querendo agir com muita paciência, tem de haver uma disciplina muito mais rigorosa".

Comentando o pedido do grupo católico norte-americano, o Catholics United, que o cardeal Roger Mahony não vote na escolha do sucessor de Bento XVI, dom Geraldo Majella disse que "tecnicamente, pelo direito canônico, não é possível impedir a um cardeal de votar, por nenhum motivo. O direito canônico não contempla essa eventualidade".

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/ansa/2013/02/20/proximo-papa-tera-de-agir-contra-pedofilia-diz-dom-geraldo-majella.htm

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  fadinha em Sex 22 Fev 2013 - 9:57

Acho isso muito contraditório, por muito menos os católicos são excomungados. Um dos Papas não excomungou o czar da Rússia? eo czar nem era católico!
Hoje ainda se a pessoa casar e descobrir que foi um erro essencial de pessoa e o casamento não foi consumado (detalhes...impossíveis) só o Papa para desfazer esse laço.
Imagine isso:

"Todos podem votar e ser votados. Acusações de pedofilia e homossexualismo são coisas muito graves, mas não pode impedir que ele [Roger Mahony] seja barrado de entrar no conclave. Ele não é o único caso no mundo. O desafio maior para a Igreja, para os cardeais, bispos e para o Papa é acabar com as conivências e com os que não levem até às últimas consequências esses casos, excluindo os culpados do estado clerical, e também apontando muito na formação", declarou o arcebispo-emérito de Salvador

Ele não é o único caso no mundo

Mas todos os outros são simples pecadores e este foi julgado pela justiça comum e considerado culpado e ele não é ninguém é um Cardeal de quem se espera um mínimo de respeito e não casos tenebrosos de pedofilia.
Pois é, acho que esta é uma atitude errada perante o "rebanho católico"...o que farão os católicos que fizeram o abaixo-assinado contra a ida desse cardeal no conclave? o cardeal foi declarado culpado e segundo e segundo o jornal deveria ter ido para a prisão.

Comentando o pedido do grupo católico norte-americano, o Catholics United, que o cardeal Roger Mahony não vote na escolha do sucessor de Bento XVI, dom Geraldo Majella disse que "tecnicamente, pelo direito canônico, não é possível impedir a um cardeal de votar, por nenhum motivo. O direito canônico não contempla essa eventualidade".

Dois pesos e duas medidas.

fadinha

fadinha

Mensagens : 793
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  sueli em Sex 22 Fev 2013 - 10:38

Concordo com você, Fadinha.
Como pode a Igreja Católica ser conivente com isto?
Quando há denúncias de pedófilos só transferem os padres pedófilos para outra paróquia,até aqui no Brasil.
Não é a toa que a Igreja Católica está ficando vazia.

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Convidad em Sex 22 Fev 2013 - 17:11

Ainda sobre o "Vatileaks":

Bento 16 revelará descobertas do caso VatiLeaks aos cardeais antes de conclave, diz jornal

http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2013/02/22/bento-16-revelara-descobertas-do-caso-vatileaks-aos-cardeais-antes-de-conclave-diz-jornal.htm


Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Dogmas e mandamentos

Mensagem  Clever em Sab 23 Fev 2013 - 11:06

A Igreja Católica está capengando há muito tempo.
Há anos atrás, em Indaiatuba (SP), os bispos brasileiros da CNBB, decidiram que o uso de preservativo era melhor que a aids.
O ato parece humano e moderno, atualizando as orientações da igreja com a realidade dos fiéis católicos, mas no fundo contradiz orientações da cúpula romana e contradiz, frontalmente, os mandamentos e a Bíblia.
O problema é que seguir uma religião vai muito além de ser batizado e comparecer vez ou outra num ato religioso. É cumprir à risca seus mandamentos. É praticar a filosofia, a mística e tudo mais que se relacione com os ditames e preceitos das hierarquias daquela igreja. Mas se procurarmos com uma lanterna não creio que acharemos nem 1% que tente realmente ser um católico verdadeiro.
Se houver um ataque mais sério à Igreja Católica, serão poucos os seus defensores verdadeiros.
E a tendência é cair um por um os dogmas...




Clever

Mensagens : 40
Data de inscrição : 24/11/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 5 Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum