O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Página 1 de 9 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  bushido em Seg 8 Nov 2010 - 20:31

Continuando o tópico do fórum ascensão...

abraços à todos!
avatar
bushido

Mensagens : 94
Data de inscrição : 27/10/2010
Idade : 48
Localização : por aí...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Sistema Financeiro

Mensagem  Luiz em Seg 8 Nov 2010 - 22:25



O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

R: SABE QUE EU NÃO SEI! rsrsrsrsrs ( dúvidas)

Paz a todos.
avatar
Luiz

Mensagens : 3014
Data de inscrição : 30/10/2010
Idade : 59
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  EstranhoMundo em Ter 9 Nov 2010 - 6:52

Não sei como era este tópico no Ascensão nem quero cortar o "barato apocalíptico" de ninguém, mas há uma enorme diferença entre crise no capitalismo e queda do sistema capitalista.

As sociedades desenvolvidas estão profundamente enraizadas no capitalismo e o que se vê são grandes países em desenvolvimento se tornando cada vez mais capitalistas (China, Índia, Brasil etc.), com suas economias se tornando mais fortes e assim aptos a negociar com as grandes potências cada vez com mais autonomia. Os países estão se dirigindo ao capitalismo e não tentando se afastar dele, por mais que os "irmãos do espaço" falem o contrário.

Tentei encontrar um artigo escrito por um dos maiores economistas do mundo quando esta última crise estava no auge, em que ele afirmava não só que as crises são inerentes ao capitalismo, como também afirmava que quanto mais os países em desenvolvimento se fortificarem economicamente, mais intensas e frequentes as crises ficarão, o que de forma alguma significa a queda do sistema, e sim que ele passará por reajustes mais constantemente.

Infelizmente não encontrei tal artigo, mas encontrei um outro, de um professor paraibano, que faz as vezes daquele. Apesar de longo, acho que vale a pena a leitura.

As crises cíclicas do capitalismo mundial - 12 de junho de 2009

A grande maioria dos economistas é unânime em avaliar que a crise é inerente ao sistema capitalista.

Se nos debruçarmos sobre os últimos 25 anos, vamos encontrar várias crises vividas pelo capitalismo mundial em maior ou menor grau, mas que afetaram o sistema como um todo.

A diferença das anteriores para a atual é que nesta crise a origem do problema veio do centro do capitalismo mundial: Os Estados Unidos.

Vamos relembrar as últimas crises econômicas, suas origens e seus desdobramentos:

1) 1987 - No mundo - A crise de outubro de 1987 foi uma crise típica do mercado de capitais que após cinco anos de crescimento contínuo, desabou na Bolsa de Nova York na chamada "segunda feira negra", despencando mais de 22% e repercutindo pelas outras bolsas de valores pelo mundo afora. Durante o mês de outubro desse ano, as bolsas de 19 dos 23 países mais industrializados do mundo despencaram mais de 20%. A crise de 1987 foi atribuída à supervalorização das ações, à queda do dólar e ao aumento do déficit americano. Em setembro de 1989, o mercado acionário mundial mostrou sinais claros de recuperação. O principal desdobramento dessa crise foi a introdução do "circuit breaking", uma interrupção do funcionamento das transações nas bolsas de valores em caso de grandes oscilações.

2) 1995 - No México - Essa crise começou na verdade em dezembro de 1994 quando o recém eleito presidente Ernesto Zedillo anunciou uma maxidesvalorização do peso mexicano após um longo período de câmbio fixo. Na origem da crise estava o excessivo gasto público, o grande volume de empréstimos bancários viabilizados pelos juros baixos, queda do preço do petróleo no mercado mundial. Esse cenário criou um clima de desconfiança em relação ao México e fez com os investidores internacionais deixassem de financiar a rolagem da dívida externa mexicana, gerando de imediato um aumento do dólar em relação ao peso de quase 100%. No Brasil, os desdobramentos dessa crise no México ficou conhecido como efeito "tequila". O governo americano e o FMI trataram de viabilizar reforço de 50 bilhões de dólares em empréstimos para o México. Esse empréstimo estabilizou a cotação do dólar e evitou a moratória mexicana, permitindo que o México alcançasse a recuperação em 1997, pagando o empréstimo de 50 bilhões antecipadamente.

3) 1997 - Na Ásia - Começou em 1997 na Tailândia, espalhou-se pelo sudeste da Ásia e pelo Japão, trazendo consequências para o mercado mundial. Essa crise foi caracterizada pela redução da demanda de bens e serviços e pela queda da confiança dos investidores. A crise gerou um aumento na proporção da dívida em relação ao PIB em todos os países diretamente afetados. O FMI entrou com empréstimos da ordem de 40 bilhões de dólares para socorrer as economias da Coreia do Sul, Tailândia e Indonésia. No Brasil, o desdobramento foi o aumento da cotação do dólar, prejudicando milhares de consumidores que tinham financiado veículos indexados ao dólar, tendo as suas prestações aumentadas vertiginosamente o que provocou muitas discussões na justiça. Em 1999, toda a Ásia já apresentava sinais claros de recuperação.

4) 1998 - Na Rússia - A crise russa surgida em agosto de 1998, caracterizando-se como um desdobramento imediato da crise asiática por conta principalmente da redução da procura e aquisição do petróleo russo, que é uma das mais importantes fontes de divisas advindas da sua exportação. O contexto da crise estava embasado em um grande déficit fiscal, despesas desnecessárias com a guerra da Chechênia, altas taxas de juros (superiores a 150%), queda na arrecadação de impostos e naturalmente dificuldades para honrar compromissos públicos, atrasos de mais de 12 bilhões de dólares em salários e greves generalizadas. O FMI e o Banco Mundial chegaram com um suporte da ordem de 22 bilhões de dólares e mesmo assim a bolsa de valores entrou em colapso, o rublo caiu para um terço do valor original, a inflação chegou a 48% ao ano e vários bancos quebraram. O cenário começou a mudar em 1999 com o aumento do preço do barril do petróleo, permitindo o início da recuperação econômica e o reaquecimento do mercado interno. A crise foi contornada em 2000.

5) 1999 - No Brasil - A crise brasileira vem como um desdobramento das duas grandes crises anteriores (asiática e russa) e da grande desvalorização do real frente ao dólar, após vários anos de manutenção da paridade cambial com a moeda norte-americana. As consequências disso: problemas com os contratos indexados ao dólar feitos por particulares e empresas, dificuldades de manter as importações de máquinas e equipamentos, crescimento do desemprego. Após os momentos iniciais, o governo passou a reduzir os juros e a recompor as reservas cambiais. O país passou a dar sinais claros de recuperação em 2000, conseguindo superar mais essa crise.

6) 2000 - Na Argentina - A Argentina foi o primeiro país da América Latina a adotar a paridade cambial com o dólar e a tomar medidas liberalizantes no início do anos 90 no governo Menem. Por ser um país emergente, a Argentina sofreu as consequências das crises asiática, russa e do Brasil, sendo claro que, em geral, quando um desses países espirra, o outro gripa. O contexto argentino em 2000 era de aumento do desemprego, crescimento da pobreza e aprática de grandes taxas de juros. O FMI interviu com um empréstimo de 40 bilhões de dólares. Em 2001, a Turquia entrou em crise, respingando na Argentina. Protestos de rua, cortes de salários, bloqueio de depósitos bancários ("corralito"), afastamento do presiente De la Rúa e de 3 sucessores dele na presidência em menos de um mês. Implementou-se um lento processo de desdolarização da economia. A posse de Kirchner em 2003 permitiu a negociação com os credores de condições mais favoráveis, viabilizando uma recuperação que se concretizou em 2006.

7) 2001 - Crise Mundial - Essa crise é uma decorrência direta do atentado do World Trade Center no 11 de setembro que ocasionou a morte de mais de 3.000 pessoas, trazendo um clima de caça aos terroristas e baixo astral nos mercados mundiais. As bolsas de valores caíram pelo mundo todo, o preço do petróleo disparou, o dólar desvalorizou-se frente ao iene, ao euro e à libra. Essa crise não teve maiores desdobramentos por conta da ação coordenada dos bancos centrais dos principais países e logo foi superada.

Em linha geral, observamos que todas essas crises recentes levaram em média 2 anos para dar sinais de recuperação. As crises anteriores mostram que as crises são inerentes ao sistema capitalista, que o apocalipse ainda não chegou e que a a recuperação de mais essa crise só deve acontecer a partir de 2010.

Em suma, aperte o cinto, trabalhe e espere que a crise é como dor de cabeça, dói, mas passa logo.
avatar
EstranhoMundo

Mensagens : 34
Data de inscrição : 30/10/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  EstranhoMundo em Ter 9 Nov 2010 - 10:56

John Allison, por vinte anos presidente e diretor geral do BB&T, décimo maior banco norte-americano, disse numa entrevista no último dia quatro que a falência dos Estados Unidos é uma "certeza matemática", a ocorrer daqui a vinte ou vinte e cinco anos, a menos que haja uma profunda mudança nos rumos fiscais e na visão "filosófica" da economia do país: segundo ele, é preciso parar de pensar em distribuir riqueza e começar a pensar em gerar riqueza.

Ele disse ainda que um país não vai à falência da mesma forma que uma empresa: um país falido geralmente se torna hiperinflacionado, imprimindo muito dinheiro ou se tornando uma economia subdesenvolvida, como a da Argentina.

Matéria e vídeo da CNS abaixo:

Bankruptcy of U.S. is ‘Mathematical Certainty,’ Says Former CEO of Nation's 10th Largest Bank - Thursday, November 04, 2010

John Allison, who for two decades served as chairman and CEO of BB&T, the nation's 10th largest bank, told CNSNews.com it is a “mathematical certainty” that the United States government will go bankrupt unless it dramatically changes its fiscal direction. (...)

“I think the first thing we have to realize is where we’re going and to face it objectively,” Allison told CNSNews.com, when asked about the trillion-dollar-plus deficits the federal government has run for three straight years, the more than $13 trillion in federal debt, and the $61.9 trillion long-term shortfall the government faces (according to the analysis of the Peter G. Peterson Foundation) if the government is to pay all the benefits it has promised through entitlement programs.

“If you run the numbers, on all those numbers that you just talked about, which I think are accurate, very accurate, in 20 or 25 years, the United States goes bankrupt,” said Allison. “It’s a mathematical certainty.

“It reminds me very much of that story I told you about Freddie Mac and Fannie Mae,” said Allison. “We were running the numbers, and Freddie Mac and Fannie Mae went bankrupt, and we got there. In 20 or 25 years, the United States goes bankrupt.

“Now, countries don’t go bankrupt the way companies do,” said Allison. “They don’t file bankruptcy. They usually hyper-inflate. They print a bunch of paper money, or they become Third World economies like Argentina--unless we change direction. So, we absolutely have to change direction. And the irony of that is it requires an interesting combination. It requires both discipline, but it also requires a focus on growing our economy. And it means a fundamental philosophical change from where we are today, from the idea of redistributing wealth to the idea of creating wealth.” (...)

avatar
EstranhoMundo

Mensagens : 34
Data de inscrição : 30/10/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Qua 10 Nov 2010 - 22:10

Quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Rombo no Banco PanAmericano seria de R$ 900 mi

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/828731-rombo-por-falencia-de-panamericano-seria-de-r-900-mi-banco-pagou-ir-sem-dever.shtml

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

CAPITALISMO E SEU JOGO

Mensagem  Luiz em Qui 11 Nov 2010 - 0:37

Pedro Paulo escreveu:Quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Rombo no Banco PanAmericano seria de R$ 900 mi

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/828731-rombo-por-falencia-de-panamericano-seria-de-r-900-mi-banco-pagou-ir-sem-dever.shtml

CALMA GENTE, SÃO COISAS DO CAPITALISMO, SEMPRE ACONTECERAM E SEMPRE FORAM "SOLUCIONADAS" E CONTINUARÃO A ACONTECER, NÃO EXISTE NADA DE NOVO OU SEQUER APOCALÍPITICO NESTE ACONTECIMENTO, É SETORIAL E ISOLADO.

AGORA, O O QUE ACONTECEU NOS EUA EM 2008 FOI VIOLENTO, PARA VOCÊS TEREM UMA IDÉIA, LÁ, O "ROMBO" FOI DE TILHÕES DE TRILHÕES DE DÓLARES ( NÃO DE REAIS) , ENVOLVENDO UMA SÉRIE DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS AMERICANAS E EUROPÉIAS, AQUI O VALOR FICA EM TORNO DE 2,5 BILHÕES DE REAIS ( MENOS DE 0,1% DO QUE ACONTECEU NOS EUA) E ISOLADAMENTE. fAZ PARTE DO "JOGO"DO CAPITALISMO.

ESTÁ TUDO SOB ABSOLUTO CONTROLE , PELO MENOS POR ENQUANTO.

OBRIGADO
avatar
Luiz

Mensagens : 3014
Data de inscrição : 30/10/2010
Idade : 59
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Qui 11 Nov 2010 - 15:01

Olá Luiz!

Percebi que a notícia não é de muito alarme, postei mais por informação mesmo.

E agora tem esta também do EUA inundar o mercado com dólares e disseram que o Brasil é um prato cheio para os especuladores.

Um abraço!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Qui 11 Nov 2010 - 15:01

Pedro Paulo escreveu:Olá Luiz!

Percebi que a notícia não é de muito alarme, postei mais por informação mesmo.

E agora tem esta também do EUA inundar o mercado com dólares e disseram que o Brasil é um prato cheio para os especuladores e a guerra cambial entre EUA x China..

Um abraço!

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Estados Unidos recuam de proposta ao G-20 Atacados por vários países, os EUA desistiram do plano de limitar superávits dos países e anunciaram que estão perto de acordo com a China

Mensagem  Angel em Sex 12 Nov 2010 - 18:18


08 de novembro de 2010 | 22h 30
Leia a notíciaComentários 19EmailImprimirTwitterFacebookDeliciousDiggNewsvineLinkedInLiveRedditTexto - + Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo
BASILEIA - Os Estados Unidos recuaram de sua proposta de estabelecer limites para os superávits externos de outros países e anunciaram que estão perto de um acordo com a China.

O governo americano teria convencido a China a aceitar um acordo na reunião do G-20 (grupo dos 20 países mais ricos e influentes do mundo), que será realizada esta semana em Seul, na Coreia do Sul, para criar um "sistema de alerta" quando um país acumula superávits ou déficits excessivos.

Em troca, a Casa Branca abandonou sua ideia original de estabelecer um teto de 4% do PIB sobre o superávit de cada país, algo que era rejeitado pela China e por outros grandes exportadores e países emergentes.

O recuo ocorre depois de forte pressão internacional. Além de rejeitarem a proposta americana, China, Europa e países emergentes reagiram com irritação ao pacote econômico dos EUA.

O pacote prevê a injeção de US$ 600 bilhões na economia americana. O excesso de recursos deve "vazar" para outros países, o que pode provocar uma forte valorização de outras moedas e criar bolhas especulativas.

Na segunda-feira, 8, falando em Nova Délhi, na Índia, o presidente Barack Obama chegou a justificar sua política, alegando que "o que é bom para os EUA é bom para o mundo".

Sinais

Os primeiros sinais de um entendimento entre Pequim – o maior exportador do mundo – e Washington – o maior importador – começaram a aparecer. Pelo acordo, caberia ao FMI adotar uma série de regras para monitorar desequilíbrios em contas correntes e coordenar respostas para promover sua redução. A China, no fim da semana passada, havia acusado os americanos de quererem "voltar ao tempo da economia planificada".

Segunda-feira, Timothy Geithner, secretário do Tesouro dos EUA, explicou o acordo. "Essa é uma forma muito pragmática e multilateral de lidar com a questão. Isso vai permitir que possamos focar numa ampla gama de causas, e não apenas taxa de câmbio e permite que a China passe a seguir uma série de compromissos multilaterais."

Geithner admitiu que a proposta de estabelecer um teto para o superávit de cada país "não faria sentido econômico".

Enquanto isso, Obama saiu em defesa de sua política e, para a surpresa de vários observadores, ganhou o apoio da Índia.

Manmohan Singh, primeiro-ministro da Índia, foi o primeiro membro dos Brics a romper com as críticas e sair em defesa de Obama. "O mundo precisa de um novo equilíbrio entre países com déficit e superávit", disse.

Mas outras autoridades, como o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, o presidente do Eurogrupo (16 países que usam o euro), Jean-Claude Juncker, e presidentes de bancos centrais reunidos na Suíça, reforçaram os ataques ao pacote americano. A polêmica deve continuar na reunião do G-20.
avatar
Angel

Mensagens : 85
Data de inscrição : 11/11/2010
Localização : Sáo Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

É ruim ter a moeda mais valorizada entre os países do G-20, diz Dilma

Mensagem  Angel em Sex 12 Nov 2010 - 18:20

Em Seul, presidente eleita fala em 'tomar todas as medidas possíveis' para evitar valorização do real, mas não adiantou quais seriam
12 de novembro de 2010 | 0h 00
Leia a notícia
Comentários 1EmailImprimirTwitterFacebookDeliciousDiggNewsvineLinkedInLiveRedditTexto - + João Domingos ENVIADO ESPECIAL / SEUL - O Estado de S.Paulo
A presidente eleita Dilma Rousseff disse que considera ruim para o Brasil o fato de o País estar na reunião do G-20, em Seul, com o título de detentor da moeda mais valorizada do grupo dos países mais ricos. "Isso não é bom para o Brasil. Vamos ter de olhar cuidadosamente, tomar todas as medidas possíveis", afirmou ela. Mas Dilma não quis adiantar quais medidas tomará.


"Se eu tivesse as medidas, não diria aqui", afirmou a presidente eleita, durante entrevista no hotel em que está, em Seul, cerca de duas horas depois de se encontrar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o qual voltará amanhã para o Brasil.

Dilma revelou que, ao contrário do presidente Lula, que foi à reunião do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, assim que tomou posse, em 2003, ela não vai à próxima reunião do fórum, prevista para janeiro.

A presidente eleita disse também que não pretende fazer um giro internacional, para se apresentar. Talvez, vá a um ou outro lugar, afirmou, Dilma comentou ainda o fato de ter sido eleita pela revista Forbes a 16.ª pessoa mais importante do mundo, recusando o título de atração do G-20. "Olha, eu acho que atração é presidente no exercício do cargo. Presidente eleita não é atração, é notícia só."

Problema grave. Dilma disse que o problema do dólar fraco é grave. Mas não adiantou nada que possa fazer para tentar enfrentar a situação além das medidas que já vêm sendo tomadas pelo governo brasileiro, como o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para as aplicações no País provenientes do exterior. "Acho que há uma questão que é grave para o mundo inteiro. Até o Alan Greenspan (ex-presidente do banco central americano) está falando isso. Mas essa é uma questão que sempre causou problema, porque a política do dólar fraco faz com que o ajuste americano fique na conta das outras economias."

Em seguida, ela disse que terá uma posição similar à que está sendo defendida agora pelo governo do Brasil, que acusa os EUA de promoverem uma guerra cambial.

Para Dilma, a desvalorização do dólar cria um protecionismo camuflado. Quanto à sugestão encampada pelo Brasil, de substituir o dólar por uma cesta de outras moedas, Dilma disse que é mais uma posição entre as várias que surgiram sobre o assunto. O melhor, para ela, seria não haver desvalorização do dólar.

A presidente eleita lembrou ainda que a moeda chinesa está muito desvalorizada porque está atrelada ao dólar.



avatar
Angel

Mensagens : 85
Data de inscrição : 11/11/2010
Localização : Sáo Paulo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  buscador da paz em Sex 12 Nov 2010 - 22:42

Crise financeira e queda do câmbio estimulam saída de brasileiros de Portugal

Portugal e Espanha abrigam, respectivamente, a 2ª e a 3ª maiores colônias de brasileiros na Europa, num total de 262,6 mil imigrantes, segundo estimativa do Itamaraty. Nos últimos anos, os dois países estão, também, entre os mais afetados pela crise econômica entre os 16 que usam o euro. A taxa de desemprego espanhola (descontada a Grécia, cujos números não estão divulgados) em setembro é a maior entre eles: 20,8%. A portuguesa é a 5ª, com 10,6% – no Brasil, estava em 6,2% nas regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE.

Nos programas de apoio ao retorno de imigrantes mantidos pelos governos, os brasileiros vêm se tornando cada vez mais numerosos. Em Portugal, saltaram de 151 para 599 entre 2007 e setembro de 2010, representando neste ano mais de 7 em cada 10 pedidos feitos feitos à OIM (Organização Internacional para a Imigração), responsável pela coordenação do serviço no país. De janeiro até o final do último mês de setembro, 286 embarcaram de volta para o Brasil.

http://operamundi.uol.com.br/reportagens_especiais_ver.php?idConteudo=7428
avatar
buscador da paz

Mensagens : 311
Data de inscrição : 03/11/2010
Idade : 44
Localização : Brasília

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  bushido em Ter 16 Nov 2010 - 9:12

16/11/2010 - 08h27
Autoridade diz que crise da dívida coloca em jogo sobrevivência europeia



DA FRANCE PRESSE, EM BRUXELAS

A zona do euro e a UE (União Europeia) em seu conjunto não sobreviverão caso não resolvam a crise da dívida soberana que atravessam no momento vários países da união monetária, advertiu nesta terça-feira o presidente do bloco, Herman Van Rompuy.

"Enfrentamos uma crise para nossa sobrevivência", declarou Van Rompuy durante um discurso no European Policy Center, um "think-tank" (tipo de organização, ligada ao governo ou independente, que produz pesquisas e análises na tentativa de executar decisões bem informadas sobre a política pública em questão) com sede em Bruxelas.

"Devemos trabalhar todos de forma coordenada com o objetivo de permitir a sobrevivência da zona do euro. Se a zona do euro não sobreviver, tampouco sobreviverá a UE", completou.

A UE é integrada pelos 16 países que compartilham o euro e por outros 11 Estados.

"Mas acredito que vamos superar esta situação", afirmou Van Rompuy.

O presidente Van Rompuy fez as declarações poucas horas antes de uma reunião dos ministros das Finanças da zona do euro em Bruxelas para abordar a crise da dívida soberana que afeta a Irlanda, assim como Portugal, Grécia e Espanha, o que fez disparar os alarmes nos mercados.
avatar
bushido

Mensagens : 94
Data de inscrição : 27/10/2010
Idade : 48
Localização : por aí...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Crises cíclicas

Mensagem  Luiz em Qua 17 Nov 2010 - 15:28

Ha problemas com a Irlananda que deixou os especialistas econômicos preocupados com a notícia de que seu endividamento encontra-se na faixa de 98% do PIB. A zona do Euro atravessa a maior crise desde sua criação.

Outro fator:

A desvalorização da moeda Chinesa vem levando as bolsas de todo mundo a despencarem, inclua-se a BOVESPA que estava com ganhos no ano e , pelo menos por enquanto, encontra-se com perda anual de aproximadamente 0,38%, tendo em vista a crise do Euro e principalmente o problema da moeda Chinesa.

Ha uma crise, quanto a isso não se pode ter dúvidas, sempre houve, desde os primórdios do capital e o mesmo, até o momento, sempre se recuperou.

Vamos analisando e observando porque:

CAUTELA E CANJA DE GALINHA NÃO FAZEM MAL A NINGUÉM.

Abraço a todos.
avatar
Luiz

Mensagens : 3014
Data de inscrição : 30/10/2010
Idade : 59
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  bushido em Qui 18 Nov 2010 - 10:48

BC irlandês prevê empréstimo de bilhões de euros de UE e FMI



DA REUTERS, EM DUBLIN

A Irlanda deve acabar tomando um empréstimo da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional, que seria de dezenas de bilhões de euros, disse o presidente do banco central do país, Patrick Honohan, nesta quinta-feira.

"A intenção e a expectativa são, da parte deles e, pessoalmente, de minha parte, que as negociações serão efetivas e que um empréstimo será disponibilizado e desenhado conforme o necessário", disse ele à transmissora estatal RTE.

Acompanhe a Folha no Twitter
Conheça a página da Folha no Facebook

"Estamos falando de um empréstimo bastante significativo... de dezenas de bilhões, sim." Uma missão da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional começou a trabalhar em Dublin nesta quinta-feira.

Após dez dias de perdas, o mercado europeu de ações e de bônus se recuperavam, assim como o euro, por expectativas de que a Irlanda seja o segundo país da zona do euro (depois da Grécia) a ser resgatado para lidar com dívidas e déficits elevados.

Fontes da UE disseram à Reuters que a ajuda pode variar entre 45 bilhões e 90 bilhões de euros, dependendo da necessidade de financiar apenas seus bancos ou a dívida pública também.

Em sinal de negociações potencialmente difíceis, a França disse que a Irlanda pode ter de elevar o baixíssimo imposto corporativo de 12,5% -- um tabu na política do país -- em troca do pacote de assistência.

"Nós precisaremos ver como essas taxas (corporativas) podem ser mudadas sem pressionar a economia irlandesa e afastar investidores", disse a ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde, à rádio France-Inter.

"FALIDO"

O primeiro-ministro irlandês, Brian Cowen, rejeita sugestões de que seu governo esteja discutindo um resgate que colocaria as finanças públicas sob supervisão da UE e do FMI.

Um dos principais empresários da Irlanda, Michael O'Leary --diretor-executivo das linhas aéreas Ryanair-- disse que o governo é incapaz de comandar a economia e que os irlandeses deveriam agradecer a possibilidade de intervenção do FMI.

"O país está falido. Nós estamos sendo resgatados agora. O governo mentiu para nós a semana inteira. Quando os bônus governamentais irlandeses estão rendendo quase 9% e você pode tomar emprestado do FMI a 3% ... A única saída é o FMI e, francamente, quanto mais cedo melhor", disse O'Leary a jornalistas em Dublin.

A Irlanda disse que a conta para socorrer os bancos superaria 50 bilhões de euros. Os investidores, porém, temem que o número final seja ainda mais alto, dado o risco de atrasos de pagamentos de hipotecas, da efusão de depósitos e dos custos mais elevados de financiamento.

Segundo alguns analistas, Dublin parece estar querendo ganhar tempo, em parte para evitar a humilhação política de pedir resgate antes das eleições parlamentares de 25 de novembro.

TERMOS

A Irlanda pode precisar da ajuda de órgãos internacionais para lidar com a crise atual, mas precisa garantir que os termos de qualquer assistência financeira estejam certos, disse o ministro de Comunicações irlandês nesta quinta-feira.

"Nós podemos precisar de ajuda dos nossos colegas internacionais e europeus para ajudar-nos a fazer isso [resolver a crise]", disse o ministro Eamon Ryan. "Nós recorremos aos nossos colegas europeus para conseguir assistência, isso não é um problema fundamental."

"Mas o que nós precisamos fazer quando fizermos isso é acertar os termos e condições para que estejam dentro do interesse do povo irlandês."
avatar
bushido

Mensagens : 94
Data de inscrição : 27/10/2010
Idade : 48
Localização : por aí...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  buscador da paz em Dom 28 Nov 2010 - 21:52

Acabou o dinheiro de reserva...
* Enviar para amigos
* Comentar
Alemanha afirma que "não pode ajudar a salvar" mais países
28 de novembro de 2010

O ministro da Economia alemão, Rainer Brüderle, afirma que os casos da Grécia e Irlanda são "o limite" para a Alemanha, que "o país não pode ajudar a salvar nenhum outra nação" em caso de emergência, como disse em entrevista publicada pelo jornal Bild am Sonntag. Brüderle esclarece que a rápida decisão no caso da Irlanda "era necessária para evitar o risco de contágio".

Na entrevista, o ministro germânico rejeita as especulações sobre um efeito dominó em outros possíveis países da União Europeia (UE) e concretamente ressalta que "Espanha e Portugal fazem todo o possível para controlar seu Orçamento".

O ministro de Economia alemão nega qualquer ideia de retornar ao uso das antigas moedas nacionais. "Seria fatal, as consequências de deixar o euro seriam para a economia alemã um desastre: descenso da economia e da riqueza, desemprego...", garante Brüderle. O político, das fileiras do Partido Liberal (FDP), declara que "só porque existe um problema não podemos abandonar um projeto de sucesso como o euro".

Brüderle atribui parte da responsabilidade da crise atual do euro ao anterior chanceler, o social-democrata Gerhard Schröder (1998-2005), ao que acusa junto à França de ter "apressado" o Pacto de Crescimento e Estabilidade. No entanto, o ministro alemão se mostra "otimista" e acredita que a "Europa alcançou sempre com a crise e os conflitos novas estruturas que acabaram por torná-la mais forte do que antes".

Revolta popular começou....
A crise econômica de 2008 que leva aos ajustes econômicos nos países europeus está revivendo em vários países as agitações de 1968.

Com uma base ideológica que o é a "Crise do Capitalismo" ou o fim deste para muitos jovens e as guerras do Iraque e Afeganistão tornam-se os elos desta corrente.

Muitas das manifestações também tem o foco contrário às reformas estudantis e também redução de gastos na manutenção de monumentos históricos (Itália).
Segue:http://www.defesanet.com.br/mout1/riot.htm
avatar
buscador da paz

Mensagens : 311
Data de inscrição : 03/11/2010
Idade : 44
Localização : Brasília

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Luiz em Dom 5 Dez 2010 - 16:30

FIM DO EURO MUITO PRÓXIMO, SEGUNDO UM DOS ECONOMISTAS QUE AJUDARAM A CRIÁ-LO. ENTREVISTA AO O-GLOBO:


http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/12/03/wilhelm-hankel-arquiteto-do-milagre-economico-da-alemanha-diz-que-fim-do-euro-esta-proximo-923181965.asp


avatar
Luiz

Mensagens : 3014
Data de inscrição : 30/10/2010
Idade : 59
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  bushido em Dom 5 Dez 2010 - 20:39

Amigo Luiz,

Você que é o nosso "guia econômico" (guru rsrsrsrs!), me diga:

Os europeus são mais austeros na "impressora", visto que são vários países, com características econômicas e culturais próprias de cada um. Neste caso, os EUA, com sua "impressora", poderia criar um plano Marshal II?

Não seria a "salvação" do Dólar?

abraços fraternos!
avatar
bushido

Mensagens : 94
Data de inscrição : 27/10/2010
Idade : 48
Localização : por aí...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Luiz em Dom 5 Dez 2010 - 23:02

Caro amigo bushido

Antes de mais nada, quem sou eu para ser guru de alguma coisa, pobrezinho de mim rsrsrsr.

Os EUA podem emitir à vontade, já provaram que suas emissões não causaram nem causarão nenhum desastre.

Quanto a Europa, face a grande diversidade de Países e tendo em vista que um País mais rico, como a Alemanha, não está disposto a "salvar" um mais pobre, ( coisas do EGO humano, já tão bem conhecido por nós), a maior probabilidade é que o Euro desapareça e cada um fique com a sua moeda e com seus problemas, de acordo com sua capacidade econômica, esta é a diferença entre Euro e Dólar, o primeiro, refere-se a vários Países que deveriam se ajudar e provavelmente não farão, o segundo, refere-se a um único País, que por acaso, é a maior potência mundial ( ainda).

Agora, nem pensar em datas ok? rsrsrss. Quando, só Deus sabe e mais ninguém.

Forte Abraço
avatar
Luiz

Mensagens : 3014
Data de inscrição : 30/10/2010
Idade : 59
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

islandia

Mensagem  fox_2001 em Sab 26 Mar 2011 - 22:14

http://www.ionline.pt/conteudo/113267-islandia-o-povo-e-quem-mais-ordena-e-ja-tirou-o-pais-da-recessao

qual a vossa opinião

Namasté
Mário
avatar
fox_2001

Mensagens : 58
Data de inscrição : 26/10/2010
Idade : 36

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Sab 26 Mar 2011 - 22:31

Interessante. Parecem conosco aqui no Brasil... Rolling Eyes

Mas seria bom que discutissem até a exaustão esse assunto porque qualquer coisa seria melhor do que um ajuste fiscal regido pelo FMI.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Luiz em Qua 29 Jun 2011 - 15:13

MATÉRIA ESCRITA POR : Leonardo Boff

CRISE TERMINAL DO CAPITALISMO?

Tenho sustentado que a crise atual do capitalismo é mais que conjuntural e estrutural. É terminal. Chegou ao fim o gênio do capitalismo de sempre adaptar-se a qualquer circunstância.Estou consciente de que são poucos os que representam esta tese. No entanto, duas razões me levam a esta interpretação.A primeira é a seguinte: a crise é terminal porque todos nós, mas particularmente, o capitalismo, encostamos nos limites da Terra.

Ocupamos, depredando, todo o planeta, desfazendo seu sutil equilíbrio e exaurindo excessivamente seus bens e serviços a ponto de ele não conseguir, sozinho, repor o que lhes foi sequestrado.

Já nos meados do século XIX Karl Marx escreveu profeticamente que a tendência do capital ia na direção de destruir as duas fontes de sua riqueza e reprodução: a natureza e o trabalho. É o que está ocorrendo.A natureza, efetivamente, se encontra sob grave estresse, como nunca esteve antes, pelo menos no último século, abstraindo das 15 grandes dizimações que conheceu em sua história de mais de quatro bilhões de anos.

Os eventos extremos verificáveis em todas as regiões e as mudanças climáticas tendendo a um crescente aquecimento global falam em favor da tese de Marx. Como o capitalismo vai se reproduzir sem a natureza? Deu com a cara num limite intransponível.O trabalho está sendo por ele precarizado ou prescindido. Há grande desenvolvimento sem trabalho. O aparelho produtivo informatizado e robotizado produz mais e melhor, com quase nenhum trabalho. A consequência direta é o desemprego estrutural.Milhões nunca mais vão ingressar no mundo do trabalho, sequer no exército de reserva. O trabalho, da dependência do capital, passou à prescindência.

Na Espanha o desemprego atinge 20% no geral e 40% e entre os jovens. Em Portugual 12% no pais e 30% entre os jovens. Isso significa grave crise social, assolando neste momento a Grécia.Sacrifica-se toda uma sociedade em nome de uma economia, feita não para atender as demandas humanas mas para pagar a dívida com bancos e com o sistema financeiro. Marx tem razão: o trabalho explorado já não é mais fonte de riqueza. É a máquina.

A segunda razão está ligada à crise humanitária que o capitalismo está gerando. Antes se restringia aos países periféricos. Hoje é global e atingiu os países centrais. Não se pode resolver a questão econômica desmontando a sociedade. As vítimas, entrelaçadas por novas avenidas de comunicação, resistem, se rebelam e ameaçam a ordem vigente. Mais e mais pessoas, especialmente jovens, não estão aceitando a lógica perversa da economia política capitalista: a ditadura das finanças que via mercado submete os Estados aos seus interesses e o rentismo dos capitais especulativos que circulam de bolsas em bolsas, auferindo ganhos sem produzir absolutamene nada a não ser mais dinheiro para seus rentistas.

Mas foi o próprio sistema do capital que criou o veneno que o pode matar: ao exigir dos trabalhadores uma formação técnica cada vez mais aprimorada para estar à altura do crescimento acelerado e de maior competitividade, involuntariamente criou pessoas que pensam. Estas, lentamente, vão descobrindo a perversidade do sistema que esfola as pessoas em nome da acumulação meramente material, que se mostra sem coração ao exigir mais e mais eficiência a ponto de levar os trabalhadores ao estresse profundo, ao desespero e, não raro, ao suicídio, como ocorre em vários países e também no Brasil.

As ruas de vários países europeus e árabes, os “indignados” que enchem as praças de Espanha e da Grécia são manifestação de revolta contra o sistema político vigente a reboque do mercado e da lógica do capital. Os jovens espanhois gritam: “não é crise, é ladroagem”. Os ladrões estão refestelados em Wall Street, no FMI e no Banco Central Europeu, quer dizer, são os sumo-sacerdotes do capital globalizado e explorador.

Ao agravar-se a crise, crescerão as multidões, pelo mundo afora, que não aguentam mais as consequências da super-exploracão de suas vidas e da vida da Terra e se rebelam contra este sistema econômico que faz o que bem entende e que agora agoniza, não por envelhecimento, mas por força do veneno e das contradições que criou, castigando a Mãe Terra e penalizando a vida de seus filhos e filhas.


Leonardo Boff
avatar
Luiz

Mensagens : 3014
Data de inscrição : 30/10/2010
Idade : 59
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Qua 20 Jul 2011 - 15:55

Brasil teve segunda maior expansão na compra de dívida dos EUA

Quinto maior investidor nesse tipo de papel, país tem dois terços das reservas compostas por investimento na dívida norte-americana

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 19/07/2011, 13:58
http://www.redebrasilatual.com.br/temas/economia/2011/07/brasil-teve-segunda-maior-expansao-na-compra-de-divida-dos-eua

Entãuns quando o tio Sam for para o fundo do poço nois com ele juntinhooooo!!!! uma blz pura! sei não , estava na hora de vender este treco e comprar algo útil ... um jegue por exemplo, ou Parmegiano Regiano ou células foltovoltaicas...uma máquina automática para fazer estrada de ferro... , !

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Qua 20 Jul 2011 - 21:30

por Leandro Meireles
A economia mundial voltou a crescer, o globo está cada vez mais conectado, a evolução vem a galope. Mas, mesmo assim, ainda há muitos lugares em que a fome e a falta de comida é um problema grave. Nesta quarta-feira (20), a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou que duas regiões do sul da Somália, Bakool e Baixa Shabelle, estão em crise de fome.Segundo relatório da ONU, essas duas regiões já devastadas pela guerra civil naquele país agora sofrem por causa da pior seca dos últimos 50 anos, que já matou dezenas de milhares de pessoas.Mark Bowden, coordenador dos trabalhos humanitários da ONU na Somália, afirmou que a fome está cada vez mais grave na região, colocando mais vidas em risco. "A Somália está enfrentando sua pior crise de segurança alimentar nos últimos 20 anos", disse Bowden a jornalistas em Nairobi, no Quênia, nesta quarta-feira.Segundo a ONU, a crise de fome pode ser declarada em um país quando dois adultos ou 4 crianaçs morrem de fome a cada dia. Nas regiões de Bakool e Baixa Shabelle, na Somália, a ONU afirma que seis pessoas estão morrendo a cada dia de fome, enquanto mais de metade das crianças nessas mesmas áreas são subnutridas.


http://mtv.uol.com.br/memo/onu-declara-crise-de-fome-duas-regioes-da-somalia-na-africa

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Convidad em Qua 20 Jul 2011 - 21:41

Impressionante: 10 dos mais excêntricos milionários do mundo

Compartilhe: Twitter

Quase todo mundo tem um sonho de ficar rico, mas nem todo mundo consegue. Tão incomum quanto ficar rico de uma hora para outra, é gastar seu dinheiro de forma extravagante ou tomar algumas decisões pra lá de surpreendentes. Neste post, você confere 10 dos mais excêntricos milionários do mundo.

O milionário que colocou a filha para trabalhar no McDonald’s para aprender o valor do dinheiro
O primeiro-ministro tailandês, Thaksin Shinawatra, tomou uma medida bastante estranha. Colocou sua filha para trabalhar em uma das lojas do McDonald’s. Para incentivar a garota, o próprio bilionário chegou a comprar sanduiches com a filha no seu primeiro dia de trabalho.

A explicação para tal atitude, o próprio Shinawatra deu: “Nos países desenvolvidos, os jovens geralmente trabalham enquanto estudam para ganhar experiência e apreciar o valor do dinheiro e como gastá-lo”, disse ele, que também trabalhou no KFC enquanto estudava nos EUA.

Dej Bulsuk, que opera as lojas do McDonald’s na Tailândia, disse: “O primeiro-ministro veio até mim pessoalmente perguntar se poderia arranjar um emprego em tempo parcial para sua filha, durante as férias escolares. Pediu-me especificamente para tratar a sua filha tal como qualquer outro trabalhador: ‘deixe-a varrer o chão como os outros’, disse ele”.

A milionária que continua sendo enfermeira
Uma enfermeira, que ganhou mais de um milhão de euros ao vivo em um programa de TV, disse que não quer desistir do seu trabalho (que rende cerca de 30 mil euros por ano).

“O dinheiro vai mudar meu estilo de vida, mas não vai me transformar”, afirmou ela.

Karen Shand, de 40 anos, ganhou o prêmio depois de telefonar para um programa e responder a seis perguntas corretamente.

O milionário que comprou um cidade
Para Scott Alexander, não basta ser milionário e comprar carros velozes e jóias caras, ele resolveu comprar uma cidade!

A pequena cidade costeira da Bulgária foi transformada em um balneário de férias para turistas britânicos. Como ela se chama? Alexander, claro, assim como o dono.

“O nome era realmente difícil de pronunciar. Dicidi chamá-la de Alexander, que eu suponha que seja muito atrevido”, brincou ele.

A cidade custou 3,5 milhões de euros e foi comprada de um empresário búlgaro.

Ah, o milionário é solteiro e vive num apartamento de luxo em Manchester. Ele tem uma empresa (Ultimate Lifestyle Incorporated), onde oferece formação pessoal e organiza cirurgias cosméticas, propriedades e carros para celebridades. Tom Cruise, por exemplo, foi um dos seus clientes.

O milionário que foi adotado por uma tribo no Quênia
A maioria dos milionários voltam do Quênia com fotos de girafas, leões e belas histórias sobre safaris. Mas este milionário acabou voltando com o título de ancião de uma tribo Masai. Graham Pendrill é o primeiro homem branco a ganhar tal honra do grupo, depois de resolver uma disputa potencialmente violenta entre duas tribos, durante uma viagem de um mês ao país.

Na curiosa cerimônia oficial, Pendrill teve que beber urina de boi e teve o direito ao sacrifício de uma vaca em sua homenagem.

“As pessoas podem me chamar de excêntrico, mas não me incomodo”, disse ele. “Quando cheguei em casa, as minhas roupas normais faziam-me sentir estranho”, complementou.

Pendrill planeja vender sua mansão avaliada em 1,4 milhões de euros para se mudar para o Quênia e viver em um casebre de barro com os Masai ainda este ano. “Eu desenvolvi um enorme respeito e carinho pelas pessoas de lá. É uma verdadeira honra ser um ancião”, finalizou.

Milionária no mundo virtual
Os milionários geralmente fazem dinheiro no setor bancário, aplicam no mercado de ações ou investem em negócios, mas Ailin Graef mudou tudo isso. A ex-professora de língua chinesa acabou de entrar para o clube dos milionários e é a primeira pessoa a fazê-lo graças aos lucros de um mundo virtual.

Graef construiui um verdadeiro imperio no Second Life, um mundo virtual 3D onde os usuários vivem e socializam-se como fariam na vida real.

Desde que entrou para o jogo, em 2004, ela acumulou uma fortuna de quase 300 milhões de Linden (moeda do jogo). Excepcionalmente, estes dólares podem ser trocados por dólares reais dos EUA pela internet. Com a taxa de 275 Linden para 1 dólar americano, Graef ficou milionária.

O milionário infeliz por ter tanto dinheiro
Karl Rabeder cresceu pobre e achava que a vida seria maravilhosa se tivesse muito dinheiro. Mas, quando ficou realmente rico descobriu que era infeliz. Então decidiu doar cada centavo da sua fortuna de 3,5 milhões de euros para uma instituição de caridade.

“A minha ideia é não ter mais nada, absolutamente nada”, disse ele. “O dinheiro impede a felicidade.”

Ele já vendeu uma vivenda de luxo com um lago particular nos Alpes, uma propriedade de 17 hectares na França e o mobiliário e acessórios que juntou.

O milionário que abriu um banco de esperma de Prêmios Nobel
Em 1980, o optometrista milionário Robert Graham Clark, abriu um banco de esperma abastecido com “doações” dos homens mais inteligentes do mundo.

O “Nobel Prize Sperm Bank, foi criado em San Diego com o objetivo de coletar espermatozóides de vencedores do Prêmio Nobel. Mas a escassez de doadores e a baixa viabilidade dos espermatozóides (por conta da idade dos indivíduos envolvidos), obrigaram Graham a desenvolver um conjunto de critérios mais liberais.

Estes critérios foram numerosos e exigentes, como por exemplo: as receptoras do esperma eram obrigados a casar-se e os doadores do sexo masculino eram obrigados a ter um QI extremamente alto, embora o banco tenha mais tarde suavizado esta política para que pudesse recrutar atletas para doadores, além dos estudiosos.

Em 1983, o banco de esperma de Graham ficou famoso por 19 doadores geniais, incluindo William Bradford Shockley (Prémio Nobel de Física em 1956 e defensor da eugenia) e dois anônimos, também vencedores do Prémio Nobel em ciência.

Quando Repositório fechou após a morte de Graham em 1999, havia 229 bebês, nenhum dos quais foi gerado pelos vencedores dos prêmios.

Um bilionário sem teto
Conheça Nicholas Berggruen, um bilionário sem teto. Este homem vale milhões de euros mas não tem casa própria.

Depois de fazer seus milhões de milhões, Nicholas perdeu o interessem em adquirir coisas, afirmando que “comprar coisas transformou-se num fardo”. Agora, aos 46 anos, vive em hoteis. Vendeu seu apartamento em Nova Iorque, uma mansão na Flórida e seu único carro. Em testamento deixa toda a fortuna para obras de caridade e sua coleção de arte a um novo museu em Berlim.

Em 2010, a revista Forbes estimou o patrimônio de Nicholas em 1,6 bilhões de euros.

O milionário que defecou no meio da rua
Durante anos foi um mistério, até que o dono de um dos restaurantes da movimentada rua North Ryde, na Austrália, resolveu tudo. Alguém estava deixando fezes humanas na entrada do seu restaurante.

O empresário do restaurante instalou uma câmera de vigilância e as imagens levaram a polícia a um milionário de 71 anos. Salvatore Cereto é acusado de ter pessoalmente deixado os pacotes.

Os donos e funcionários de restaurantes, cafés, salões e demais estabelecimentos queixaram-se à polícia durante quatro anos.

Os policiais que o prenderam disseram que “ele disse que tinha uma boa razão para fazer isso, mas que nunca ia dizer qual era.”

O cão milionário
Lide com o fato de que existem animais de estimação que são mais ricos do que você. Gunther IV, um pastor alemão, é um exemplo disso.

O cachorro recebeu a herança do seu pai, Gunther III, um pastor alemão que recebeu a herança de Karlotta Liebenstein, uma condessa alemã. Gunther IV comprou uma casa que costumava ser usada por Madonna, em Miami, e ganhou uma rara trufa branca num leilão.

Os especialistas afirmam que a companhia de pessoas jovens, alegres e sexualmente mais ativas opera para aumentar a movimentação, humor, vigilância e outros processos cerebrais do cão que, por sua vez, gera a sua felicidade e, em última análise, melhora a saúde psicológica

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Bovespa Plunge Flashes Warning Sign Brazilian Shares May Continue Tumbling

Mensagem  sueli em Seg 8 Ago 2011 - 8:01

Olá Turma. Não encontrei o texto em português mas achei interessante.
É para O Luis, o economista nosso de plantão, nos explicar essa notícia.
Abraços fraternos.


Bovespa Plunge Flashes Warning Sign Brazilian Shares May Continue Tumbling
QBy Leon Lazaroff - Aug 5, 2011 5:51 PM GMT-0300




Brazil’s benchmark stock index, the biggest decliner among the world’s 20 largest markets yesterday, is the most oversold since just after September 2001’s terrorist attacks, according to an indicator used in technical analysis.

For Auerbach Grayson & Co.’s Richard Ross, a chartered market technician with 18 years experience, that’s a warning sign of further declines, not a signal to buy.

“When you get these oversold levels amidst the backdrop of a bear market it has to be viewed differently than when you get oversold readings in a bull market,” Ross, Auerbach Grayson’s global technical strategist in New York, said in a telephone interview. “It almost confirms the sell signal rather than piques my contrarian instincts.”

The Bovespa’s 14-day relative strength index, or RSI, sank to 18 yesterday, below the threshold of 30 that indicates fair value, according to data on technical analysis compiled by Bloomberg. The last time the RSI was lower was Sept. 14, 2001, three days after terrorists crashed two airplanes into the World Trade Center towers in New York.

The Bovespa, which entered a bear market on July 27 after plunging 20 percent from its 12-month peak in November, rose 0.3 percent to 52,949.22 today. The gauge yesterday sank 5.7 percent to its lowest closing price since July 17, 2009 on disappointing earnings growth and concern the global economy is slumping. Brazilian stocks have been showing signs of weakness for almost two years, Ross said.

“An RSI of 18 is a warning signal of just how weak the market is and how perilous things could be,” he said.

Index Climbs
In technical analysis, investors and analysts study charts of trading patterns and prices to forecast changes in a security, commodity, currency or index.

The Bovespa dropped 28 percent from last year’s peak through yesterday as inflation accelerated to the fastest since 2005 even after the central bank lifted interest rates eight times in 15 months.

Companies from Vale SA, the world’s largest iron-ore producer, to Itau Unibanco Holding SA, Latin America’s biggest bank by market value, have reported second-quarter earnings that missed analysts’ estimates. Itau’s profit was eroded after the company set aside more cash to cover an increase in bad loans.

HSBC Holdings Plc sees more defaults from consumers and small businesses during an upcoming “cooldown” of economic growth in Brazil, Emilson Alonso, the bank’s head for Latin America, said yesterday.

Slow Growth
Brazil’s retail default rate will be “a little” higher in the second half of 2011, he told reporters in Mexico City.

“Brazil is going to be a difficult place to make money in the medium term,” Michael Shaoul, chairman of Marketfield Asset Management in New York, said in a phone interview. His Marketfield Fund (MFLDX) climbed 14 percent in 2010, beating 91 percent of peers, according to data compiled by Bloomberg.

“If we are right and Brazil is entering a period of slower growth, I think corporate profitability may disappoint for a number of months and quarters,” he said. “I don’t see this as a period of weeks. This will be a period of disappointments.”

Billionaire Eike Batista’s mining company MMX Mineracao & Metalicos SA rose 8 percent today after tumbling 16 percent yesterday while Petroleo Brasileiro SA, the state-controlled oil company, extended its decline, falling 2.3 percent to 20.18 reais, its lowest level since December 2008.

Steelmaker Gerdau SA gained 0.9 percent today after sliding yesterday the most since January 2009 after reporting earnings that missed estimates.

Bond Auction
The real strengthened to 1.5781 per U.S. dollar today. Yields on Brazilian interest-rate futures contracts due in January show traders are betting the central bank may cut interest rates this year for the first time since July 2009 on speculation the global economy is headed to a slowdown.

The Brazilian government failed to sell most of the fixed- rate bonds it offered at an auction
yesterday on reduced demand for riskier assets.

After yesterday’s decline, the Bovespa traded at 8.6 times analysts’ earnings estimates, the lowest level since March 2009, according to weekly data compiled by Bloomberg.

The index rose 1 percent in 2010, its worst-ever performance relative to MSCI Inc.’s gauge of 21 developing nations’ stocks, after rallying 83 percent in 2009 as Brazil recovered from the global financial crisis.

The last time the Bovespa’s RSI was lower, on Sept. 14, 2001, the index surged 31 percent over the following three months. When the Bovespa’s RSI sank to 23 on May 20, 2010, the index rose 15 percent over the next three months.

This time, Ross says, the Bovespa is in a position of weakness rather than strength, having entered a bear market.

“It’s all about context,” said Ross, who correctly predicted last year that gold’s rally would continue. “This selloff is really an extension of a technical erosion that has been in the process for the past two years.”

To contact the reporter on this story: Leon Lazaroff in New York at llazaroff@bloomberg.net

To contact the editor responsible for this story: David Papadopoulos at
papadopoulos@bloomberg.net

http://www.bloomberg.com/news/2011-08-05/bovespa-plunge-flashes-warning-brazil-shares-may-keep-tumbling.html

sueli

Mensagens : 227
Data de inscrição : 01/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O SISTEMA FINANCEIRO DESMORONA?

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 9 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum