CENTROS PLANETÁRIOS

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fox_2001 em Seg 29 Nov 2010 - 23:18

fonte:http://www.trigueirinho.org.br/web/php/centros_planetarios.php

Os Centros Planetários são pontos focais da energia universal no planeta, atuam como captadores, transformadores e irradiadores da energia cósmica para a vida terrestre. Estão vinculados a civilizações de elevado grau evolutivo, que apoiam a realização do propósito do planeta Terra. Trabalham em conjunto, formando uma rede sutil de sete elementos, por meio da qual se exprime o governo interno do planeta.
conector2



Mapa Esquemático




Os círculos do mapa indicam as zonas aproximadas em que a irradiação desses centros é mais intensa. A energia irradiada não se limita à área assinalada. Estende-se pelo planeta inteiro, em vários níveis e dimensões.




Lis-Fátima

Em Lis-Fátima encontra-se a essência da vida divina destinada à humanidade de superfície. É o núcleo que guarda a pureza original do homem.

Sugestão de palestra para estudo: Portal para um reino


Mirna Jad

Portal da vida monádica, Mirna Jad sintetiza os passos dados pelos homens que se acercam da consciência monádica, ao mesmo tempo que impulsiona os demais a irem além do estágio que alcançaram.

Sugestão de palestra para estudo: O encontro do Templo


Aurora

Centro incumbido de efetivar o processo de cura planetária, utiliza os meios mais diretos e adequados para introduzir na vida da Terra o divino, o perfeito, o transcendente.

Sugestão de palestra para estudo: Aurora, o centro planetário


Erks

É o centro iniciático para a humanidade terrena. Desvela a vida espiritual aos que podem conhecê-la e coloca-nos diante dos limiares da existência divina.

Sugestão de palestra para estudo: A revelação que Erks nos traz


Iberah

O trabalho de Iberah destina-se principalmente à vida da matéria em si, à vida da substância que compõe todas as formas manifestadas no plano físico cósmico. Os processos de transmutação e de transubstanciação constituem instrumentos desse enigmático centro.

Sugestão de palestra para estudo: Segredos desvelados — 3


Anu Tea

O papel desse centro na vida planetária está intrinsecamente ligado à formação e desenvolvimento da consciência individual, por meio do estímulo à construção e aprimoramento do corpo da alma.

Sugestão de palestra para estudo: Segredos desvelados — 2


Miz Tli Tlan

Simbolicamente, Miz Tli Tlan tem a função de um coração planetário, por ser um núcleo que transmite a seiva vivificadora para todo o corpo da Terra. A vida divina é a pura manifestação do centro Miz Tli Tlan.

Sugestão de palestra para estudo: Recordando conhecimentos: Miz Tli Tlan, o Centro do Propósito



Textos extraídos de:
Trigueirinho, Glossário Esotérico – Uma obra dedicada aos tempos novos
7a Edição, São Paulo: Editora Pensamento, 1994.





Quadro Resumo

A coluna referente à localização no quadro é uma indicação da posição geográfica que representa o núcleo de irradiação da energia dos Centros Planetários. A última coluna destaca a qualidade de energia irradiada pelos Centros.


Os Centros Planetários

Centro Localização Irradiação
Lis-Fátima Península Ibérica Pureza original
Mirna Jad Minas Gerais, Brasil Consciência monádica
Aurora Salto, Uruguai Cura planetária
Erks Córdoba, Argentina Conhecimento iniciático
Iberah Viedma, Argentina Transmutação da matéria
Anu Tea Oceano Pacífico Consagração do conhecimento
Miz Tli Tlan Selva del Manu, Peru Regência planetária


Namasté
Mário
avatar
fox_2001

Mensagens : 59
Data de inscrição : 26/10/2010
Idade : 37

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 22 Dez 2010 - 23:16


Por Ezio Garcia

A ATLANTIDA, OS CARAÍBAS E A CIDADE DOS TELHADOS RESPLANDENCENTES


A legendária civilização atlante, segundo relatos ocultistas, desenvolveu-se e existiu numa região grande parte dela localizada debaixo do atual Oceano Atlântico –que não por acaso leva o seu nome-; e em algumas outras regiões que escaparam dos cataclismos que fizeram sucumbir o imenso continente; sendo uma dessas regiões o território onde hoje se acha o Brasil e as Américas.


Embora tais fatos não sejam, por enquanto, comprovados pela ciência oficial –sempre consumida pela cegueira espiritual e pela ignorância (no sentido de ignorar) certas verdades transcendentais, que estão acima do postulado de São Tomé – do “ver para crer”-; há no entanto uma vasta literatura a respeito, na pena de respeitadíssimos autores do mundo ocidental já citados no presente estudo, como Platão, Sólon, Pitágoras, Heródoto, Helena Petróvna Blavatsky e Dr. Mário Roso de Luna, sem contar o Professor Henrique José de Souza, fundador da Sociedade Brasileira de Eubiose; autores que produziram trabalhos hoje acessíveis para consultas de estudiosos no assunto; alguns de cunho altamente esotérico, só disponíveis aos iniciados nos mistérios maiores da história da humanidade.


Segundo essas revelações, a raça Atlante teve o seu desenvolvimento, apogeu e queda, há cerca de 4.000.000 milhões de anos, e foi a quarta raça mãe do total de sete raças mães que compõem a trajetória completa da evolução do homem na face da Terra, cada uma destas raças divididas em sete sub-raças, sendo que no momento estamos finalizando a quinta sub-raça da quinta raça mãe, a Ariana, que se seguiu à Atlântica.


O imenso império atlante era dividido em sete cidades ou cantões, dirigidos cada um por um Rei de estirpe Divina, já que na época a Divindade convivia com os homens, orientando-os e auxiliando-os na sua jornada evolucional, governados pela oitava cidade, onde ficava o poder central. Segundo a tradição, uma destas cidades, a quarta, revoltou-se contra o poder central, contra a Divindade manifestada, assassinando seus representantes, dando origem ao que ficou conhecido na história da humanidade como o grande Dilúvio Universal.


Assinalam os ocultistas que foi durante o desenvolvimento das três primeiras sub-raças –os Ramoals, Tlavaths e Toltecas-, que a civilização atlante alcançou o seu ápice, logrando grandes realizações principalmente no campo das artes e arquitetura, passando para a história como o período áureo, a idade de ouro da raça atlante.


Depois, nas sub-raças seguintes –os Turânios, Semitas, Acádios e Mongóis- veio a queda no materialismo e na magia negra, que resultou no castigo imposto pelos Deuses, não sem antes preservar as “boas” sementes de cada uma das sete sob-raças, para, em local seguro e preservado, dar continuidade a marcha das civilizações, que é verdadeiro sentido da alegoria bíblica da “Arca de Noé”.


Assim, conforme estudos disponíveis, da terceira sub- raça atlante, os toltecas, saíram correntes migratórias para as Américas (território preservado da catástrofe), mais especificamente para o Peru, México e Centro Oeste Brasileiro, dando origem, com o passar do tempo, aos Incas, Maias e Astecas.


E da sexta sub-raça, os Acádios, surgiu, no Mediterrâneo, os Pelasgos, Etruscos e Cartagineses, que falavam, conforme já vimos, a língua tupi (pelasgo-tupi), originária da Atlântida, uma vez que os aborígines em geral, de pele vermelha, são descendentes da Atlântida.

No Mediterrâneo formaram esses povos a Ordem dos Magos da Caldéia, de onde saiu CAR, fundador da Confederação dos Povos Cários, origem dos Caraíba-tupis que habitaram as Américas, e que juntamente com os Tupis (adoradores do Deus Pan –Tu-Pan, religião professada por CAR) e o Incas, formaram, na fusão da raça autóctone (poderíamos dizer, Atlântica), com o elemento ibero-europeu, a gênese da nossa raça, a raça do povo brasileiro.

Como já se disse, foram os toltecas os responsáveis pela fase de maior esplendor e glória daquela perdida civilização.


Raça soberba, formada por uma humanidade de belo porte e grande estatura, arquitetos e guerreiros, de pele castanho avermelhada, habitaram as Américas do Sul e Central, e nestas regiões construíram cidades ciclópicas, hoje soterradas pela ação do tempo, das quais as ruínas de Machu Pichu e Kuzco, no Peru, são apenas um pálido exemplo; do mesmo modo que a famosa e lendária Cidade dos Telhados Resplandecentes, ou Cidade das Portas de Ouro, por eles construída, e que para muitos, se situa na região da Serra do Roncador, onde aliás, em seu encalço, desapareceu o coronel inglês Percival Fawcet, no século passado, e de onde se conta muitas lendas, como a do Morro dos Martírios, reluzente em ouro que foi uma só vez vista por bandeirantes paulistas, etc., etc. .



fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qui 3 Fev 2011 - 11:33

SERRA DO RONCADOR - BERÇO DA NOVA HUMANIDADE.

Conforme vimos na matéria anterior, as “boas sementes” preservadas da catástrofe atlante deram prosseguimento em várias partes do globo à marcha das civilizações, tendo à frente seus chefes ou guias espirituais, verdadeiro sentido da alegoria bíblica da “Arca de Noé”; arca ou barca significando tudo o que deve ser guardado, mantido, preservado, neste caso, os valores da Sabedoria Iniciática das Idades; e Noé, que lido anagramaticamente nos dá “Eon”, sufixo grego que quer dizer, Deus, ou seja, “A Sabedoria Arcaica dos Deuses”, aportando nos diversos pontos do planeta predestinados a servirem de berço para o desenvolvimento dos diversos estágios evolutivos da humanidade.
À este caminhar constante e cíclico da evolução humana pelos continentes, fazendo surgir e desaparecer aqui e acolá poderosas civilizações, dá-se o nome de Itinerário de I.O., ou de Isis e Osíris, a parelha divina que surgiu no Egito, à frente das primeiras levas de migrações atlantes, fundando a primeira dinastia dos faraós, que durante muito tempo foi o centro irradiador da iniciação egípcia. Outros centros migratórios de mesma natureza surgiram nas Américas, nas Índias e na costa do Mediterrâneo.

Segundo nos ensina a Tradição Iniciática, os primeiros povos que habitaram o Egito foram remanescentes dos Toltecas, a vigorosa sub raça atlante, cujo império se desenvolveu com todo o seu esplendor nas Américas, mas que teve alguns de seus ramos raciais povoando o antigo Egito, como o prova a semelhança da arquitetura das famosas Pirâmides de Gizé, com as ruínas de cidades pré-históricas de Macchu Pichu e Kuzco, por eles construídas, no Peru.

Os toltecas, dizem as Revelações, foram os primeiros habitantes das Américas do Sul e Central, e deles surgiram, com o passar do tempo, os Incas, Maias, Tupis, Caraíbas, Astecas, e todas as nações indígenas autóctones de pele vermelha. Aqui construíram diversas cidades e civilizações, sendo uma delas situada no planalto que se estende pelos confins da Amazônia, Mato Grosso, o atual Estado de Tocantins e Goiás; há muitos milhares de anos.

Raça soberba, que alcançou grande desenvolvimento nas artes e na arquitetura, os toltecas foram, essencialmente, exímios construtores. Mestres nesta arte, de suas mãos laboriosas surgiram verdadeiros impérios sinárquicos, com suas cidades ciclópicas, hoje soterradas pela ação do tempo, mas que vez por outra surge aos olhos da ciência oficial, na forma dos achados arqueológicos de restos de cidades colossais (Machu Pichu e Kuzco por exemplo); de objetos de cobre, bronze, prata e ouro artisticamente trabalhados; e de inscrições rupestres talhadas em rochas e cavernas, que só no Brasil se contam em mais de 3.000 descobertas, que desconsertam todas as teorias que se tinha até então sobre a história do Brasil e das Américas.

Ao tempo da Atlântida, segundo os ocultistas, os toltecas construíram e fundaram talvez a sua principal obra, a famosa e lendária “Cidade dos Telhados Resplandecentes”, ou “Cidade das Portas de Ouro”, ou “Matatu-Araracanga” na linguagem tupi. Seu ponto de destaque era o magnífico “Templo de Ouro”, edificado no cume de uma colina, que era ao mesmo tempo Templo e Palácio Governamental, sinalizando que os dois poderes – o Espiritual e o Temporal- ali estavam unidos. Engenhosos e sábios na arte de construir, os toltecas a teriam dotado com comunicação interna (galerias subterrâneas) com todas as outras cidades construídas pela sua portentosa civilização.

Por ter sido, juntamente com as Américas, regiões preservadas da catástrofe atlante, segundo revelação do Professor Henrique José de Souza, fundador da Sociedade Brasileira de Eubiose; muitos estudiosos acreditam estar esta e outras magníficas obras dos toltecas soterradas nas florestas brasileiras, mais especificamente na região da Serra do Roncador, em Mato Grosso; protegidas pelas flechas dos Xavantes, ou “Chave dos Andes”, conforme definição do próprio Professor; numa referência à Cordilheira que atravessa toda a América do Sul, chegando até próxima ao Mar do Caribe, ou dos Caraíbas, conforme já vimos.

Foi no encalço dos vestígios desta perdida civilização que o coronel inglês Percy Harrison Fawcett desapareceu, juntamente com seu filho Jak e um acompanhante, em local ignorado da Serra do Roncador, nos idos de 1.925, num acontecimento que causou grande repercussão na imprensa mundial, despertando calorosos debates sobre o enigma da região.

Foi sobrevoando esta mesma região que o ex-presidente Getúlio Vargas teria avistado um ponto luminoso perdido na selva, que o teria impulsionado a desencadear à toque de caixa o processo de ocupação do Centro Oeste brasileiro através da Marcha para o Oeste e da Expedição Roncador Xingu.

Foi explorando ouro nesta região que quatro bandeiras paulistas, chefiadas por Bartolomeu Bueno da Silva, Prado Siqueira, Felipe Bicudo e Pires de Campos, tiveram, no fim do século XVII, a lendária visão do “Morro dos Martírios”, reluzente em ouro e pedras preciosas que reproduziam os instrumentos da Paixão de Cristo, despertando a cobiça de portugueses e espanhóis em torno do “El Dourado” brasileiro.

A legendária civilização atlante, segundo relatos ocultistas, desenvolveu-se e existiu numa região grande parte dela localizada debaixo do atual Oceano Atlântico –que não por acaso leva o seu nome-; e em algumas outras regiões que escaparam dos cataclismos que fizeram sucumbir o imenso continente; sendo uma dessas regiões o território onde hoje se acha o Brasil e as Américas.

Embora tais fatos não sejam, por enquanto, comprovados pela ciência oficial –sempre consumida pela cegueira espiritual e pela ignorância (no sentido de ignorar) certas verdades transcendentais, que estão acima do postulado de São Tomé – do “ver para crer”-; há no entanto uma vasta literatura a respeito, na pena de respeitadíssimos autores do mundo ocidental já citados no presente estudo, como Platão, Sólon, Pitágoras, Heródoto, Helena Petróvna Blavatsky e Dr. Mário Roso de Luna, sem contar o Professor Henrique José de Souza, fundador da Sociedade Brasileira de Eubiose; autores que produziram trabalhos hoje acessíveis para consultas de estudiosos no assunto; alguns de cunho altamente esotérico, só disponíveis aos iniciados nos mistérios maiores da história da humanidade.

Segundo essas revelações, a raça Atlante teve o seu desenvolvimento, apogeu e queda, há cerca de 4.000.000 milhões de anos, e foi a quarta raça mãe do total de sete raças mães que compõem a trajetória completa da evolução do homem na face da Terra, cada uma destas raças divididas em sete sub-raças, sendo que no momento estamos finalizando a quinta sub-raça da quinta raça mãe, a Ariana, que se seguiu à Atlântica.

O imenso império atlante era dividido em sete cidades ou cantões, dirigidos cada um por um Rei de estirpe Divina, já que na época a Divindade convivia com os homens, orientando-os e auxiliando-os na sua jornada evolucional, governados pela oitava cidade, onde ficava o poder central. Segundo a tradição, uma destas cidades, a quarta, revoltou-se contra o poder central, contra a Divindade manifestada, assassinando seus representantes, dando origem ao que ficou conhecido na história da humanidade como o grande Dilúvio Universal.

Assinalam os ocultistas que foi durante o desenvolvimento das três primeiras sub-raças –os Ramoals, Tlavaths e Toltecas-, que a civilização atlante alcançou o seu ápice, logrando grandes realizações principalmente no campo das artes e arquitetura, passando para a história como o período áureo, a idade de ouro da raça atlante.

Depois, nas sub-raças seguintes –os Turânios, Semitas, Acádios e Mongóis- veio a queda no materialismo e na magia negra, que resultou no castigo imposto pelos Deuses, não sem antes preservar as “boas” sementes de cada uma das sete sob-raças, para, em local seguro e preservado, dar continuidade a marcha das civilizações, que é verdadeiro sentido da alegoria bíblica da “Arca de Noé”.

Assim, conforme estudos disponíveis, da terceira sub- raça atlante, os toltecas, saíram correntes migratórias para as Américas (território preservado da catástrofe), mais especificamente para o Peru, México e Centro Oeste Brasileiro, dando origem, com o passar do tempo, aos Incas, Maias e Astecas.
E da sexta sub-raça, os Acádios, surgiu, no Mediterrâneo, os Pelasgos, Etruscos e Cartagineses, que falavam, conforme já vimos, a língua tupi (pelasgo-tupi), originária da Atlântida, uma vez que os aborígines em geral, de pele vermelha, são descendentes da Atlântida.

No Mediterrâneo formaram esses povos a Ordem dos Magos da Caldéia, de onde saiu CAR, fundador da Confederação dos Povos Cários, origem dos Caraíba-tupis que habitaram as Américas, e que juntamente com os Tupis (adoradores do Deus Pan –Tu-Pan, religião professada por CAR) e o Incas, formaram, na fusão da raça autóctone (poderíamos dizer, Atlântica), com o elemento ibero-europeu, a gênese da nossa raça, a raça do povo brasileiro.

Como já se disse, foram os toltecas os responsáveis pela fase de maior esplendor e glória daquela perdida civilização.

Raça soberba, formada por uma humanidade de belo porte e grande estatura, arquitetos e guerreiros, de pele castanho avermelhada (Cadernos Fiat Lux-pag.17-SBE), habitaram as Américas do Sul e Central, e nestas regiões construíram cidades ciclópicas, hoje soterradas pela ação do tempo, das quais as ruínas de Machu Pichu e Kuzco, no Peru, são apenas um pálido exemplo; do mesmo modo que a famosa e lendária Cidade dos Telhados Resplandecentes, ou Cidade das Portas de Ouro, por eles construída, e que para muitos, se situa na região da Serra do Roncador, onde aliás, em seu encalço, desapareceu o coronel inglês Percival Fawcet, no século passado, e de onde se conta muitas lendas, como a do Morro dos Martírios, reluzente em ouro que foi uma só vez vista por bandeirantes paulistas, etc., etc. [b]

http://aleidaatracao.blogspot.com/2009/02/serra-do-roncador-cidade-dos-telhados.html

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Sab 5 Fev 2011 - 11:39

Olá amigos,

Continuando com os posts sobre a Serra do Roncador, que eu conheço pessoalmente.Vejo muitas cópias de artigos por pessoas que jamais estiveram lá e esntão sai muitas coisas erradas como essa história dos índios morcegos. Se eles existem não é nessa serra que eles moram. Uma das entradas mais importantes para o mundo subterrâneo fica bem perto de Barra dos Garças e ao lado da estrada. Certo é que existe uma entrada física também, porém não é certo que qualquer pessoa pode encontrar. O lugar é simplesmente estonteante...as serras em volta de Barra dos Garças... porém é necessário saber ver, olhar e ver. Eu só recentemente consegui associar O Roncador com Paititi e logo depois tive a confirmação dessa hipótese. Evoluindo...
A misteriosa Z...Z de Ibez...
Os índios me contaram que nas suas caçadas, eles acampam por dias no alto das serras e lá, durante a noite principalmente eles ouvem vozes misteriosas que vem de debaixo dos seus pés.
A estatueta de basalto (muito estranha) não representa um sacerdote e sim uma sacerdotisa...
As pedras são um desafio para mim também.


UMA CIDADE SUBTERRÂNEA NAS SELVAS DO BRASIL
No imenso estado brasileiro de Mato Grosso (901.420 Km ²), se esconde um enigma de proporções similares a geografia que enfrentamos. No sector de suas chapadas ―um terreno em verdade complicado, com zonas baixas e pantanosas―, no coração das denominadas Serras do Roncador, se encontra um mundo perdido que se protege diante de sua indócil selva e as flechas dos guerreiros índios do Parque Xingu.

Um cenário que parece ter sido extraído de um filme de ficção cientifica. Não obstante, ao dar uma olhada nesta paisagem, é inevitável associá-lo com o mistério do Paititi.

Ainda mais ao encontrar claros indícios que aponta a uma raça de seres superiores que viveriam nas entranhas da Terra (outros pontos no mundo tambem mencionam) e que estariam custodiando a “verdadeira historia da humanidade, sua origem e missão”. Uma historia fascinante mas ao mesmo tempo difícil de crer. Será possível?

Há muito tempo se mencionou a zona do Roncador como um lugar que “esconde” uns dos ingressos a esse místico e esquivo mundo subterrâneo. Um ponto no mundo que é rico em diversas lendas e, também, em mistérios. Não em vão, que em 1925, o investigador George Lynch salientou na prestigiosa revista Science at Vie que em Mato Grosso se encontra a origem de todas as civilizações do ocidente.

Recordamos que neste mesmo ano, o Coronel inglês Percy Harrison Fawcett (medalha de ouro da Real Sociedade de Geografia de Inglaterra e chefe da comissão encarregada de delimitar as fronteiras entre Peru e países vizinhos) levou a cabo uma arriscada expedição nestas selvas indomáveis, de onde nunca mais regressaria.

A desaparição de Fawcett, devido a seus credenciais e reconhecimentos, acendeu um interesse inusitado nesta região do Brasil. Mais de um investigador se perguntava que havia ocorrido realmente com este Coronel que mais tarde inspiraria em Steven Spielberg ao famoso personagem de Indiana Jones, que, ao igual que Fawcett, se submergia na selva e outros pontos do mundo buscado desvelar os mistérios. ¿Tudo isto é somente ficção?

A ESTRANHA DESAPARIÇÃO DO CORONEL FAWCETT

O inquietante era que Fawcett partiu em busca de uma cidade secreta no Roncador, denominada por ele “Z”. E até a data, a mais de sete décadas de sua expedição, não se sabe a ciência ao certo o que ocorreu com o experiente Coronel, que desapareceu em meio das selvas do Xingu com seus dois acompanhantes, seu filho Jack, de 22 anos, e o fotógrafo Raleigh Rimmel.
Um detalhe intrigante em torno da sua desaparição foi revelado em 1952 por outro de seus filhos, Brian, quem afirmou, com total certeza, que se, seu pai entrou naquela cidade perdida que buscava, e que a “gente” de ali não o deixaram sair...
A própria esposa do Coronel havia sustentado que quando viviam no extremo Oriente apareceram uns homens estranhos que lhe anunciaram feitos extraordinários para o futuro da família, antecipando, incluso, o destino de Fawcett. Esses homens seriam “emissários” da denominada Irmandade Branca ou “Academia Invisível” que vigia o mundo. Segundo se crê um conjunto de elevados Mestres que protegem os segredos da Terra. Aqueles seres estariam vinculados a lenda de Shambhala, que mais de um Lama conhece, mesmo que nesta ocasião estaríamos enfrentando o mesmo panorama nas selvas e montanhas de America do sul.

A tudo isto se somou ao descobrimento científico de Machu Picchu por Hiram Binghan, em 1911, feito que daria ao Coronel maior força a sua convicção de partir a Serra do Roncador, que deve seu singular nome aos estranhos sons que parecem surgir do solo.

Outro feito inexplicável já que o vento não pode gerar tremendos fragores que parecem gerar-se na entranhas do lugar. E já se descartou qualquer tipo de atividade sísmica na zona. Então, quem ou o que gera esses sons, que as vezes são metálicos ou mecânicos?

O explorador, sabia que em Brasil ―assim como em outras regiões ainda sem investigar de América do Sul― jaziam escondidas, ocultas, ancestrais cidades de pedra, enterradas baixo o conveniente manto selvatico. Já nas suas viagens pelo continente, Fawcett havia ouvido dizer dos “índios loiros, de olhos azuis”, como remanescente de uma perdida cultura que chegou de terras longínquas logo após um cataclismo.

Todos estes dados lhe aventuraram em 1921 a buscar a cidade perdida de Bahia. O certo é que, a margem daquela silenciosa pesquisa ―pouco se sabe em realidade o que encontrou Fawcett y decidiu calar― existe uma jazida arqueológica na Bahia, concretamente em Igatú, perto de Andarai, em plena meseta Diamantina.

Alguns a chamam, inclusive, “A Machu Picchu brasileira”.

É importante dar um olhada neste mistério em Bahia pelo fato desta cidade aparecer no “manuscrito 512”, que se conserva na Biblioteca Nacional de Rio de Janeiro. A existência deste enclave, e as revelações deste manuscrito, puseram a Fawcett trás uma “pista”. Vejamos o que diz o manuscrito.

O MANUSCRITO 512
Havia aparecido a mediados do Séc. XIX com o controvertido título: “Relação histórica de um oculto e grande povoado antiqüíssimo sem habitantes que se descobriu no ano 1753”.
O documento, carcomido em parte, inicia seu relato narrando uma expedição de bandeirantes ao interior de Brasil. O grupo havia partido de São Paulo. Graças a um cervo branco ―que saiu do nada― foram guiados até as mesmíssimas ruínas de uma cidade de pedra. Os aventureiros, logo depois de penetrar em um vale de selva densa e inumeráveis riachos, se encontraram atônitos diante uma entrada formada por “três arcos de grande altura”, coroados com inscrições. Então entraram. E ali descobriram, no centro de uma praça desta cidade abandonada, uma coluna de pedra negra, coroada pela estatua de um homem sinalando com a Mao direita em direção norte...
O manuscrito narra outros detalhes extraordinários desta expedição que aumenta ainda mais sua intriga. Seu testemunho, sem duvida, incita a lançar-se em busca daqueles mistérios. Mas, quem foi o autor? Ao estar parcialmente corcomido, certas partes do documento se perderam, e talvez entre elas o nome que buscamos. Alguns historiadores, como era de se esperar, prantearam a possibilidade de ser uma farsa bem urdida. Afortunadamente, o historiador Pedro Calmón, logo de um minucioso estudo, conseguiu identificar ao autor do manuscrito 512: o capitão Joao da Silva Guiamares, falecido entre 1764 y 1766.
O texto foi encontrado por primeira vez entrando no Séc. XIX em uma das estantes da Biblioteca Pública da Corte de Rio de Janeiro. Logo se reproduziu no primeiro número da revista do Instituto, exatamente no ano 1839.
Fawcett conhecia a narração deste insólito documento, e as possíveis “pistas” que outorgava para encontrar outras cidades perdidas em Brasil. Não obstante, o estímulo mais poderoso com que contava o Coronel para penetrar o Mato Grosso, era outro. E Tal vez tão inquietante como o mesmo manuscrito.

O ATLANTE DE BASALTO

O que motivou finalmente a Fawcett a partir em busca de “Z” na perigosa Serra do Roncador radicada em uma estranha estatueta de estilo egípcio feita em basalto negro (roca vulcânica vitrificada).
O objeto havia chegado a suas mãos graças ao famoso novelista Sir Rider Haggard ―autor da fascinante obra “As minas do Rei Salomão”― quem a conseguiu em Brasil a finais do século XIX.
A través da investigação psíquica ―como a psicometria― se determinou que a estranha estatueta, de uns 25 cm. de altura, provinha possivelmente de Atlântida, sendo resgatada por um sobrevivente que a manteve em sua custodia em uma cidade de pedra, escondida nas selvas de América do sul.

O curioso é que a estatueta representava a um possível sacerdote sustentando uma taboa com inscrições com 24 estranhos signos que esperavam ser decodificados. Fawcett conseguiu decifrar 14 destes símbolos ao encontrar-los em peças de cerâmica pré-histórica procedentes do Brasil. E se pensa que os utilizou como “coordenadas” para alcançar seu objetivo.

Outros pensam que a escritura se tratava em realidade de uma espécie de “contra-senha” ou “senha de acesso” ao mundo perdido do Roncador. E ainda que tudo isto pareça demasiado alucinante como para aceitar, existem diversos estudos sérios sobre a inscrição que esgrime a estatueta.

O reconhecido estudioso argentino Aldo Ottolenghi, na sua obra “Civilizações Americanas pré-históricas” (1980) aborda em cheio o mistério desses signos, que diga o investigador ―experto mundial no estudo de escrituras ancestrais― pelas complexas e exatas características como linguagem arcaico constitui uma prova de sua autenticidade. Por alguma razão, aquela estatueta chegou às mãos de Sir Haggard para que, finalmente, Fawcett a possui com a ratificação de uma viagem que vinha pensando realizar.
O objeto ―como se tratasse de uma profecia― acompanhou ao ousado explorador inglês em seu último e estranho viagem ao Mato Grosso. Tinha que devolver-lo a seu lugar de origem?

A similaridade deste episodio com a Pedra de Chintamani que portava Nicolas Roerich no deserto de Gobi e as montanhas do Altai para ser “devolvida” a Shambhala, é sugerido.
Por um lado, a denominada “Pedra de Orión” representava as forças cósmicas, ao tratar-se do fragmento de um presunto meteorito.
E a estatueta de Fawcett, ao ser de basalto, fecharia a energia telúrica do planeta. Mais longe de um ato simbólico, em tudo isto parece deslizar-se certas transmissões de energia ao levar estes objetos aos Retiros Interiores. Temos que nos perguntar se aquelas viagens foram induzidas pelos mesmos “Mestres Invisíveis”.

MATALIR-ARARACANGA: A CIDADE QUE TROVEJA

O nome "Roncador" vem do fato do vento passar pelos paredões rochosos durante a noite, produzindo um som grave que se assemelha ao ronco de uma pessoa dormindo, mas Cidade que troveja é o nome onde muitos identificam a cidade intraterrestre da Serra do Roncador.
E como mencionei anteriormente, deve sua denominação ao estranho ruído, as vezes como de “trovoes”, e outras ocasiões como de “máquinas”, que parece surgir do solo e não dos ventos. Matalir-Araracanga seria a cidade subterrânea que gera aqueles “sons”.
Mesmo não necessariamente podia corresponder a pretendida tecnologia dos intraterrestres. Alguns místicos supõem que em verdade nos encontramos diante dos mantras ou cânticos sagrados dos habitantes subterrâneos do Mato Grosso. Como seja, este fenômeno, cabe mencionar, foi escutado também em outros pontos de similar característica em todo o mundo, incluindo o próprio deserto de Gobi.

No caso desse tema que comparte China e Mongólia, se ouviram muitas vezes que as caravanas que atravessavam o deserto asiático derrepente escutavam um “canto antigo” sair das entranhas da terra. Imediatamente tudo ficava em silencio. Até os animais que venham com a caravana se encontravam imóveis, sobrenaturalmente tranqüilos. Incluso o vento, freqüente daqueles locais, também, misteriosamente, se havia calmado. Ao cabo de uns instantes mais, tudo voltava a normalidade. Os lamas afirmam que isto sucede quando o Rei do Mundo, o Supremo Mestre de Shambhal segundo suas crenças, está orando pela humanidade.

Acredita-se que seres evoluídos possuem cidades subterrâneas cujas entradas ficam escondidas no meio da serra.
Ao meio da serra há um lago chamado de "o Portal". Essa Lagoa é misteriosa por possuir águas extremamente cristalinas e não haver nenhum ser vivo dentro dela. Segundo a crença esotérica, deve-se mergulhar nesta lagoa para se ter acesso a Atlântida.
Outro acesso seria uma enorme rocha de cristal perfeitamente redonda e transparente, medindo aproximadamente 10 metros de diâmetro. Os ancestrais dos Índios Xavantes, utilizavam essa rocha como espelho.

Envolto em mistérios, o destino do militar britânico continua obscuro. Do pouco que existe de concreto sobre o assunto, sabe-se que Fawcett estava confiante no sucesso de sua expedição. Na última correspondência enviada a sua esposa, ele afirmava: “Vou me encontrar com índios selvagens em breve, mas você não deve temer nenhum tipo de fracasso”.

NOTA: Este artígo é uma adaptaçao do livro “Uku Pacha: O Mundo Subterrâneo da Irmandade Branca”, de Ricardo González.
continuaçao: Terra oca e intraterrenos 2 - Teoria

http://adnuntiatum.blogspot.com/2010/04/serra-do-roncador.html

Se interessa o tema, mais links sobre a Serra do Roncador:
http://filosofia-esoterica.blogspot.com/2010/03/serra-do-roncador.html
http://www.barradogarcas.com/TrmSerraRoncador.asp







fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 16 Fev 2011 - 13:44

Quinta-feira , 08 de Abril de 2010

Brasil, pátria de Maitreya Buddha


O Brasil é a Terra do Fogo Sagrado, onde se encontra o Quarto Ramo da G:.F:.B:. e pátria do Avatara Maitreya.
O Trabalho do Senhor de Shamballah prossegue vitorioso, a despeito de todos os obstáculos que enfrentou.

Amparado pela Grande Loja de Ibez no âmago do Roncador, o Senhor de Shamballah conquistou muitas vitórias para a Luz.
Do Centro de Ibez surge Omkaarambindu Agni Yoga, o método iogue para a Sexta Raça Raiz.
"O Trabalho dos Grandes deve Prosseguir" profere um mantra da Grande Loja da Luz.
O Trabalho de Maitreya prossegue pleno na Terra.
A sincera devoção a Maitreya Buddha produz no devido tempo a experiência do samadhi ao aspirante.
A Era de Maitreya é a Era do Ressurgimento de Kalachakra através de Omkaarambindu Agni Yoga.

14 de fevereiro de 2010


Sri Suryan Om


fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 16 Fev 2011 - 13:51

continuando...

Os Mistérios de Ibez


O dia 07 de fevereiro é um dia especial para aqueles que conhecem os Mistérios de Ibez na Terra.

Duas Pedras, uma proveniente da constelação de Perseu e outra de Órion, intensificam o Poder da Hierarquia de Ibez neste orbe. Ambas as Pedras são encontradas em algum momento no Oriente e em outro no Ocidente. Estas Pedras acompanham, dinamizam e irradiam a Energia do Senhor de Shamballah na Terra. E saem de seus abrigos subterrâneos quando o Senhor de Shamballah manifesta-Se na face da Terra.

O Senhor de Shamballah e o Senhor de Ibez São o Mesmo Ser. O Atual Senhor de Shamballah é o Sucessor de Rigden Jyepo.

No dia 07 deste ano de 2010 um novo ciclo iniciou-se e outro foi encerrado. Tais ciclos obedecem aos novos ritmos cósmicos estabelecidos na Terra pelo Senhor de Shamballah.

A Idade Ouro já é uma realidade neste planeta, mas os efeitos nocivos de Kali Yuga ainda afetarão o planeta por séculos.

O Trabalho de Ibez prossegue na Terra conforme planejado há milhares de anos.

O Raio do Nono Logos foi atraído para a Terra. Uma Pedra representa Tara a Deusa Mãe, a outra Pedra, Shiva, o Deus Pai do Universo.

Shiva e Tara estão encarnados na Terra, pois estamos na Sathya Yuga, a Idade dos Deuses Encarnados.

Vishnu e Lakshmi também estão encarnados na Terra, conforme as Sagradas Profecias do Vishnu Purana para estes tempos.

A deusa Maya ilude os seres humanos, pois a despeito das muitas tragédias mundiais os tempos atuais são sagrados.
Os homens de Kali Yuga desdenharam dos ritmos cósmicos, mas os do futuro aprenderão a beleza do ritmo de Mahavan.
Quando isso acontecer as tragédias serão somente histórias do passado sombrio da humanidade.

As Pedras de Shiva e de Shakti desempenham o seu papel oculto e indispensável no mundo.


07 de fevereiro 2010

Sri Suryan Om

http://omkaarambinduagniioga.zip.net/

[color=blue]

Kalachacra: significa a roda do tempo em sânscrito

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 16 Fev 2011 - 22:21

Estátua do faraó Amenhotep III é localizada no sul do Egito


Descoberta da terceira estátua do rei na cidade de Luxor aponta para a possibilidade de que existam mais estátuas na região


http://4.bp.blogspot.com/_BnGsyb4rTpI/TUQagxjpwmI/AAAAAAAAA58/4RoCi8hyokY/s400/8utodxpzwkbc7hkf6okj4ytih.jpg


Uma equipe de arqueólogos egípcios descobriu uma estátua do faraó Amenhotep III (1410-1372 a. C.) na cidade monumental de Luxor, a 600 quilômetros ao sul do Cairo, informou  o ministro de Cultura egípcio, Farouk Hosny.(janeiro/2010)

(.......)
O comunicado adianta que as escavações prosseguem no local para desenterrar as outras partes da estátua, que calculam possa ter 3 metros de altura.

Amen-hotep III foi um faraó da XVIII dinastia epícia. O seu longo reinado de cerca de quarenta anos correspondeu a uma era de paz, prosperidade e de esplendor artístico no  Antigo Egito. Estima-se que governou entre 1389 a.C.- 1351 a.C. ou entre 1391 a.C. - 1353 a.C.

Era filho do rei Tutmés IV e da rainha Mutemuia. Acedeu ao trono quando ainda era uma criança, talvez aos dez ou doze anos.

Casou com Tiyi, uma jovem que não era oriunda do meio nobre. Por altura do seu casamento fabricaram-se escaravelhos comemorativos com cerca de dez centímetros, nos quais se comunicava o nome do pai e da mãe da noiva (Yuya e Tuya respectivamente). Estes objectos foram enviados um pouco por todo o Egipto e também para o estrangeiro. O irmão de Tiyi, Anen, viria a exercer altas funções como sacerdote de Ámon.

Olá amigos,

vi outra foto da estátua e ela se encontra ao lado da estátua de Hórus e não de Amon.
Quero acrescentar que este faraó foi uma encarnação de Serapis Bey, Mestre do 4o raio branco da Ascensão. Serapis Bey hoje é o hierofante de Luxor e tem uma evolução Angélica, é um Serafim. Também chamado de Deva dos Devas (Deva quer dizer Anjo).

fadinha


Última edição por fadinha em Dom 16 Jun 2013 - 13:08, editado 1 vez(es)

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Ter 19 Jul 2011 - 13:18

O conceito da existência de cidades situadas em outros planos dimensionais é uma constante ao longo da história, e muitos médiuns e canalizadores têm recebido mensagens de seus habitantes.

Gilberto Schoereder
Foto: Jeferson Rodrigues.


Hoje em dia, a noção de que nosso planeta não é exatamente aquilo que pensamos – ou não é apenas aquilo que conseguimos ver – já se tornou comum. Filmes como Matrix, por exemplo, trabalham a partir desse conceito, popularizando ideias bem mais antigas e ainda mais complexas.

Os sábios e místicos das mais antigas civilizações do planeta já afirmavam isso, entendendo que o mundo é composto por diferentes camadas de realidades, sendo que a maioria das pessoas só consegue ter a percepção clara de uma delas. No entanto, sob determinadas circunstâncias – que variam de pessoa para pessoa – alguns indivíduos conseguem atingir a capacidade de ter percepções mais ou menos nítidas dessas outras camadas de realidade. Seria como se elas convivessem conosco, invisíveis, à nossa volta, de vez em quando interferindo em nossa própria realidade imediata, com portais ou passagens abrindo-se por algum tempo, permitindo algum tipo de relacionamento entre as diferentes dimensões que pode ser mais ou menos intenso dependendo da situação. Certos procedimentos ou padrões mentais permitiriam o acesso limitado a essas outras dimensões, da mesma forma que, em certas ocasiões, a realidade dessas dimensões poderia se manifestar em nosso mundo.

A manifestação dessas realidades poderia ocorrer de diversas formas, desde o surgimento inesperado de algum objeto em nosso mundo, até a visão de cidades e de entidades que habitam essas dimensões. Sim, porque se supõe que as demais dimensões, ou pelo menos algumas delas, sejam habitadas por seres que, às vezes, são vistos como sendo quase deuses, outras, como quase humanos. Eles também entram em contato com nossa realidade enviando mensagens, as chamadas canalizações de que tanto se fala atualmente, ou mesmo as mensagens recebidas pelos médiuns espíritas.

Esse antigo conhecimento sobre a multiplicidade de universos ou realidades se encontra na base do desenvolvimento de muitas crenças religiosas – algumas das quais existem ainda hoje – e também do surgimento de inúmeras posturas e pensamentos da chamada Nova Era, que, por sua vez, foram bastante influenciados pelas religiões e filosofias orientais. Por exemplo, as referências à existência de um "mundo invisível", encoberto dos simples mortais pelo "véu de Maya", são constantes na espiritualidade hindu.

Hoje em dia, essas noções também fazem parte da especulação e de pesquisas científicas – ainda que muito pouco comentadas abertamente –, especialmente na concepção dos chamados universos ou dimensões paralelas. A noção é comum, por exemplo, na literatura e cinema de ficção científica, e se desenvolveu a partir de alguns aspectos da teoria quântica. O Prêmio Nobel de Química, Ilya-Prigogine (1917-2003), disse que um exemplo claro da relação entre a religiosidade hindu e a moderna teoria quântica pode ser percebida pela simples análise de uma imagem do deus Vishnu, na qual ele se encontra deitado, sonhando com o mundo, e é seu sonho que torna o mundo real; quando Vishnu acordar, o mundo deixará de existir.

Os relatos sobre a existência de cidades em outras dimensões são bem complexos, frequentemente com detalhes minuciosos. Às vezes, esses relatos surgiram – e ainda surgem – de comunicações mentais ou visões; mas em alguns casos, eles envolvem possíveis visitas físicas às cidades, países ou outras terras, geralmente maravilhosas e espiritualmente superiores ao ambiente terrestre.

Também existem informações confusas com relação ao local exato em que algumas cidades se situam. Algumas das mais famosas – como Shamballah e Agartha – algumas vezes são tidas como existentes numa dimensão paralela; outras como cidades subterrâneas, ou até como cidades subterrâneas e ao mesmo tempo situadas em outra dimensão.

Aqui mesmo na América do Sul são relatados exemplos de cidades desse tipo, muitas vezes relacionadas à presença de seres extraterrestres na Terra. A Ordem Quaternária dos 49, por exemplo, se refere à existência da chamada Cidade dos Sete Planetas, construção subterrânea na Cordilheira dos Andes, visitada por Polo Noel Atan, que, por sua vez, foi quem orientou a formação da Ordem, em 1977.

Trigueirinho, muito conhecido nos meios esotéricos e ufológicos brasileiros, também se referiu à existência de cidades subterrâneas como Erks, que estaria situada na região de Córdoba, na Argentina, MizTliTlan, em algum ponto dos Andes, e Aurora, na região de Salto, no Uruguai. São cidades subterrâneas, mas que igualmente existem num outro plano dimensional e, segundo se diz, podem começar a se manifestar mais claramente no mundo material quando chegar o “momento propício”. Essas cidades seriam habitadas por intraterrenos, por energias intergalácticas e por seres extraterrestres. Os intraterrenos, mais evoluídos do que nós, habitantes da crosta, não estariam mais sujeitos aos ciclos evolutivos da humanidade, vivendo até 650 anos; também seriam capazes de se deslocar por diferentes dimensões. Mais evoluídas do que eles seriam as raças extraterrestres ou cósmicas.

Essas cidades também são chamadas de "espelhos", servindo como pontos de comunicação com as naves especiais em torno da Terra e as galáxias de onde elas teriam vindo. Mais do que isso, as cidades teriam como função despertar novos níveis de espiritualidade nos habitantes da superfície.

Na Serra do Roncador, no Brasil, também surgiram relatos de "passagens" que levariam a cidades ocultas, situadas numa dimensão espiritual à qual apenas algumas pessoas teriam acesso. Foi nessa região que se fundou o Monastério Teúrgico do Roncador, iniciado pelo Hierofante Udo Oscar Luckner (1925-1985) – autor do livro Mistérios do Roncador (1981). Luckner afirmava que a civilização subterrânea, cujo acesso se obtinha em algum local da região, tinha relação com a civilização inca e com a Atlântida; os membros da "engenharia cósmica" ligados à existência da cidade já estariam há dez mil anos atuando em várias regiões do Brasil.

O que parece claro é que o contato com esses locais e com os seres que lá vivem é bem restrito, seja a pessoas com um desenvolvimento espiritual mais aprimorado, seja a pessoas com capacidades psíquicas mais desenvolvidas. Em alguns casos, como nos relatos do antigo Egito, as terras do além eram vistas como lugares maravilhosos que só podiam ser acessados pelos espíritos dos mortos, mas que eram apresentadas como verdadeiros países, com tudo aquilo que a existência material proporcionava.

Nesse sentido, esses relatos se assemelham às descrições das cidades espirituais do Espiritismo, especialmente às descrições do Nosso Lar. O relato da existência da cidade chamada Nosso Lar foi fornecido pelo espírito André Luiz ao médium Chico Xavier, no livro com o mesmo nome, e certamente chamou a atenção pela riqueza de detalhes sobre a vida nesse local situado em outra dimensão. Esse plano espiritual estaria muito próximo do nosso, e nele o espírito dá seguimento à sua existência, inclusive mantendo algumas das sensações que tinha em vida, sentindo alterações de temperatura, fome, sede, etc.

O Sol, a Lua e as estrelas que existem nessa cidade são as mesmas que na Terra, uma vez que a esfera espiritual é vizinha à nossa. Mais que isso, a cidade é apresentada como possuindo uma organização digna de qualquer cidade terrestre, ainda que ordenada. Tem administradores, ministérios, edifícios, casas, animais domésticos, meios de transporte, fábricas que preparam sucos, tecidos e outros artefatos. Os desencarnados que lá vivem trabalham e recebem ordenado.

E, segundo as informações do espírito André Luiz, o Nosso Lar é apenas uma das muitas colônias espirituais existentes em outras dimensões, cada qual com suas particularidades e preparadas para receber os que deixam a vida na Terra.

As informações sobre as mais variadas cidades que existiriam em outros planos vêm sendo fornecidas tanto pelo contato direto que algumas pessoas têm com essas realidades, como por meio de contatos entre os seres que nelas habitam e os terrestres.

Algumas crenças já se referiram à existência de sete planos ou níveis diferentes de realidade, cada qual um pouco mais afastado de nosso plano imediato. Assim, quanto mais distante se encontrasse o plano, mais difícil seria o contato. Os fantasmas, por exemplo, seriam os seres que ainda estariam num plano muito próximo da Terra, presos à realidade material e enfrentando dificuldades para se livrarem da existência anterior e realizar a passagem aos níveis mais elevados ou planos superiores.

No entanto, se fôssemos nos concentrar apenas na especulação científica, não haveria motivo para se pensar em apenas sete planos dimensionais: o número de dimensões paralelas possíveis, na verdade, poderia ser infinito.

Alguns estudiosos do assunto, ligados às mais variadas crenças e religiões, têm dito que, ultimamente, tem se tornado mais fácil acessar os níveis mais imediatos. Alguns chegam a dizer que está ocorrendo uma aproximação entre o plano material e o plano espiritual que se encontra mais perto da Terra, como se eles estivessem se mesclando. Essa seria a razão do número crescente de contatos, seja por meio de mensagens psicografadas, seja por meio das chamadas canalizações, ou mesmo por contatos diretos em projeções astrais que permitiriam aos indivíduos encarnados atingir esses níveis superiores.


É verdade que as informações e mensagens desses contatos estão cada vez mais complexas e, certamente, mais confusas, uma vez que as comunicações têm sido atribuídas não apenas a espíritos, mas também a seres extraterrestres, que estariam vivendo numa dessas dimensões paralelas e trabalhando em conjunto com os espíritos mais avançados.

Para falar o mínimo, é uma questão cabeluda. Há quem diga que os contatos com extraterrestres não devem ser confundidos com os contatos espirituais; outros afirmam que é tudo a mesma coisa, ou seja, que as mensagens atribuídas aos extraterrestres estão sendo mal interpretadas, e que na verdade são contatos com espíritos; outros, ainda, garantem que os extraterrestres que se comunicam com médiuns são seres de uma espiritualidade elevada, e que atuam nos planos espirituais com a mesma facilidade com que atuam no plano físico.

Uma investigação, então, deveria ser feita no sentido de tentar descobrir se estamos falando de diferentes dimensões, habitadas por diferentes seres, ou se é tudo a mesma coisa, e cada médium ou canalizador interpreta as mensagens que recebe de maneira diferente, cada qual passando as informações por seu próprio filtro – cultural, religioso, espiritual.

Obviamente, isso tudo considerando que as mensagens são dignas de crédito e que não se trata de um fenômeno completamente diferente, como alguns investigadores entendem. Em geral, os cientistas descartam essas narrativas como sendo alucinações, esquizofrenia, fraudes deliberadas ou outros fenômenos de natureza psicológica ou de estimulação eletromagnética dos lobos temporais, como propôs o dr. Michael Persinger, psiconeurofisiólogo canadense que realizou pesquisas o assunto. Ele afirmou ter conseguido reproduzir em laboratório a chamada "sensação de presença", fenômeno em que a pessoa que tem os lobos temporais estimulados vê nitidamente um fantasma ou mesmo um ser extraterrestre próximo de si. Recentemente, outros cientistas refutaram essas experiências, mas parte da comunidade científica continua entendendo que os fenômenos de canalização e visões de outras dimensões têm explicação no funcionamento do cérebro.

Qualquer que seja o rumo que se dê às investigações e especulações, o conceito da existência de cidades espirituais ou dimensionais é estimulante e possibilita inúmeras discussões. Quais seriam, por exemplo, os pontos em comum entre as narrativas do espírito André Luiz a respeito do Nosso Lar e outras visões de possíveis dimensões paralelas à nossa, encontradas em várias partes do planeta?

Para alguns pesquisadores de fenômenos insólitos, os contatos com outras dimensões de existência são uma realidade, registrados pelas mais variadas culturas ao longo da história. Mais que isso, alguns afirmam que existem locais específicos na Terra em que existiriam passagens entre as dimensões, passagens que podem estar mais ou menos evidenciadas. Existem relatos de cidades maravilhosas que, em determinados momentos, podem ser vislumbradas em alguns locais do planeta, seja no deserto do Arizona, seja na Antártida, seja no meio do oceano, onde ilhas aparecem e desaparecem misteriosamente, como se uma porta tivesse sido aberta repentinamente, propiciando a visão de uma outra realidade, para em seguida se fechar novamente.

Outro ponto interessante em comum entre as diferentes narrativas, por exemplo, está no fato de que algumas pessoas entendem que as orações funcionam como uma espécie de ferramenta para se atingir outros níveis ou, utilizando-se de outro tipo de linguagem, "abrir uma passagem" para outra dimensão. De forma semelhante, alguns contatados por extraterrestres se referem à elevação do “nível vibratório” como meio para se atingir um plano superior e receber ou canalizar as mensagens desses seres. Fala-se que os mantras indianos igualmente permitiriam, em determinadas ocasiões, o acesso a dimensões superiores, vislumbrando assim uma parte do mundo normalmente invisível. As pessoas que realizam projeções ou viagens astrais também se referem a uma série de atitudes ou atividades de relaxamento e concentração a partir das quais poderiam acessar outras realidades.

As noções se complementam e, em alguns casos, se confundem. Mas, seja como for, podem ser a indicação de um caminho único a seguir, em direção a uma compreensão maior e mais exata dos possíveis mundos e cidades invisíveis que nos cercam. É claro, desde que esses conceitos sejam examinados com isenção e sem preconceitos.

http://www.mondo-x.com.br/mondoX_revista.aspx?pagina=11000008

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Sab 23 Jul 2011 - 23:43

Amigos,

acabo de ficar fã do Hélio Leite.
Coloco aqui também a opinião dos leitores e a resposta do Klebber S Nascimento.
Retirei do site Formadores de opinião:

http://www.formadoresdeopiniao.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3704:as-cidades-submersas-da-amazonia&catid=43:meio&Itemid=134

fadinha





AS CIDADES SUBMERSAS DA AMAZÔNIA
Escrito por Hélio Leite
Dom, 20 de Dezembro de 2009 10:16
AS CIDADES SUBMERSAS DA AMAZÔNIA


Vera Helena Tanze

Helio P. Leite

20.12.2009

Enquanto arqueólogos fazem novas descobertas sobre antigas civilizações, cresce o interesse pelas visões de Saint Germain sobre supostas cidades amazônicas ligadas à Atlântida

Com uma série de descobertas recentes sobre antigas civilizações na Amazônia, voltaram à baila antigas visões atribuídas a Saint Germain, segundo as quais teria havido uma ramificação da Atlântida na Amazônia – as lendárias Cidades Submersas.

Segundo as visões, haveria um monte referente à ponta de obelisco de 18 metros com apenas três acima do solo. Aquele, seguido Saint Germain, seria “o ponto mais elevado de uma importante cidade que foi sepultada durante o último cataclisma, por ocasião da submersão da Atlântida”.
O obelisco seria feito de “metal imperecível”, estando coberto de hieróglifos atlantes. “A cidade, originariamente, foi construída a 16 quilômetros da margem do rio, mas na ocasião em que foi submersa, a embocadura do rio se alargou de muitos quilômetros”, segundo Saint Germain. Levando um discípulo, elevou-se ao espaço “acompanhando o curso do rio Amazonas até o ponto situado a 56 graus de longitude Oeste”. Dali, a um ponto 70 graus Oeste: “O local que ele indicou abrangia o Amazonas entre esses dois pontos e também dois de seus principais afluentes”, detalhou o discípulo.

“Esta civilização”, disse Saint Germain, “desenvolveu- se durante o período compreendido entre 12 mil e 14 mil anos passados”. Ficaria no trecho que vai desde onde o rio Madeira desemboca no Amazonas, até um ponto a Oeste onde o Amazonas toca a Colômbia e o Peru. “Há 13 mil anos, o Amazonas era represado em grandes diques de pedra. Toda a região que o cercava permanecia a uma altitude de 1.500 metros, no mínimo, e em lugar do clima tropical de hoje, prevalecia uma temperatura semitropical durante todo o ano”.

Cataratas amazônicas – Ainda segundo Saint Germain, até grande distância dessa localidade, a região era constituída por uma planura ou platô:
– Perto da foz do Amazonas havia belas e grandiosas quedas de água. A cidade onde se achava o obelisco foi construída entre essas quedas e a costa marítima, cerca de 16 km ao sul do rio. Havia grandes répteis e animais ferozes nas proximidades do rio Orenoco, mais para o Norte. Esse povo estava em contato direto com todas as partes do mundo, por meio de maravilhosa navegação aérea, produzida para seu uso. Toda luz, calor e força eram extraídos diretamente da Atmosfera.
Nos arredores do rio Madeira, Saint Germain disse: “Eis o local de uma antiga cidade, a capital do império e o lugar mais importante na civilização daquele período”. Segundo o discípulo, ele ergueu a mão e a cidade se tornou claramente visível.

“Prosseguimos até uma curta distância”, relatou o discípulo, “e paramos num lugar onde havia uma grande laje estendida no chão”. Tendo Saint Germain focalizado seu poder sobre ela, a pedra elevou-se da terra e deslocou-se para o lado, descobrindo uma abertura com degraus que conduziam para baixo. “Descemos cerca de doze metros e chegamos a uma porta lacrada. Ele passou ligeiramente a mão sobre a porta, que se deslacrou revelando certos hieróglifos”.
Em uma porta, os hieróglifos diziam: “Templo vivo de Deus para o homem”. Aberta a porta, entraram numa sala onde havia caixas com folhas de ouro nos quais foram escritos com estiletes os anais dessa civilização. Através de uma passagem secreta ligando quatro pequenas salas encontraram vasos cheios de jóias pertencentes ao templo.
A quarta sala continha sete diferentes tipos de caixa que continham os instrumentos receptores e transmissores de “energia extraída do Universo para iluminação, aquecimento e força propulsora”. Nada que dependesse de petróleo, portanto.


50 mil habitantes – E a ciência, o que diz? Que uma vasta região na Amazônia foi o centro de cidades antigas nas quais cerca de 50 mil pessoas viviam, de acordo com a descoberta feita com imagens de satélites por cientistas, publicou a revista Science de agosto passado. Em meio a frequentes descobertas ocorridas na Amazônia, o interesse pelas visões de Saint Germain vai crescendo à medida que as pesquisas arqueológicas prosseguem.

“Pouco antes de ser soterrada, a cidade havia alcançado o pináculo da glória”, diz o relato. “O Grande Mestre Cósmico responsável por tudo aquilo apareceu no Império pela última vez. Chegou para dar aviso de um desastre iminente – súbito e completo – e teria salvo seus habitantes se estes lhe houvessem dado atenção”. Novamente chegamos ao mito da Arca de Noé, comum a várias civilizações.

A maioria ignorou o aviso, mas “o imperador e os espiritualmente mais adiantados deixaram o Império e chegaram a um lugar na parte Oeste dos estados Unidos da América, onde permaneceram em segurança até operar-se a transformação”.
Ao aproximar-se do fim do quinto ano, ao meio dia, “o sol escureceu e um pavor imenso tomou conta da própria atmosfera” e “ao anoitecer, medonhos terremotos sacudiram o solo e demoliram edifícios num caos inacreditável”. A terra que hoje é a América do Sul perdeu o equilibrou e rolou para Leste, “submergindo de 48 metros toda a Costa Oriental”.

Mais tarde, diz o relato, “foi se endireitando gradualmente até chegar a 18 metros de sua posição original em que hoje se encontra”. O rio Amazonas tinha cerca de 29 quilômetros de largura e era mais fundo, sendo navegável de um extremo ao outro, fluindo de onde é agora o lago Titicaca, no Peru, para o oceano Atlântico.

Muito ouro – Haveria ainda uma cidade subterrânea perto do rio Juruá, que seria a segunda cidade em importância do império. Esta cidade era “a sede das operações comerciais e governamentais, ligadas ao bem estar material da população, bem como o tesouro nacional, as atividades governamentais, experimentais de ciência e pesquisa”. E a segurança pública? “Não havia necessidade de polícia ou organização militar de espécie alguma, em virtude do método pelo qual o povo era relembrado da Lei e do maravilhoso poder sustentador que era irradiado, tornando-o apto a prestar obediência a ela”. Ali, Saint Germain mostrou tesouros fantásticos, como potes e vasos cheios de pedras preciosas não lapidadas de todas as espécies. Em outra sala, os vasos continham lâminas de ouro delgadas, nas quais estão gravadas fórmulas e os processos secretos usados no período, como aparelhos para gravar ouro, para cortar e polir pedras preciosas. “Havia nessa sala grande quantidade de pepitas de ouro nativo; ouro em pó e em lingotes, pesando entre três e quatro quilos cada um”. Saint Germain então disse: “É absolutamente impossível liberar para a massa da humanidade a fabulosa riqueza que vedes diante de vós, porque o egoísmo que ora impera no mundo comercial tornaria o cúmulo da loucura deixar a humanidade desperdiçar mais dons da natureza do que já desperdiça”.

Brasília (ou Washington) era aqui?
A cidade submersa próxima ao rio Madeira, que na visão de Saint Germain teria sido a capital do império e o lugar mais importante da civilização na época – algo como Nova Iorque, hoje – era “construída em uma série de círculos, de cujo centro partiam as ruas comerciais, como raios cubo de uma roda”.
Uma cidade planejada como Brasília, portanto: “Os círculos externos eram avenidas de passeio, construídas de cinco em cinco quilômetros. Havia sete dessas avenidas, perfazendo a cidade setenta e quatro quilômetros de diâmetro, compreendendo o círculo central. Assim, as atividades comerciais não interferiam na beleza e conveniência das avenidas”.
A Cidade era construída em círculos/Revista Momento Brasil

O primeiro círculo interior, diz a narrativa, tinha cerca de seis quilômetros de diâmetro e dentro dele estavam situados os edifícios governamentais de todo o império: “As ruas eram todas belamente pavimentadas e construídas a uma distância de quarenta e cinco a sessenta centímetros abaixo dos edifícios e terrenos adjacentes. Eram irrigadas todas as manhãs e lavadas com perfeição, antes de começarem as atividades diárias”.
Um aspecto da arquitetura da cidade, milênios antes de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, consistia em que os últimos andares de quase todos os edifícios, especialmente residências, eram construídos com abóbadas ajustáveis: “Podiam ser fechadas e abertas à vontade, porquanto eram construídas em quatro seções, e dispostas de tal modo que podiam convir tanto para dormir como para fins de divertimento”.

Loiros de olhos azuis – Como Washington, a capital do império atlante na Amazônia tinha um capitólio e as pessoas não seriam indiferentes a Lula, pois seus olhos “eram do mais belo azul-violeta, muito límpidos e brilhantes, exprimindo grande e tranquila inteligência”, “uma raça inteira de gente de cabelos dourados e bela tez branca rosada”.
Claro, também havia um governante, que se chamava Casimir Poseidon: “Seus fartos cabelos dourados pendiam-lhe sobre os ombros. O manto real era feito de material que parecia veludo de seda cor violeta, guarnecido de ouro. Sob o manto, uma roupa justa cujo tecido era de ouro flexível. A coroa consistia numa simples fita, também de ouro, com um enorme diamante no meio da testa”.
Também não foge à visão da Saint Germain a causa da destruição da Atlântida e de outros impérios:
“Toda vez que qualquer governo, ou o próprio povo, começa a derivar para os caminhos da devassidão, de tal modo que a injustiça e o mau uso da Vida tornam-se hábitos, quer dos administradores, quer do povo, a desintegração sobrevém e continua até que eles, ou voltam às Leis Fundamentais de Equilíbrio e Pureza, ou são esmagados por sua própria discórdia, para que o Equilíbrio possa ser restabelecido – e uma Nova Era se inicie”.

Última atualização em Dom, 20 de Dezembro de 2009 10:45

Comentários (5)
Responder
sobre as cidades que existiram5. Sáb, 29 de Janeiro de 2011 23:47(jussara colvero)

eu acredito,e tenho certeza que essas descobertas levaram a descobrir OFHIR ,IBEZ,que ficava perto onde brasilia,depois onde hoje e o lugar das chamada 7 cidades,la onde estao descobrindo os circulos era IBEZ,onde hoje e a floresta era o mar de dentro ,em IBEZ,tinha um ou tem um tunel de mais de 700 km que vai quase ate o piaui,mas toda esse relato eu li no LIVRO DE ROGER FERAUDY RENOMADO ESCRITOR E SENSITIVO,TUDO ISSO E MUITO MAIS ELE RELATA EM BARATIZIL E A TERRA DAS ARARA VERMELHAS.EU ACHEI FANTASTICO,TEVE MESMO O CATAClismo e foi um tusiname PEGUEM O LIVRO E VERAM,TEM ATE O MAPA INDICANDO TUDO DR ROGER FOI PARA OUTRA DIMENSAO FAZ POUCO TEMPO MAS DEIXOU ESSA PRECIOSIDADE,quando li sobre as descobertas no acre fiquei entusiamada,estou torcendo jussara colvero Santa Maria,rs.obs se nao encontrarem o livro nas livrarias,falem com a editora ou mando os exemplares pra voces ,sou mae ,estudante de filosofia, e apaixonada por arqueologia.
Responder
visões de saint germain4.
Qua, 30 de Junho de 2010 09:37(André)

olá!
gostei muito da reportagem sobre saint germain. parabéns!

se puder fazer a gentileza de citar os pesquisadores que estudam as cidades submersas na amazônia, seria ótimo. é sempre bom ter uma bibliografia para esmiuçar o tema.

grato pela atenção
Responder

hieroglifos na Amazonia3. Dom, 14 de Março de 2010 14:25(DARLAN)ótimo os comentários sobre populações antigas na Amazonia gostaria de receber mais informações por email sobre o assunto. ( darlanespinosa@hotmail.comEste endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. )

Obrigado AS CIDADES SUBMERSAS DA AMAZÔNIATer, 16 de Março de 2010 09:19Klebber S NascimentoCaro Darlan Espinosa.
O assunto sobre os Hieróglifos na Amazônia, ainda está sob estudo e há pouca publicação a respeito.
Claro que vai bem além do que expusemos, mas um aprofundamento poderia ser conseguido somente em livros impressos sobre o assunto.
Nós buscamos publicar a notícia, no sentido de estimular os leitores a esmiuçar os assuntos que mais os atraem, e pelo jeito, este interessou bastante a você, onde lhe desejamos uma profícua pesquisa, com resultados muito positivos.
Aceite nosso agradecimento por sua participação e as nossas sinceras considerações de apreço.
Formadores de Opinião.
Klebber S Nascimento.
Responder
Saint Germain2. Dom, 07 de Fevereiro de 2010 22:41(Griko)Visões, alucinações, profecias etc. No ponto em que estamos na escadaria do avanço tecnológico e científico, acreditar nessas coisas é pura idiotice.
Já não bastava as praticas religiosas pentecostais que lançam fora a literatura religiosa histórica para dar vazão a visões alucinadas movidas pela ignorância da pessoa da divindade "O CRISTO".
Nós, destes tempos modernos, carecemos de provas concretas e palpáveis, não de sonhos e visões desprovidos de qualquer evidência.
Nem mesmo o Deus altíssimo que no passado fez uso desses meios.Hoje, fala aos homens por meio da mensagem escrita e patenteada a toda a posteridade em qualquer ponto do tempo.
Faz assim, por que como Criador repleto de onisciência sabia que o homem evoluiria em termos de ciência.
Se nós não crermos na autenticidade histórica, como poderemos crer em depoimentos de homens capazes de tudo para forjar os fatos?
Quimera, fantasia e alucinação. Ou talvez, charlatanismo, vigaristice e hipocrisia. Saint GermainSeg, 08 de Fevereiro de 2010 18:58
Klebber S NascimentoCaro Griko.

Causou-me profunda estranheza, cada uma de suas colocações, onde baliza suas quimeras em fatos científicos, condenando conhecimentos ainda não comprovados ou em comprovação, pela nossa ciência.
Porque os aviões que sobrevoam o Vale dos Faraos, no Egito perdem seus instrumentos e comunicação? Tanto que é rota proibida a aeronaves.
Porque os desenhos no Peru, descobertos por arqueólogos, não são entendidas ou vistas do solo, do chão, tendo de se estar sobrevoando a uma boa altura para enxerga-los, sendo que não há nenhuma elevação em terra que permita visualiza-los?
Como foram construídas as Pirâmides do Egito, uma vez que nem com toda nossa tecnologia atual, conseguimos explicar dentro de um universo temporal razoável?
O que houve com as civilizações Maia, Astecas, Egípicias, que não deixaram nenhum resquício humano, relativamente as suas ossaturas, para a competente averiguação pelo carbono 14?
E ficaríamos citando inúmeras situações que não tem explicação dentro da ciência que você coloca como soberana.
Toda essa ignorância e falta de saber, permite, para sua surpresa, aos cientistas e pesquisadores reconhecerem sua boçalidade frente o que nos cerca, o que lhes permite por consequência conseguir APRENDER.
Quando nos fechamos em certezas tão frágeis como as que apontou, acontece com absoluta certeza o ostracismo e a total ausência de se desenvolver.
O artigo traz visões de Saint Germain, que peço ler algumas de suas obras e só então argumentar se são sábias ou não.
Mas se quiser refutar totalmente as obras dele, respeito plenamente, mas lhe oriento que procure se informar sobre as descobertas arqueológicas que estão acontecendo desde o Acre até a Amazônia, bem como no Norte do Brasil.
Não são falácias ou enganos, nem algo dessa estirpe, buscamos no Formadores de Opinião trazer matérias que tenham fundamentos abalizados na ciência ou no esoterismo ou no exoterismo, de forma a possibilitar aos nossos leitores, um conhecimento ampliado e de vanguarda.
Por isso estou lhe indicando que leia um pouco mais sobre os assuntos, antes de condena-los em "achismos pseudo-cientificos", pois o cientista efetivamente não descarta nenhuma possibilidade. Leia a história dos ícones da ciência ao longo dos séculos e entenderá como eram abertos ao novo, a inovação e alguns foram considerados loucos, porque descobriram que a terra era redonda e não achatada e que o nosso planeta não era o centro do universo, como dizia a tecnologia de sua época...Sabe quem foi esse? E teve de se retratar ou seria queimado pela inquisição...
Caro Griko, a verdade é relativa, restrita a alguns instantes do tempo e o que é fato hoje, amanhã pode significar um engano. Há menos de dois séculos, um objeto mais pesado que o ar, era tido como impossível de voar... Até se inventar o avião e por ai caminha a humanidade, com verdades relativas hoje, sem ter nada que seja absoluto... Então, recomendo, não entenda como absurdo o que você ainda não tem compreensão ou conhecimento, ou que o Ser Humano ainda considera inexistente na atualidade, isso é apenas o tempo e a evolução que permitirão a concretização de idéias, ideais, aspirações, crenças sábias, não as que são cegas, pois cego é aquele que só enxerga até o seu próprio horizonte...Caro amigo, olhe além do que seus olhos vêem, crescerá e se tornará um sábio.
Eu lhe agradeço a participação, pois ela, com certeza, trará muitos questionamentos e amplitude de visão aos milhares de leitores que visitam esse espaço.
Aceite minhas mais sinceras considerações e desejo que sua visão vá além do alcance restrito dela.
Formadores de Opinião.
Klebber S Nascimento

Responder

UAU.....1. Qua, 03 de Fevereiro de 2010 14:54(Pingo)UAU.... Surprised Bom, isso é um tanto assustador, mais... faltou esclarecer uma dúvida: Existiram sobreviventes ou descendentes desse povo "brasileiro" antiguissimo? E se existiram, quem são? Esse povo "extinto" descendia de algum ser divino ou "extraterrestre"?
as cidades submersas da amazônia
Dom, 07 de Fevereiro de 2010 11:18
(helio leite)
As cidades submersas da Amazônia foram noticiadas através das visões de Saint Germain, um mestre ascencionado. Essas visões a respeito de lendárias cidades que teriam existido na região amazônica por volta de 12 a 14 mil anos atrás, desapareceram após um grande cataclisma. Segundo as informações prestadas por um de seus discípulos, antes do advento do grande cataclisma, a população, em torno de 50 mil pessoas, teria sido avisada dos acontecimentos por vir acontecer. A maioria não acreditou, porém uma parte dessa polução dirigiu-se para o oeste dos EUA. Essas visões estão sendo confirmadas por cientístas que após estudos concluiram que a Amazônia tenha realmente sido um região onde existiram cidades, que foram submersas com o advento do cataclisma. Portanto, segundo o artigo os sobreviventes se dirigiram para o oeste dos Estados Unidos da América e segundo esse relato os que ficaram na região da Amazônia não sobreviveram. Esse é um tema que voltaremos a ele muito em breve, em face das pesquisas que estamos procedendo para melhor orientar nossos leitores, quanto o que é lenda e o que é real, baseando-se nos últimos estudos científicos.
Agradecemos ao leitor que nos indagou.
Formadores de Opiniao
Helio P. Leite


fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  Miguel Arcangelo Faccio em Dom 24 Jul 2011 - 16:28

fadinha, esqueceste de um dos acompanhantes de Saint Germain nesta expedição. O nosso querido Nominato. Veja no endereço: http://web.pib.com.br/nominato/Amazonas.htm
Foi só para lembrar dos santos de casa também.
Saúde e paz
Miguel

Miguel Arcangelo Faccio

Mensagens : 1079
Data de inscrição : 03/01/2011
Idade : 73
Localização : Passo Fundo (RS)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Ter 26 Jul 2011 - 12:52

OLá Miguel....

sim, é isso mesmo...um trecho do livro de Godfré Ray King que o Nominato postou. Godfré era o discípulo que Saint Germain transportou para as terras sul americanas para dar ciência das cidades ocultas sob a floresta. Foi Godfré o primeiro discípulo de Saint Germain. No dia em que postei o que o Hélio Leite escreveu eu havia encontrado uma foto do Godfré, fazia tempo que eu não via. Meu amigo, a aura dele aparece de uma forma que não vejo em outros.
Amo Saint Germain.

fadinha

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Ter 9 Ago 2011 - 13:29

Olá amigos,

observem...



http://www.maurinhodoroncador.com.br/novas/artistico.jpg

belo, não é?
esta formação rochosa da serra do roncador, cercanias da cidade de Barra dos Garças é muito fotografada...por que será?
Observem que existe um pequeno vale entre a formação rochosa maior e a pequena que chamam de Dedo de Deus.

Vista de cima:

http://www.maurinhodoroncador.com.br/novas/aerea2.jpg

vista ao anoitecer...

http://www.maurinhodoroncador.com.br/novas2/10.jpg

fadinha


Última edição por fadinha em Dom 16 Jun 2013 - 13:11, editado 1 vez(es)

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 10 Ago 2011 - 20:49

Olá...

esta sequência de fotos também é do Roncador...observem que interessante:

vou tentar aumentar.


http://www.maurinhodoroncador.com.br/novas/luz1.jpg

http://www.maurinhodoroncador.com.br/novas/luz2.jpg

http://www.maurinhodoroncador.com.br/novas/luz3.jpg

muito boas!

fadinha


Última edição por fadinha em Dom 16 Jun 2013 - 13:13, editado 1 vez(es)

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qui 11 Ago 2011 - 17:53

Olá amigos...

a bola de luz da mensagem acima foi fotografada perto do morro do ìndio ou do Dedo de Deus e fica situado perto de Barra do Garças no Mato Grosso.
Um morro muito fotografado e não é sem motivo.
Abaixo coloco um texto da nossa querida Any Luci que copiei de um blog:

Brill (Ird.) -

A energia Brill é uma irradiação específica da Energia Una, da "Substância Primordial" (ver Ono-Zone, Âkâza, Mûlaprakriti). Assume qualidades diferentes em cada corpo celeste em que se manifesta; é chamada de "luz da Luz" e, na superfície da Terra, será bem conhecida na próxima Raça-raiz (ver Raça), após a purificação global do planeta (que entrará em um estado vibratório mais sutil).
Brill tem qualidades muito importantes, cumprindo múltiplas funções como: proteger e iluminar cidades (mesmo as que estejam nos níveis etéricos); desmaterializar formas e estruturas; propriedades curativas (reparo e regeneração celular etc.); harmoniza os corpos dos habitantes das cidades etéricas.
Ela se manifesta de forma evidente em Centros Planetários (ver) como Skry Aur (no Uruguai) e Erks (na Argentina).
Enquanto as modalidades de energias usadas pela civilização da superfície da Terra (energia elétrica, atômica etc.) interferem no equilíbrio do ambiente, perturbando-o, Brill restaura e sutiliza esse equilíbrio. Ela age sem desgaste pela fricção de elementos e sem gerar irradiações térmicas ou degenerativas. Sua presença pode ser percebida mais facilmente pelo homem da superfície do planeta na luz refletida pela Lua e em materializações de realidades suprafísicas, por exemplo, cidades e bases existentes em níveis sutis.
No futuro, o homem da superfície da Terra saberá mais a respeito dessa energia, mas para isso é preciso aspiração inabalável ao Caminho Espiritual, concretizada na vida diária pelo Amor.

http://www.wodwig.co.cc/cosmosofia_rdfa/t14_glossario_PE.html

Postado por Any Lucy
http://avidaimpessoal.blogspot.com/2010/10/energia-ono-zone-e-brill.html

Amigos,

na Serra do Roncador, neste trecho denominado de Serra Azul, ao anoitecer, às vezes pode acontecer de uma neblina de tom azul envolver todo esse morro, deixando o ambiente azulado. Certamente a neblina é brill ou ono zone pois aí na realidade sutil existe uma cidade e um Templo. O Centro intraterreno de Ibez.

Este morro tem dono, ou melhor, dona. O nome dela é Teresa de Jesus Ferreira Luckner, viuva do falecido Udo Oscar Luckner que fundou o Monastério Teúrgico do Roncador. Ele visitou pessoalmente os mundos intraterrenos... e voltou porque sua missão era na superfície. A Teresa comprou o morro para preservar a área, podemos dizer que ela é a guardiã desse morro porque se ela comprou, houve uma permissão superior.

Então, a Teresa não impede nenhuma foto do Morro para ser publicada. Eu mesma tenho 2 fotos que ela me entregou em mãos. Esse morro é visitado o ano todo por muita gente do Brasil e do exterior.
A pessoa que fotografou a neblina azul na foto abaixo foi muito feliz ao fotografar, recebeu um presente...porém não tem o direito de proibir a reprodução porque, normalmente, quando isso acontece foi dada a permissão para ser publicada. Nessas coisas não tem direitos autorais.
A foto é maravilhosa.

http://www.flickr.com/photos/belezas_naturais_do_cerrado/4492840896/


fadinha

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qui 18 Ago 2011 - 19:14

Continuando com as fotos do morro sob a neblina....

http://titossauro.com/LOSTWORLD1_arquivos/image002.jpg

fadinha

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Seg 22 Ago 2011 - 23:49

Suria e os amestradores de sois artigos da APO - Intraterrenos
Escrito por Luís Aparício


Os tempos da divulgação, estão a fomentar a penetração em segredos até agora só os mestres possuíam, aquilo que aqui vamos transcrever são revelações que até hoje nenhuma literatura ou experiências pessoais nos informaram daquilo que os terrestres têm por baixo de si. Sem exagerar podemos classificar o conhecimento da estrutura geológica da Terra, antes e depois desta entrevista. Carlos Carvalho é médico homeopata, tem 58 anos e exerce a medicina nos Açores. Na internet há diversas alusões a si, sobre assuntos ovnilogicos, mas não encontramos lá nenhuma entrevista. A APO orgulha-se de ter conseguido uma entrevista com este médico que nos relatou experiências que poderão ser um marco no comportamento dos facianos.

Fomos encontrar Carlos Carvalho (CC) em Fátima numa palestra para o grupo «No estamos solos» uma organização filantrópica espanhola. Depois da palestra na Casa de S. Nuno, quando todos foram almoçar, conseguimos fazer esta entrevista. A primeira impressão que nos marcou no inicio da entrevista é que estávamos perante uma pessoa serena e que a cada passo das suas afirmações ia puxando do seu telemóvel para corroborar as suas afirmações. Apesar do diminuto ecrã do telemóvel, dava para perceber aquilo que o CC queria provar.



Carlos Carvalho e Luís Aparício na Casa de S. Nuno em Fátima


Por exemplo mostrava luzes de naves a saírem das águas nos Açores; mostrava metade da cara dum ser que aparentemente não era terrestre; mostrava uma foto feita num restaurante onde o braço do CC era semi-transparente e deixava ver pormenores dum restaurante através do seu braço; mostrava grandes luzes no ar que CC atribui a naves. Por vezes ria-se de cenas caricatas onde esteve envolvido e teve que ser ajudado por outros seres. Muitos outros exemplos nos serviram para formarmos desde já uma imagem idónea para viabilizar a transmissão de conhecimento que o CC nos deu, abrindo novas portas sobre o conhecimento dos mundos intraterrenos. Perto de nós estava uma psicóloga Portuguesa que costuma acompanhar o grupo «no estamos solos», disse-nos que o CC tinha falado de assuntos nesta entrevista que nunca tinha falado ao grupo.

Em 1977 CC exerceu a medicina em Portimão e foi a partir desta data que o nome CC aparece ligado aos mundos intraterrenos. Um dos artigos da APO tem o nome «Ovni afunda-se em Portimão» e a testemunha de nome José Costa, que entrevistamos relata que viu um ovni enfiar-se lentamente pela terra dentro durante três minutos. Esse acontecimento foi fomentado pela indicação do CC, quando levou cinco pessoas para um local perto de Portimão. Ora foi por aí que começamos, mas antes de iniciarmos a transcrição da entrevista pedimos ao leitor que leia primeiro o artigo «ovni afunda-se em Portimão».

Luis Aparicio LA, Estamos aqui em Fátima e a APO tem um artigo no qual o Sr José Costa, viu uma nave que se enfiou pela terra adentro, uma nave amarela com luzes encarnadas, Carlos Carvalho CC, lembra-se desse avistamento em 1977.

Carlos Carvalho CC, Sim ainda não tinha o consultório, aconteceu nas fases em que eu ainda estava a estudar, e vinha nos períodos mortos dos semestres, vinha visitar pessoas amigas em Portimão e aconteceram algumas coisas. Nesse facto que citou eu lembro-me que levei algumas pessoas, que me acompanharam aquele sitio. Sitio esse que eu fiquei a conhecer quando em 1974, eu e um amigo meu chamado Alberto, que tinha vindo de África e estava também a estudar nos EUA como eu, embora em estados diferentes, mas como a mãe do Alberto era de Portimão, encontramo-nos e fomos passear num dia de manhã para o campo para os lados de Lagos. Ao dar a volta a um monte encontramos uma nave poisada, fora da nave havia um homem, um ser de aspecto humano. Quando avistamos aquela nave, paramos o carro e saímos, o ser sorriu para nós, levantou a mão e pronunciou a palavra «NAIA», de seguida o ser entrou dentro da nave e logo se seguida veio à porta um outro ser espreitar para fora. De seguida a fechou-se a porta e a nave começou lentamente a zumbir e a rodar e foi subindo lentamente como se fosse uma folha e depois começou a rodar muito e disparou e desapareceu. Foi esse o primeiro encontro, a partir daí fui lá com mais pessoas e fiquei a saber que ali havia uma base subterrânea, num centro intraterreno que se chama OSHENGRAH. Este centro intraterreno fica entre Lagos e a Urbanização Colinas Verdes.

LA Uma das afirmações que o Sr José Costa referiu foi que o CC levava pessoas lá abaixo para serem curadas nos mundos intraterrenos.

CC Eu alguma das vezes levei pessoas que foram apresentadas lá, para serem tratadas. Quem ia lá abaixo não eram os corpos físicos das pessoas, mas sim a equipe de trabalho que assistia e levava as pessoas para os centros de cura em termos dos corpos subtis. Aí esses corpos eram realinhados, inclusívé a própria nave que costuma aparecer e emite uma luz que penetra em todos os nossos corpos ao mesmo tempo, são os sinais de contacto estão subtilmente dando um tipo de código, um tipo de energia, um tipo de mensagem distinta para o alinhamento desses corpos no seu devido tempo.

LA Sente que foi fisicamente lá abaixo, dentro de algum mundo intraterreno, no seu corpo tridimensional.

Vai sair um livro


CC Sim de início eu fui na zona de OSHENGRAH uma vez, mas onde estive também foi numa base submarina ao largo da ilha de El Hierro nas Canárias. Em 1975, os meus amigos cósmicos combinaram encontrar-se comigo em Portimão na Casa Inglesa (Pastelaria, junto ao Rio Arade) e apareceram num carro a recolher-me, vieram num automóvel terrestre. Eu entrei no carro, depois eles dirigiram-se para Sagres para a Praia da Salema (Vila do Bispo). Aí estava uma pessoa à nossa espera com um bote ao lado da praia. Depois fomos a remos no bote até um Iate que estava ao largo. Dentro desse Iate estava diversos extraterrestres, depois seguimos viagem em métodos terrestres até às Canárias. Durante essa viagem tive largas instruções para comigo.

Aliás vai sair agora um livro sobre isso, chamado «Nós não estamos sós» e é um apanhado dos meus diários e a minha experiência com contactado, vai ser publicado em Portugal. Eu ia dentro desse barco e quando chegou a altura, o comando (Capitão) que estava nesse barco mandou arriar o escaler e os outros e eu entramos nesse escaler.

O Iate afastou-se e sucedeu uma coisa engraçada, o mar à volta começou a mudar de cor, lembro-me que o mar começou a ter uma cor cinzenta, a água deixou de ter aquela cor azul esverdeada e passou a ficar cinzenta e começou a formar-se um tipo de neblina sobre a superfície do mar à nossa volta. De seguida a água começou a borbulhar, parecia que estava a ferver, nunca tinha visto nada igual e sucedeu que depois disso ficou tudo escuro, não víamos nada. Depois ouvi um ruído dum mergulhar ou algo simular, de seguida ouvi um barulho dumas coisas metálicas a abrirem-se, depois senti que nós fomos arrastados como se fosse algo a engolir-nos. Estava tudo escuro lá dentro não se via nada, depois começou-se a ouvir um ruído de engrenagens e de bombas de pressão e então de repente ficou tudo claro, acenderam-se luzes, vimos uma estrutura dentro da qual estávamos e o escaler estava preso por ganchos, um gancho na proa, outro ao meio, e outro na popa.


Cidade interoceânica


De seguida saímos para uma plataforma e entramos guiados para uma nave submarina que baixou profundamente à cidade deles. Aí vi uma coisa lindíssima, via umas cúpulas semi-esféricas no fundo do mar, que estavam ligadas entre si por corredores, ou estruturas cilíndricas. Aquele conjunto de cúpulas e corredores formavam hexágonos e octógonos e outras formas, era algo muito lindo.
Depois fomos levados a uma dessas áreas, aí saí com eles, fomos apresentados a outro lado.
Tive que vestir uma roupa especial, estive lá alguns dias, dormi lá. Era muito interessante porque eles tinham umas camas que eram flutuantes ou anti-gravitacionais, tinha um robot criado que me servia, havia também outros robots. As casas tinha a estrutura, como se fossem favos de abelha, a estrutura era hexagonal, dentro da estruturas da estruturas semi-circulares, eram estruturas esféricas divididas entre si na cidade e por dentro fazia lembrar os favos da colmeia e cada uma dessas secções dava uma habitação para um e para outro ocupante. Aquilo era giro (bonito). Eu estive lá, comi entre eles, serviam-me uns tipos de líquidos, uns sucos, tinham sabores diversos, sei que alguns desses sucos eram feitos de batatas. Eles tinham batatas de vários tipos, tinham misturas de frutos, havia lá plantas no subsolo que eles cultivavam. Tinham também muitos alimentos com extractos de algas, porque ali era uma zona marinha, tinham culturas de algas. Os produtos que comia-mos eram todos extractos, mas nutriam-nos bem.

LA Qual eram os cheiros?

CC Tinham o cheiro parecido como os nossos batidos de frutos, absorvíamos aqueles sucos através dum género de palhinha.
Lembro-me de ver nesse tempo que escutava-se uma música ambiente muito interessante e havia um aparelho e havia um comprimido pequeno muito chatinho (delgado)que se punha no aparelho e saía música. Claro que naquele tempo ainda não tinha sido descoberta a técnica dos nossos CDs como temos agora aqui na terra. Hoje eu diria que era um micro CD (talvez se aproxima-se das nossas memórias flash LA).Vi essa forma de armazenamento de musica entre eles.
As mesas onde estive a comer era de estrutura ovalada, nós sentávamo-nos ao redor, todos em conjunto. Comíamos em conjunto, normalmente eu estava entregue a duas pessoas, eram duas senhoras que estavam comigo, eram elas que me cuidavam.

LA Essas senhoras eram iguais às nossas?
CC Aparentemente eram iguais a nós, uma delas tinha cabelos escuros e olhos rasgados tipo amendoado, a outra tinha cabelo louro. O aspecto geral delas era idêntico ao nosso, tinham era outros traços característicos como a cabeça levemente maiores comparativamente com a nossa cabeça.

LA Chegou a tocar nalgumas dessas pessoas?
CC Sim, sim, era um toque normal, a estrutura era normal, elas tinham cinco dedos levemente diferentes e tinham membranas interdigitais.

LA Os homens eram iguais a nós?

CC, Sim era iguais a nós na zona onde eu estive.

LA Nessa estrutura em favos o que é que eles metiam lá, alguns recipientes?

CC Nós avançávamos por corredores e no fim havia umas portas automáticas que se deslizavam assim que nós nos aproximavam. Depois entravamos nesses favos que possuíam mobília simples, que quase se podia dizer, que faziam parte da própria estrutura. Eram como que incrustações da próprias parede, estavam ali colocadas ou faziam parte do favo.

LA Acha que eles têm a sua base ali e são doutra proveniência estrelar ou eles são residentes ali?

CC Eles residem ali há muito tempo mas são de outro lado .

LA Qual é a missão deles lá?

CC A missão deles é, além de seguirem a sua própria vida, vigiarem-nos a nós.

LA Há alguma interferência directa deles connosco?

CC Nalguns casos sim, pouco frequente, mas eles podem ter interferência connosco

LA Acha que poderá haver algum intercâmbio connosco, por exemplo arranjar uma máquina para ver a aura humana?

CC Podem ter algum intercâmbio de energia connosco, mas isso é difícil dado o estado em que o ser humano se encontra no seu psiquismo, dado que o ser humano é muito bélico, eles temem fazer qualquer divulgação connosco enquanto não vencermos os aspectos negativos que usamos.


LA Lá embaixo via de alguma maneira o aspecto exterior, do mar como por exemplo os peixes?
CC Vi, eles tinham também árvores e jardins dentro da cidade deles, achei muito interessante que tinham uns passadiços rolantes, nos quais nós nos púnhamos e eles voavam connosco, podíamos também sair desses passadiços rolantes e caminhar.
Tinham estruturas aéreas nas quais eles voavam com asas que eles adaptavam às costas e conseguiam voar, quando se curvavam voavam. Tinham esse determinado meio de locomoção.
Deram-me um disco no qual eu devia colocar-me e atava as pernas como se fossem as sandálias romanas, deram-me uma varinha para conduzir o disco, eu flutuava no ar com esse disco colocado no pés, era um disco dourado. Eles disseram-me que nós já tivemos esse tipo de locomoção na superfície da Terra, entre as culturas pré colombianas.
Eu andava em cima daquele disco e flutuava, até que houve uma situação muito engraçada, eu desequilibrei-me e fiquei a flutuar ao contrário e tiveram que ir ajudar porque eu fiquei de cabeça para baixo e o disco para cima, eles tiveram que me vir colocar na posição correcta, devido à minha inexperiência, foi uma pequena situação cómica.

LA Nesta altura o CC, riu-se da situação onde se viu metido, notava-se que ainda vivia aquela cena, por isso notei que a conversa tornava-se cada vez mais interessante, fiquei com a percepção de que aquele desaire voador tinha sido sincero.

Há um interessante artigo denominado “EL DISCO SOLAR DE ORO DE UM”, será este que o CC se refere?

LA Notou alguns tipos de cães ou gatos ou outros tipos de animais de estimação?

Atacado por um pterodáctilo

CC Sim, principalmente aves, existem também alguns animais do tipo sáurios entre eles, uma das vezes fui atacado por um pterodáctilo voador, quando estava em cima do disco e tinha entrado numa caverna. Aquele mundo que visitei correspondia-se com cavernas submarinas e nas quais não havia água, porque era um género de bolha que tinha sido criada com atmosfera e então o pterodáctilo anão, assustou-se e arranhou-me um pouco.

LA Quer dizer que poderá haver alguma relação entre Osnis e civilizações que habitam por baixo de nós?

CC Sim há conexão.

LA Esses ptedodáctilos, seriam originários dessas civilizações intraterrenas?

CC Pelo menos aí vivem entre eles em alguns sítios.
Há animais diversos, numa outra zona onde eu fui, não aqui em El Hierro, mas noutro lado do planeta em que vi campos de floresta, mas tinha já formas arquitectónicas diferentes, era noutras zonas do planeta em que havia vegetação.
Nessa outra zona do planeta fiquei maravilhado com o céu e notei uma certa nebulosidade e por detrás havia um sol que brilhava com uma luz esverdeada e essa luz esverdeada repercutia-se em tudo e nesse lugar.
Quando olhamos vemos a Terra como se ela estivesse em cima de nós. Aquilo que vi era um horizonte na linha até esbater.

LA Então estava na Terra Oca, na parte côncava?


Megatérios

CC Certo na parte concôva, nessa zona onde eu estive tive a oportunidade de ver mamutes verdadeiros ao vivo em manadas e tive a oportunidade de ver megatérios (Megatherium), que são preguiças gigantes, são relatadas como tendo existido no período terciário segundo os geólogos. Vi também animais estranhos com tromba, mas que não eram elefantes nem rinocerontes, eram uma espécie entre as duas, eram do tamanho de porcos mas com tromba e com dentes, era uma espécie desconhecida de nós.

LA Como é que era as frutas nessa zona?

CC As frutas eram gigantescas, pode-se dizer que vi bagos de uva maiores que a minha mão.

LA Viu seres humanos lá?

CC Ali naquele sítio não, mas mais tarde vi. Alguns desses seres tinham mais de cinco metros de altura eram enormes.

LA A anatomia deles era igual à nossa?

CC Era idêntica à nossa mas mais troncudos. Alguns deles tinha pele curiacica como se fosse a pele dum rinoceronte comparada com a nossa, mas tinha rasgos humanos.

LA Havia bondade neles ou eram seres aguerridos. Eram dotados de alguma tecnologia?

CC Tecnologia tinham, todos aqueles que eu vi notava-se que apesar da diferença havia alguma bondade.

LA Chegou a ir à capital dessa zona a Shambala?

CC O único sítio onde eu estive foi na zona continente Eldorado. Estive numa cidade que é conhecida por Manoa, cidade de Manoa. A cidade de Manoa, tinha tudo forrado a placas de ouro, com pirâmides e tudo isso. Os edifícios e tudo eram forrados com placa de ouro.

LA A cidade era muito grande?

CC Bastante.

LA Teriam quantos milhares de habitantes?
CC Segundo eles me disseram não fazem cidades com mais de vinte mil habitantes, é o máximo de população consentido numa cidade. Quando atinge vinte mil habitantes eles fazem migrações e vão fundar colonatos noutro lado para construírem uma nova cidade.

LA Chegou a ter contacto com o dirigente dessa zona, ou era interdito e não teve acesso a isso?
CC Cheguei a ter, sim cheguei a ter.

LA Era o Rei do Mundo ou um ser idêntico a nós?
CC Era um ser igual a nós.

LA As tecnologias por eles desenvolvidas necessitam de fábricas?

CC Eles têm fábricas mas não como as nossas, têm pontos de trabalho. Eles trabalham de maneira que eles moldam a matéria com o pensamento e com determinadas manipulações de outros estados da matéria.

LA Mas eles são tridimensionais?

CC São também tridimensionais, como nós somos também tridimensionais, não somos só tridimensionais.

LA A manipulação dessas ferramentas far-se-iam através da mente?

CC Eles usavam grande parte da mente e da energia psíquica para moldar os átomos e as coisas.

Os amestradores de sois


CC Eu fui apresentado a uns indivíduos que eles tinham pequeninas estrelas nas mãos. Eles eram domesticadores de estrelas, que era para depois poderem ter um sol, porque os sois são dirigidos e adaptados por eles. Os sois interiores, porque existem vários sois no interior da Terra, sabe disso?

LA Não

CC Sois amestrados, sois disciplinados. O domesticador de sol tem que domesticar o seu sol, tem que o trabalhar e criar desde criança, leva esse sol consigo, são luzes que eles portam com eles e conseguem levar com a mente para onde eles querem e depois vão ampliando esse sol cresce ou decresce conforme a vontade do seu dono, são amestradores de sois.

LA Qual será a dimensão do sol central em quilómetros?

CC É difícil de dizer porque é difícil de observá-lo, porque eu nunca consegui ver o sol central directamente, porque havia sempre uma neblina. O interior da Terra côncavo é quente, tem a particularidade de não haver noite é sempre dia, tem algumas montanhas. Tudo cresce permanentemente, os períodos biológicos são diferentes dos de cá. Existem como se fossem pântanos constantes de humidade que estão sempre a criar películas de neblina. Então nós nunca vemos o sol directamente, vemos sempre os seus raios escoados através dessas neblinas.
Os outros sois são levados para serem implantados nas cavernas e nos mundos subterrâneos.

LA Não acha que poderá haver alguns problemas com as radiações desse sol interior, que possam afectar as pessoas que lá estão?

CC Penso que não, ou talvez sim e talvez por isso haja essa neblina que é uma camada protectora e filtrante dos raios.

LA Nessa altura lembra-se como foi transportado até à parede interna?

CC Fui de nave.

LA Entrou por que zona?

CC Nessa viagem eu entrei pela Amazónia, por uma caverna na Chapada do Guimarães. Fui numa nave pequena e fomos até ao fundo dum poço, num maciço de montanhas que havia ali nessa Chapada.

LA A nave foi directamente por ali abaixo?

CC A nave entrou pelo sub-solo, havia corredores de circulação. A nave andava naqueles corredores, era uma nave pequena e na cúpula cristalóide víamos esses corredores.

Os Facianos

LA Qual será a medida entre onde nós os facianos estamos e a parede interior quantos quilómetros serão?

CC É difícil de prever.
Quanto aos corredores onde circulavam a nave onde eu ia é que era mais largo que este salão, (10X10 metros) porque há vários tipos de corredores. Existem corredores para circulação de naves e corredores para circulação de pessoas, estes últimos são pequenos.

LA Acha que haverá zonas de gravidade zero na parede daqui até lá abaixo?

CC Talvez mas eu nunca me apercebi de nada, porque aliás as naves estão equipadas duma tecnologia que vence a gravidade zero.
Eu já viajei à Lua e nunca passei por situações de flutuar em lugar nenhum, por isso é que as naves giram, uma estrutura gira para a direita e a outra estrutura gira para a esquerda, para criar um sistema artificial de gravidade e por isso nunca passamos por gravidade zero na medida em que há um método tecnológico que a anula.

LA Disse que o sol interior da Terra era esverdeado?

CC Aquele sol ali era esvereado, mas eu já vi um sol com luz vermelhada, lá no interior da própria Terra, numa zona de fogo em que existe mais camada magmática.

LA Será que ele muda de vez enquanto de cor?

CC Talvez ele tenha mudado de estrutura, por eu fui para um sitio onde havia como que chaminés vulcânicas constantes e emissões de gases os próprios seres humanos que iam lá tinham que vestir escafandros, pareciam os nossos astronautas quando foram à Lua, com aqueles escafandros muito grandes, eles usavam-nos para se deslocar ali dentro da terra.

LA Isso aconteceu na parede interna?
CC Sim na parede interna.

LA Então havia emissões de lava na parede interna?

CC Então havia emissões de lava e mares de lava, havia tudo isso, e lindíssimos oceanos e rios de lava que eu vi, eram indescritíveis.
Curiosamente a nave flutuava na nave fundida, pousava na lava e não se sentia e nem sequer era afectada.

LA Como é que olha para a questão da zona magmática estar só no interior das paredes?

Suria o sol interior

CC Não posso dizer-lhe, não posso explicar-lhe, o que me apercebi é que na Terra a estrutura está cortada. A nossa terra tem uma pequeníssima parte de parte sólida tudo o mais é oco, para poder ter o sol interno que se chama SURIA. Esse sol está lá duma maneira que não os afecta, tem que estar implantado numa direcção e de uma maneira em harmonia.
Apercebi-me que a estrutura da Terra é como se fosse um bolo recheado, a magma é o recheio. O bolo existe entre a crosta superior e a crosta inferior há uma zona mesmo magmática.

LA Qual é a percentagem desse recheio?

CC Aí é que eu não sei, não posso precisar.

LA Na junção da força centrífuga com a força centrípeta, gerar-se se há aí a zona magmática?
CC Talvez seja assim que surja o processo, aliás como também existem fontes de nafta pura que emergem e jorram no mundo interior, são muito bonitas na parede interna.

LA Penso que foi da sua autoria a teoria do terceiro centro de gravidade que está entre a parede interna e o sol interior, preconizou essa teoria?

CC Eu não preconizei, simplesmente dei a conhecer algo que me foi divulgado em determinada ocasião. Até mesmo sobre aspectos científicos vi muita coisa que agora não tenho presente eram coisas que me eram transmitidas por eles e não tenho efectivamente presente.

LA Os meios de locomoção deles são de sistemas anti-gravíticos ou têm outros sistemas.

CC Têm também campos magnéticos, como túneis magnéticos onde se deslocam como balas ou engenhos balísticos movidos na própria energia magnética.

LA Acha que haverá bases aqui na Terra de seres beligerantes para o ser humano?

CC Doutras civilizações interiores? É possível.
Há relatos que sim não tenho contacto com eles mas é provável que sim, inclusívé foi-me dito que existem alguma civilizações que eles apelidam de bárbaros que estão sob contenção e vigilância, portanto são pessoas tão negativas como nós aqui na superfície mas com uma tecnologia muito superior à nossa, esses outros. Eles (a civilização maior) têm os bárbaros sob controlo.

LA Essa civilização barbara seriam os Badaguianos ou os Duatianos

CC Creio que esses bárbaros estão nos mundos Duatianos.

LA Nós temos um artigo sobre a questão dos reptilianos a viverem aqui por baixo de nós, e um deles disse «quando o homem apareceu na Terra eles já cá estavam». Com os reptilianos há um grande folclore à volta deles, que eles são maus, corrobora essa afirmação?

CC Não corroboro, existem três confederações a trabalhar, uma chamada confederação da luz, outra confederação da sombra e outra uma confederação intermédia. A confederação intermédia é feita por aqueles que não são propriamente da luz nem da sombra mas que servem os dois lados.

LA E esses reptilianos?

CC Acho que podem estar a servir os dois lados.

LA em que zona ou em que profundidade é que eles existiram em maior quantidade.

CC Não faço ideia, conta-se que nos mundos de Agartha que eles também lá existem.

LA Portanto na parede interna?
CC Na parede interna, eles também lá estão.

LA Por eles serem reptilianos não quer dizer que eles sejam maus?

CC Existem diversas raças, existem vários povos.
O interior da Terra e os mundos internos são como que um arquivo histórico de vários povos universais que por aqui passaram que aqui estiveram antes do homem presente e que deixaram os seus registos e as suas culturas aí.

LA Há um grave problema com que nós nos debatemos, em certas partes da Terra por cada trinta metros aumenta um grau célsius. Ora a três mil metros, já temos mais cem graus, como é que vamos explicar a existência desses seres e conjuga-la com a realidade que encontramos por exemplo em minas de ouro na África do Sul?

CC Isso não quer dizer absolutamente nada. A Terra como ser vivo tem também os seus níveis de energia e calor e como o corpo humano também não é uniforme na sua composição, o corpo terrestre também não o será.

LA Então quer dizer que a questão do aumento de um grau por cada trinta metros pode não ser verdade?
CC Noutras zonas até pode estar com gelo, haverá zonas quentes, zonas com mais energia e outras zonas com falta de energia (calor? LA).

LA A NASA já publicou uma espécie de tomografia axial computadorizada da própria Terra e onde se vêm zonas magmáticas, e outras zonas não magmáticas, essas ilhas magmáticas está quase à superfície ou em maior profundidade?

CC Umas são profundas e outras menos profundas.

LA Em Vénus, Júpiter e Saturno vêm-se embocaduras. No caso de Vénus são vistas duas embocaduras no pólo norte e duas no pólo sul, nesse planeta as nuvens são vistas a rodarem e a enfiarem-se no pólo norte de Vénus e a saírem pelo pólo sul, no caso de Vénus que conhecimentos é que tem?

CC No caso de Vénus aquilo que posso dizer é que o Vénus que nós vemos não é o Vénus habitado, a parte habitada está noutra dimensão. As naves que entram orbitam Vénus e fazem uma paragem na orbitação de Vénus, para poderem activar os eixos que as conectam com a dimensão em que têm que estar, porque a dimensão exterior de Vénus é uma dimensão não habitável para formas de vida como nós temos.

LA Então e o interior de Vénus, onde penetram todas aquelas nuvens o que é que pensa sobre isso?

CC Como sabemos, a maior parte dos planetas do sistema solar são ocos daí a deslocação da atmosfera para a parte interior de Vénus.

LA No caso de Júpiter, as nuvens são vistas a rodar no sentido destrógiro no pólo sul e sinistrógiro no pólo norte, aponta para aí a existência de habitantes?

CC Aceitamos que existem habitantes em Júpiter mas são-no noutros níveis, porque Júpiter é uma estrela e não um planeta. Estrela essa que teve que ser implodida pelos criadores, porque interferia com os seus raios a vida na Terra impedindo que se desenvolvesse. Tal como foi implodindo o sol interno da Terra que tinha sido colocado por eles.

LA Como é que eles colocaram essa estrela na parte oca da Terra?

CC Pela tecnologia deles, pelos aparelhos que têm, pela capacidade que têm quando a Terra Oca foi criada.

LA Saturno apresenta igualmente embocaduras onde se vêm massas de nuvens a entrarem no pólo sul e depois a saírem pelo pólo norte, qual é a sua opinião sobre Saturno?

CC Saturno é habitado e igualmente alguns satélites de Júpiter também são habitados.

LA Saturno é habitado na parte exterior ou na parte interior?
CC Eu acho que é habitado nos dois lados, tal como Marte.

LA As tempestades gigantes que existem em Saturno não irão prejudicar o ser normal à sua superfície e atendendo que eles têm 150 graus negativos.
CC Possívelmente não porque eles terão estruturas e processos civilizacionais já preparados para isso, não se esqueça que as grandes tempestades só deitam abaixo estruturas arquitéctónicas como aquelas que nós temos, porque as cúpulas e as semi-cupulas são a forma mais resistentes, tudo o que vem, passa e nem toca.

LA Quando se refere a Marte, refere-se que é habitado por dentro e por fora?
CC Em Marte já foram vistas diversas estruturas, Marte é habitado dos dois lados, é habitado na parte interna, é também habitado na parte externa, mas em cavernas, não é habitado na superfície como nós habitamos a Terra.

LA Como médico homeopata está a utilizar conhecimentos que recebeu de extraterrestres?
CC Como médico homeopata, utilizo os conhecimentos da homeopatia terrestre, como curador e pessoa dedicada ao sofrimento dos outros, mais além do que médico utilizo tecnologia enunciada e explicada por eles inclusive o método que eu criei que se chama «Ressonância psico bio-fisica» é um processo no qual eu trabalho ultimamente, é um método interessantíssimo é um método quântico mas não usa máquinas, só usa o processo mental.

LA Aproxima-se do Reiki ou de alguma outra terapia?

CC Acho que até é superior ao Reiki. O Reiki é um aspecto interessante de energia e conhecimento, mas o meu método vai mais além.

LA Como é que vê o trabalho da Associações de Pesquisa Ovni e doutras associações do mesmo género cá em Portugal e por todo o mundo?

CC Cá em Portugal as Associações de Pesquisa Ovni, e outras que há, com o devido respeito parecem-me associações primárias porque limitam-se muito a fazer o contacto do avistamento, se é metálico ou não é metálico, se cheira ou se não cheira, se é assim ou é assado, vão muito pelo aspecto muito básico da questão e não vão às questões mais profundas. Muitas vezes é o próprio psiquismo que existe no processo.
Por exemplo existem formas de energia como se fossem bolas de luz que são inteligentes e que são formas de seres e que nós não admitimos como forma de vida porque se não tem pernas ou não tem braços então entendemos como não tendo vida, mas não, há outras formas de vida. Parece-me que as associações são ainda muito primitivas e tem muito compartimentado o processo da próprio conceito da vida.

LA Quando fala nas bolas de luz está-se a referir à Luz da Caniceira ou às Mães de Ouro no Brasil.

CC Também e não só, há mesmo estruturas que são bolas de luz que contactam connosco e nós temos contacto.
Eu por exemplo fui contactado, por nuvens e bolas de luz. Quando falamos com as pessoas elas não entendem o que é que estamos a dizer.

LA Estive a falar com o Mário, um amigo seu que tinha uma aldeia ecológica no Minho e ele disse-me que, uma dessas bolas de luz entrou dentro da casa dele quando estava sentado na sala, ele passou com os dedos por dentro dessa bola de luz. Portanto essa bola de luz não era propriamente tridimensional?

CC Pois não.
Esta é uma manifestação de um ser consciente comigo não é um ser é praticamente uma nuvem e está dentro da minha casa e isto é energia acção e força e contacto a consciência a inteligência. (Nesta altura o CC mostra-nos no seu telemóvel a metade duma cara onde se vê um olho e um nariz, mas era de alguém que não tinha a nossa fisionomia).

LA O Mário falou na televisão que um amigo seu, depois mais tarde quando encontrei o Mário no Brasil vim a saber que era o CC, tinha escutado música no ar quando houve uma movimentação de ovnis numa transferência duma base intraterrena.

CC Sim inclusive o Mário até assistiu a uma situação engraçada.
Eu e a minha esposa estávamos no carro e subitamente começou a sair musica dos sapatos da minha mulher, foi uma manifestação dos ovnis que estávamos a ver. A forma de comunicação que saiu dos sapatos dela. Esta é uma coisa louca, não havia truque nenhum, as botas não tinham aparelho nenhum, são das coisas mais loucas possíveis. (CC riu-se desta situação).

LA A nossa costa estará recheada de bases intraterrenas, por exemplo fala-se em Quiaios, e o mar em frente à Serra de Sintra.

CC Há efectivamente em frente à Serra de Sintra para além do Cabo da Roca, existe uma base e onde já se viram naves a entrar nas águas.

LA Teve algum contacto com essa zona.

CC Não mas sei que há várias referências, as únicas que eu estive em contacto foi no Algarve ao largo de Sagres que é o prolongamento de OSHENGRAH que é CHARGRAND que vai até cerca de 400 milhas náuticas além da costa.

LA Esse é um mundo de pessoas a viveram lá permanentemente?
CC Tanto que eu sei existem uns a viver permanentemente e outros que são transitórios, vêm naves de diversos lugares. Os jupiterianos e os saturnianos também vêm cá com as suas naves.

LA, Acha que eles terão necessidade das nossas tecnologias ou dos nossos alimentos, por exemplo couves batatas ou outras necessidades que os pudéssemos abastecer?

CC Acho que estariam mais interessados nas couves e nas batatas do que nas nossas tecnologias (CC rindo-se), mas acho que eles vêm por outros motivos, não a recolher algo que nos temos mas sim a intercambiar entre os processos da confederação, visto que eles são todos membros da confederação.

LA Eu disse couves e batatas para eles se abasteceram de algo para comer, como é que eles iriam fazer lá crescer as couves se eles não têm luz?

CC Têm outras coisas de que eles se alimentam, há outras formas de vegetais e não há ausência de luz, os mundos internos não são escuros.

LA A luz azul que o Henrique José de Sousa diz que alimenta as pessoas. A luz azul que também está presente na Serra Azul perto de Nova Xavantina, terá origem em quê, como é que essa luz é produzida?

CC Pela energia ono-zone que é uma energia de vitalização e simultaneamente de reposição energética vital do planeta. É uma energia que substitui a delapidação da energia da vida que nós fazemos cá fora. Eles com as naves trazem-na do cosmos, mas também a carregam nos oceanos. Eles enchem os oceanos dessa energia, vêm naves mesmo.
Há naves cuja função é quase invisível, elas estão geoestacionárias, nós as confundimos com estrelas, mas elas estão nesses lugares a fazerem movimentação despoluição electromagnética, daquele quadrante planetário. Coisas que nós mandamos mal emitidas e eles estão ali a limpar. Limpam também o excesso de radiações nucleares que nós contaminamos e passam o tempo limpando as contaminações que nós fazemos, quer no mar e em outros sítios.

LA Quando na Serra Azul é vista a luz azul, essa luz vem lá de baixo?


CC Vem da cidade interior de LETA no Roncador.

LA Teve algum conhecimento sobre a cidade de LETA.

CC Sim a cidade de LETA ou seja EBEZ no Roncador.

LA Essa cidade é guardada por índios?

CC Os índios são os descendentes dos seres do espaço, todos eles estão aqui como guardiães, da mãe Terra e da Jóia que lhes deram a guardar.
O próprio idioma cósmico mantêm-se na chave da linguagem dos índios.

LA Com o IRDIN?CC Exactamente.

LA O IRDIN será o sânscrito cósmico?

CC Aliás o IRDIN deu origem ao sânscrito e o sânscrito às línguas terrestres.

LA Chegou a ler alguma coisa de Lobsang Rampa, por exemplo o Eremita?

CC Nos meus tempos de jovem, todos leram o Lobsang Rampa era a única coisa que tínhamos naquele tempo, li alguns livros dele como a Terceira Visão e outros.

LA O que é que achou?

CC Achei muito interessante.

LA Sobre o Henrique José de Sousa, que ideias é que partilha sobre o trabalho dele?

CC Henrique José de Sousa é um trabalho importantíssimo é o trabalho do ser interno do conhecimento do eu, é um trabalho muito importante em continuação do grande desafio Socratico, homem conhece-te a ti mesmo, e claro isso está ligado à própria espiritualidade e além da própria espiritualidade da própria vida no planeta.

LA Qual é a leitura do grande boom das abduções?

CC Influências da confederação contrária, porque são os Draconianos ao serviço da sombra que estão trabalhando nisso.

LA Acha que as pessoas que são abduzidas poderão ter algum progresso espiritual.

CC Muita confusão de Chips não os ajudam em nada, são condicionadores. Eu conheci um psiquiatra que defendia o contrário John E. Mack, mas eu partilho o contrário.

LA Já ouviu falar das actividades dos Híbridos independentes? Acha que eles existem? Acha que eles se comportam de alguma maneira menos boa e outras vezes mais amorosa?

CC Dependendo duma forma e de outra sim, são seres manipulados geneticamente e que não estão dentro da raiz da herança dos povos que estão neste mundo. Eles são o resultado de experiências feitas. Existe por exemplo o povo marinho que lhes extraíram os pulmões e foram-lhe implantadas brânquias ou guelras para viverem debaixo de água.

LA Acha que esses seres existem e andam nas águas do mar?

CC Tenho a certeza que existem embora não se dêem crédito às vezes aos relatos dos pescadores, acredito que eles existem.

LA Então poderão existir aborígenes das profundidades?

CC Existem.

LA A pele deles é diferente da nossa?

CC É levemente escamosa, eles já estão modificados.

LA Eles obedecem a alguma forma de governo ou andam duma forma errática?

CC Mais esse aspecto da errática.

LA Eles poderão ter alguma progressão espiritual?

CC Provavelmente sim, no futuro, aliás não há um único átomo semente da luz que não seja controlado pelas hierarquias da luz. Tudo é semente da luz mesmo o lado negro, portanto terão um dia o seu despertar.
Sabe porque é que o Cristo foi pregado na cruz e teve que verter o sangue?

LA Não

CC Para permitir que uns robots biológicos que tinham sido fruto da grande guerra galáctica que se tinha dado, pudessem passar um portal onde estava o seu nível de consciência, para poder tornar-se humanos e entrar na via da encarnação, porque não podiam fazê-la, foi só por causa disso que teve que ser vertido esse sangue para abrir esse portal.

Fernanda Lameiras (FL) Será que o CC podia partilhar alguma coisa da sua ida à base Lunar.

CC Essa viagem que foi feita, eu fui convidado, saí com a minha cadela e portanto embarcou toda contente na pequena nave com poucos metros de diâmetro e saiu connosco disparada em direcção à Lua. Fomos lá e depois deixei de ver a cadela, ela ficou com quem a cuidou, eu fui levado para outro lado e vi um grande exército que estava lá, tive que dirigir-me a um salão onde encontrei um hemiciclo onde estava a ser julgada a situação da Terra e havia vários seres da confederação e eu tive que ir lá dar o meu depoimento e prestar o meu testemunho do que se estava a passar e como a força contrária estava a tentar conta da Terra.
Foi basicamente isso, depois voltei, tudo em corpo físico. Voltei com a cadela isto aconteceu de 11 para 12 de Outubro 2010.

FL Achas que há alguma instrução ou directriz da Confederação intergaláctica para que os governos intraterrenos e o nosso governo da superfície de que se mantenha esta barreira e esta pouca comunicação entre estes dois mundos por alguma razão de segurança?

CC Sim, tem que ser porque existem zonas ainda muito sedentas de poder bélico e por isso se tivessem na mão novas tecnologias que há lá no interior, seriam uma catástrofe cá para fora, inclusivamente iriam ameaçar outros mundos.

FL O nível de consciência dominante que está aqui neste plano da Terra na humanidade da superfície, ainda não está preparada para usar em consciência determinados avanços tecnológicos.

CC Exactamente isso, basta ligar a televisão e ver aquilo que se passa. As pessoas não estão preparadas para a paz. Não é com subidas ao poder de qualquer governante assinando tratados de deslocamento da máquina de guerra dum lado para o outro que tenhamos a paz. Jamais. Só o exemplo do Gandhi é mais do que suficiente como se faz a paz.

LA Qual é a sua relação com o reino vegetal, consegue captar as suas emoções?

CC Sim bastantes, o reino vegetal é rico de informação. O reino vegetal inter-age com o reino humano só que muito mal, porque o ser humano não o respeita.

LA No seu caso já conseguiu entrar em contacto com uma macieira, por exemplo?

CC Entrei em contacto com árvores e consegui ver e interagir com a energia que há dentro delas e não só com as rochas, tudo é vivo.

LA O que é que sentiu com uma rocha?

CC Não é um dialogo que se estabelece, é uma identificação de consciência que poderá ser tido como diálogo mas é diferente daquilo que nós consideramos como diálogo. O mesmo com as plantas, sente-se mas é uma coisa que é diferente.
O que lhe posso dizer da minha integração tão ampla nisso tudo é que quando comecei a tomar consciência de mim dei comigo a tentar fazer-me leve para não magoar com o meu peso as pedras do caminho. São estados de consciência que não são descritíveis, são coisas transcendentes, é difícil definir isto ou aquilo à luz do senso comum, é diferente.
Eu sou adepto de pedir licença a tudo e qualquer coisa que se faz.
Não se pode tirar um pedra e levar a pedra arbitrariamente temos que pedir licença e saber se ela quer vi connosco, também essa é outra hipótese. O homem chega pega e leva, não pode ser.

FL O reino animal tem sido muito mal tratado, e vão surgindo por questões éticas e por questões de saúde, respeitarem-se esses irmãos menores, não os comendo ajudando-os a evoluir tornando-os animais domésticos e com consciência o que é que a hierarquia nos pede, para que o reino animal evolua mais depressa e qual será o nosso contributo.

CC O reino animal deve ser percebido e compreendido que não é para ser massacrado todavia ele é entre si é massacrado, algumas espécies são predadoras e mantêm o controlo e evitam o excesso. Neste âmbito acho que o mundo animal tem que sofrer uma evolução. Sempre teve uma evolução os animais de hoje o futuro dos seres de amanhã. Temos que os cuidar, porque nós que estamos mais avançados na sua evolução devemos cuida-los e não devemos mata-los só porque não nos agrada, devemos ter esse respeito, que até é difundido pela cultura Budista.

LA Se as pessoas o quiserem contactar o CC onde poderão ir?

CC Trabalho em Angra do Heroísmo e tenho anúncios pelos jornais de lá e será fácil encontrar-me.

LA Obrigado pela sua entrevista.

Luís Aparício




fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 24 Ago 2011 - 13:32

Olá amigos.

A longa (e esclarecedora) entrevista acima me fêz lembrar de umas "passagens" interessantes.

Por exemplo, esse trecho:

"Os amestradores de sois


CC Eu fui apresentado a uns indivíduos que eles tinham pequeninas estrelas nas mãos. Eles eram domesticadores de estrelas, que era para depois poderem ter um sol, porque os sois são dirigidos e adaptados por eles. Os sois interiores, porque existem vários sois no interior da Terra, sabe disso?"



Foi uma história que aconteceu comigo e se não fosse assim eu diria que era difícil de acreditar. Talvez não tenha nada a ver com a história acima, porém, lembra.
Certa ocasião, há bastante tempo, fui convencida por um indiano que deveria fazer uma cerimônia na praia com ele e mais uma amiga.
Eu era muito nova e não tinha a menor experiência de como as pessoas podem nos usar e acabei topando ir.
Teve uma preparação toda com vários banhos que eu me recusava a fazer, mas minha amiga insistiu e acabei cedendo.
Chegamos era quase meio dia em uma praia isolada e ele aprontou um pequeno altar com uma toalha branca, bananas, arroz e um pote de manteiga com umas luzinhas acesas tipo velinhas e incensos. Pegou um desenho da mãe Divina (era lindo, o que demonstra que ele sabia mais do que ele queria dizer sobre mim e só hoje percebo isso) e colocou em pé no altar pequeno.
Ele havia encomendado para minha amiga comprar 3 cocos desses duros de casca marrom. Ele colocou um coco em frente de cada um de nós, meio para a direita.
Sentamos na areia e ele começou a ler um livrinho em sânscrito.
Não dava para entender nada. O livrinho também estava escrito em sânscrito, portanto nem que ficasse na minha mão eu iria entender. Só que eu não conseguia parar de prestar atenção na leitura, eram mantras, ao contrario da minha amiga que não parava quieta. Teve momentos em que ele nos orientou para prestarmos atenção no vento, no Sol, no calor do Sol...enquanto ele lia determinados trechos. De repente algo chamou minha atenção: o coco dele e o meu se partiram sozinhos, racharam como um vidro que se quebra em pedacinhos. O coco na frente da minha amiga continuou intacto.
Eu pensei: nossa, deve ter sido o calor do Sol...mas o Sol não estava tão quente.
Quando acabou a cerimônia eu fiquei de pé ao lado do altarzinho enquanto ele se deitou de bruços na frente do altar, passou a mão direita espalmada sobre os incensos (que ele foi comprar em São Paulo) e as velas, enfim, sobre todo o altar, e, em seguida levou lentamente a mão sobre a própria cabeça e foi quando vi um espetáculo que jamais pensei ver: da palma da mão dele saia uma nuvem prateada com pequenas estrelas com muito brilho e cairam sobre a cabeça dele. Fiquei abismada. Ele fêz minha amiga deitar também na frente do altar e a mesma coisa se repetiu com ela. A nuvem e as estrelas começaram a aparecer na hora em que passaram a mão sobre o altar.
Quando chegou a minha vez...não vi nada...
Aí ele foi para o mar, tomou o banho e voltou. Levou a minha amiga e fêz o mesmo. Na minha vez, antes de entrar na água, eu perguntei para ele porque eu tinha visto aquilo na mão da minha amiga e na dele e na minha não vi. Ele começou a me sacudir e me dizia que não queria saber o que eu tinha visto na mão da minha amiga ou na minha queria saber da mão dele e eu contei de novo. Nunca vi uma pessoa tão feliz. Ele me disse que foi a melhor cerimônia da vida dele. Porém, explicação nenhuma até hoje.
Agora leio isso no texto...será que é a mesma coisa?
Eu tenho facilidade de contato com os 4 elementos (usados na cerimônia) e com s Devas. Fora o que a Mãe Divina foi invocada o tempo todo. Mais: tenho uma certa vidência e aquele tipo de mediunidade que dizem ser de transporte e materialização.
Não desenvolvi nada, são aleatórias, acontecem quando tem que acontecer e não quando quero.

fadinha

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qui 1 Set 2011 - 14:07

Olá amigos:

outro trecho que quero comentar:

LA A luz azul que o Henrique José de Sousa diz que alimenta as pessoas. A luz azul que também está presente na Serra Azul perto de Nova Xavantina, terá origem em quê, como é que essa luz é produzida?

CC Pela energia ono-zone que é uma energia de vitalização e simultaneamente de reposição energética vital do planeta. É uma energia que substitui a delapidação da energia da vida que nós fazemos cá fora. Eles com as naves trazem-na do cosmos, mas também a carregam nos oceanos. Eles enchem os oceanos dessa energia, vêm naves mesmo.
Há naves cuja função é quase invisível, elas estão geoestacionárias, nós as confundimos com estrelas, mas elas estão nesses lugares a fazerem movimentação despoluição electromagnética, daquele quadrante planetário. Coisas que nós mandamos mal emitidas e eles estão ali a limpar. Limpam também o excesso de radiações nucleares que nós contaminamos e passam o tempo limpando as contaminações que nós fazemos, quer no mar e em outros sítios.

LA Quando na Serra Azul é vista a luz azul, essa luz vem lá de baixo?


CC Vem da cidade interior de LETA no Roncador.

LA Teve algum conhecimento sobre a cidade de LETA.

CC Sim a cidade de LETA ou seja EBEZ no Roncador.

LA Essa cidade é guardada por índios?

CC Os índios são os descendentes dos seres do espaço, todos eles estão aqui como guardiães, da mãe Terra e da Jóia que lhes deram a guardar.
O próprio idioma cósmico mantêm-se na chave da linguagem dos índios.

A foto do local:

http://www.flickr.com/photos/belezas_naturais_do_cerrado/4492840896/

Exatamente este local fica perto de Barra do Graças, cerca de 40km e não é guardado por índios e sim outras entradas mais físicas.

fadinha






fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 14 Set 2011 - 15:06

Olá amigos,

foto interessante, muito interessante sob todos os aspectos...quem tem olhos de ver, verá.

fadinha

http://3.bp.blogspot.com/-ErqJySPB2dc/Tj6b3azJruI/AAAAAAAAL_U/oYdyCll-rEc/s1600/2664309.jpg

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qui 2 Fev 2012 - 15:14

Olá amigos,

assistindo a um vídeo do Amaury Jr entrevistando Anna Sharp e Oscar Quiroga, ela mostra umas jóias que estava usando e comenta que foram presentes de um paranormal que materializa objetos (eram brilhantes) devido ao fato de ter contato com extraterrestres.
Procurei pelo nome dele e achei a história.
Ele realmente tem contato com seres que vivem em outra dimensão aqui na Terra, mesmo.
A história é tão interessante que vou postar aqui...achei no Orkut mas não consegui copiar as propriedades.
É interessante notar que a "técnica de materialização" é comentada por Saint Germain e outros paranormais.

fadinha

AMYR AMIDEN - O PARAMATERIALIZADOR DE BRASÍLIA
****************************************************************

Amyr é um brasileiro de origem árabe,residente em BRASÍLIA-DF,descendente de famílias de emigrantes que vieram da Arábia Saudita para o Brasil.

Amyr despertou seus podêres de psicocinese desde os 7 anos de idade,conseguia mover os objetos com a sua força mental e ao seu redor ocorriam fenômenos de "POLTERGEIST",os objetos levitavam,os metais entortavam,ocorriam estranhos fenômenos de luzes paranormais,etc...

Aos 9 anos de idade,Amyr começou à realizar fenômenos de MATERIALIZAÇÃO DE OBJETOS VINDOS DO NADA,os objetos surgiam em pleno ar,caiam no chão e assustavam os membros da sua família.
Logo,Amyr descobriu que podia DESMATERIALIZAR O SEU CORPO,tornando-se impalpável como um fantasma e invisível,e depois podia reverter à forma sólida comum.
Várias vêzes os familiares de Amyr viram ele levitando,flutuando ou semi-desmaterializado,o que assustava bastante a sua família !

Achando que Amyr estava possuído pelos DJINNS(Demônios na cultura islâmica),o Pai de Amyr levou-o para ser analisado por um SHEIK da Religião Muçulmana.
O SHEIK era integrante de uma Escola Mística Sufi,e logo percebeu que AMYR não estava possuído,mas era um ABDAL ("UM TRANSFORMADO"),nome que os Mutantes Paranormais são chamados no Misticismo Sufi.

Depois disso,Amyr começou a ser ensinado pelos SUFIS,que foram explicando as origens dos seus podêres,e orientando-o no seu Desenvolvimento Mental e Espiritual.



Aos 10 anos de idade,AMYR começou à treinar os seus dons de MATERIALIZAÇÃO DE OBJETOS,conseguindo teleportar qualquer tipo de objeto de um local distante para as suas mãos.

Certo dia,a mãe de AMYR estava chorando de saudades da sua terra natal na ARÁBIA SAUDITA,Amyr ficou triste ao ver aquela cena,concentrou-se mentalmente na foto de um Oasis com Tamarindeiras que existia na sala da sua casa...de repente Amyr percebeu que seu corpo desmaterializou-se;ele teleportou-se para um local que não conhecia,mas que reconheceu ser um deserto com várias arvores de Tamarindos.

De repente,um homem alto e misterioso,vestindo um turbante azul,deu uma fruta de tamarindo e algumas folhas para Amyr segurar e disse:
"Volte,criança...leve este presente para a tua mãe !"

E logo depois Amyr materializou-se novamente na sala da sua casa,assustado e aturdido !!! Com a fruta de Tamarindo nas mãos,levou-a para a sua mãe,que caiu em prantos ao ver esta fruta nativa da Arábia !

Os podêres de Amyr tornaram-se conhecidos por toda a Comunidade Muçulmana,e logo os Mestres Sufis levavam pessoas doentes para Amyr tratar.
ELE COLOCAVA AS MÃOS EM CIMA DO FERIMENTO,CONCENTRAVA-SE,E LOGO A PESSOA CURAVA-SE QUASE INSTANTÂNEAMENTE !
As emissões de Bioenergia de Amyr eram extremamente potentes,anulavam a dor e
cicatrizavam qualquer tipo de ferimento !

Amyr fazia também a ENERGIZAÇÃO DA ÁGUA,colocada dentro de jarros,e que transformava-se em remédio para ser bebida pelos doentes !



Amyr começou também a desenvolver a TELEPATIA e a VIDÊNCIA,podendo enxergar qualquer energia não-visível aos olhos humanos comuns !
Começou à ter contatos telepáticos com estranhos Seres Energéticos,eram seres altos,com mais de 2 metros de altura,de face alongada,que brilhavam numa Luz esverdeada fosforescente !
Estes Seres apareciam à noite no quarto de AMYR,materializavam-se e conversavam com ele,orientando-o como usar os seus podêres de forma positiva e saudável !

Amyr achava que eles eram EXTRATERRESTRES devido à luz esverdeada que eles emitiam,mas os seres explicaram que eram MUTANTES INTERDIMENSIONAIS,seres mais evoluídos do que os humanos,mas pertencentes à uma evolução paralela e não-hominídea do nosso proprio planeta.

ELES SE DENOMINAM DE "GRUPO MAGENTA" OU "ANJOS",são seres mais evoluídos do que o homem terrestre e ensinaram à Amyr como Controlar e Amplificar os seus podêres de Teleportação de Objetos.

Com o auxílio do GRUPO MAGENTA,AMYR aprendeu à teleportar Objetos à distância e depois rematerializà-los onde desejar,para espanto total das pessoas que presenciavam tais fenômenos !!!

Várias vêzes,Amyr demonstrou também fenômenos de TRANSFORMAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA EM OUTRA,como cerveja em outras bebidas,vinho ou água,óleos que apareciam do nada,etc...

DURANTE UMA ÉPOCA DA SUA JUVENTUDE,TODAS AS BEBIDAS DO ALMOÇO E DAS REFEIÇÕES SE IMPREGNAVAM DE PERFUME,tornando-as intragáveis !

À Partir dos 20 anos de idade,Amyr começou à exalar PERFUMES PARANORMAIS,vindos do nada,por todos os ambientes por onde ele transitava !

OS SUFIS O APELIDARAM DE "O HOMEM DOS PERFUMES MILAGROSOS",que deixava as Mesquitas cheias de doces aromas de cânfora,mel,rosas,lírios,alfazema ou eucalipto !!!!!


Amyr tornou-se um Paranormal extremamente respeitado na comunidade muçulmana de Brasília,e sua fama estrapolou as fronteiras do nosso país.
Amyr,porém,é totalmente avesso à publicidade de mostrar os seus Podêres em programas de TV,ele foi convidado para fazer aparições nos Programas GLOBO REPÓRTER,FANTÁSTICO,SBT REPÓRTER e vários outros,mas sempre recusou-se à isso.

Amyr é um discípulo de Mestres Sufis Islâmicos,por isso ELE NÃO ACEITA DINHEIRO NEM PRESENTES para curar ou para fazer suas demonstrações de Psicocinese.
A LEI ISLÂMICA É MUITO RÍGIDA EM RELAÇÃO A TAIS ASSUNTOS DE PODÊRES PSÍQUICOS,e Amyr seria considerado um Traidor dos ensinos do AL-KORÃN se ele passasse à cobrar pelas suas Curas ou Demonstrações !

Apesar de ser contrário à publicidade,AMYR teve contatos com dezenas de pesquisadores de Brasília,que puderam atestar e ver por si mesmos seus fantásticos podêres de TELETRANSPORTAÇÃO,PSICOCINESE,LEVITAÇÃO,CURA,ETC...

Ele tornou-se amigo da Médica e pesquisadora francesa JANINE FONTAINE,que escreveu um livro sobre os podêres de AMYR,editado em 1987 na França.

Tornou-se amigo também do famoso Psicólogo PIERRE WEIL(recentemente falecido),
que assistiu diversas vêzes as Materializações e Teleportes realizados por Amyr,e que foram assistidos também por outros Psicólogos do círculo de amigos de Pierre Weil.

Pierre Weil escreveu um livro chamado "LÁGRIMAS DE COMPAIXÃO",editado em 1999,
onde faz um extenso relato das Teleportações e Podêres de Amyr.

À convite de Pierre Weil,Amyr foi estudado e investigado pelos pesquisadores
da UNIPAZ BRASIL - UNIVERSIDADE HOLÍSTICA INTERNACIONAL,entre 1994 e 2001,
que procuraram explicar as causas das suas PARAMATERIALIZAÇÕES
e TELEPORTAÇÕES que aparentemente contrariam as leis da física comum !

Amyr foi estudado pelos mais importantes pesquisadores da UNIPAZ durante 8 dias consecutivos,e conseguiu realizar 20 sessões de demonstrações parafísicas,com a realização de 91 Fenômenos Parafísicos diferentes !


Os pesquisadores da UNIPAZ documentaram os seguintes fenômenos:

1- MATERIALIZAÇÕES DE OBJETOS :
A- Pedaços de metal;
B- Medalhões com inscrições;
C- Colares de Marfim;
D- Pedras preciosas e jóias;
E- Diamantes;
F- Folhas e pétalas de flores cheias de perfume;
G- Mandalas que apareciam em guardanapos,portas e paredes;
H- Óleos perfumados que apareciam exsudando nas paredes.

2- TELEPORTAÇÃO DE :
A- Um livro raro sobre Yoga datado de 1922;
B- Pedras preciosas,medalhas,jóias,teleportadas de um lugar para outro;
C- Pertences dos pesquisadores,que sumiam e depois se rematerializavam novamente.

Perguntado pelos pesquisadores sobre COMO ELE PODIA FAZER TAIS PROEZAS,
aparentemente impossíveis e "mágicas",AMYR disse que desde criança ele podia
"entrar" nos locais além do nosso Espaço-tempo,ali ele detecta telepáticamente onde está o objeto ou então os seus amigos ULTRA-DIMENSIONAIS mostram o objeto para ele,eles teleportam o objeto até o local;ou então o próprio Amyr teleporta-se até lá e traz o objeto desmaterializado na forma de um modelo de energia,depois ele faz o objeto se rematerializar de novo na nossa Dimensão Física.



Amyr também disse que se o objeto não puder ser teleportado por algum motivo,os seus amigos ULTRADIMENSIONAIS simplesmente criam uma "Cópia" etérica do Objeto,que torna-se físicamente estável por algumas horas,e depois desmaterializa-se novamente !


Eis os seguintes pesquisadores que estudaram AMYR:
1- PIERRE WEIL - Psicólogo Transpessoal,fundador da UNIPAZ BRASIL:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pierre_Weil
2- STANLEY KRIPPNER- PHD em Psicologia e Parapsicólogo dos EUA: http://stanleykrippner.weebly.com/http://en.wikipedia.org/wiki/Stanley_Krippner
3- Roberto Crema - Psicólogo e Antrópologo;
4- Harbans Lal Arora - PHD em Física Quântica;
5- Jean Yves Leloup - Terapeuta -
http://www.jeanyvesleloup.com/
6- Michael Winkler- Pesquisador holístico;
7- Ken O'donnel - Prof. de Meditação - http://kenodonnell.net/portugues.htm


A PESQUISA feita com AMYR AMIDEN resultou em vários relatórios e documentos,filmagens,gravações e fotos,que estão atualmente de posse da UNIPAZ - UNIVERSIDADE HOLÍSTICA INTERNACIONAL - CAMPUS DO DISTRITO FEDERAL:
http://www.unipaz.org.br/
EIS OS LIVROS e Textos ONDE OS PODÊRES DE AMYR SÃO RELATADOS:
1-"Notre Quatrième Monde" - ED. Robert Laffont (1987)
Livro de JANINE FONTAINE falando sobre Amyr Amiden:
http://www.amazon.fr/Notre-quatri%C3%A8me-monde-Janine-Fontaine/dp/2221053923/ref=pd_sim_b_5/275-8775862-3367221
2- Texto francês comentando as pesquisas feitas por JANINE FONTAINE:
http://www.mondenouveau.fr/index.php?option=com_content&task=view&id=39&Itemid=41
3- "LÁGRIMAS DE COMPAIXÃO" - Pierre Weil - ED.Pensamento - 1999
Relatos sobre os fantásticos podêres de Amyr demonstrados na UNIPAZ campus de Brasília.
http://www.submarino.com.br/produto/1/141809/?
4- "TRANCOMUNICAÇÃO. O Fenômeno Magenta" - Observações e interpretações de fenômenos paranormais ocorridos na presença do sensitivo Amyr Amiden.
Pierre Weil e outros autores. Ed. Pensamento, São Paulo. 2002.
https://ssl498.locaweb.com.br/pensamento-cultrix/zoom.asp?cod=85-315-1300-6
5- "OS ANJOS FALAM" - Letraviva Editorial - 2005
http://www.livrarialoyola.com.br/detalhes.asp?secao=livros&CodId=1&ProductId=206693&Menu=1
6- ARTIGO DE STANLEY KRIPPNER FALANDO SOBRE AMYR
http://www.uri-geller.com/content/research/kripp1.htm
7- OUTRO ARTIGO DE S.KRIPPNER
http://www.scientificexploration.org/jse/abstracts/v10n2a6.php
AMYR é considerado atualmente o maior TELEPORTADOR da atualidade cujos poderes puderam ser observados,pesquisados e documentados.
Seus Podêres provam que a TELEPORTAÇÃO é um fenômeno real e que pode explicar racionalmente a existência dos UNIVERSOS PARALELOS teorizados pelos Físicos Quânticos Brian Greene,Michio Kaku e outros teorizadores das TEORIAS DAS SUPERCORDAS

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Sab 7 Abr 2012 - 13:12

Olá amigos.

O Centro Planetario de Aurora é um dos 3 centros planetários localizados na América do Sul e pertence ao Primeiro Raio da Vontade Divina, de cor Azul.

Aurora e o Primeiro Raio

:: Vera Helena Tanze ::

Aurora é um dos três centros intraterrenos de irradiação energética mais importantes desta época no cone sul (região que abrange América Central e do Sul). Sua localização hoje está em Salto, no Uruguai, e irradia impulsos de transmutação e transformação para todos os reinos da natureza, tendo também se expressado no plano físico com a participação humana.

Os outros dois importantes centros estão nos Andes Peruanos e em Córdoba na Argentina. O primeiro exprime a polaridade feminina do Logos Planetário, polaridade que predominará no novo ciclo da Terra. Entrou em atividade a partir da presente transição planetária, substituindo Shamballa, que expressou a polaridade masculina do planeta. O segundo fornece as chaves para os remanescentes cósmicos na Terra. É a sede do conhecimento iniciático e do despertar da nova espiritualidade.

Aurora tem a função específica de introduzir no planeta a cura cósmica, auxiliando o homem a integrar-se no mundo em que vive e em outras dimensões, levando-o a ultrapassar os limites da atual raça terrestre.
Ao atingir a humanidade, sua irradiação estimula a implantação do equilíbrio e da saúde, o que só é possível com a presença da fé. Assim, utiliza os meios adequados para introduzir o Divino na Terra, expressando o Primeiro Raio, que simboliza a energia da vontade-poder, que é a fé manifesta.
Aurora trabalha hoje sob a regência de Mestre Morya, canalizador do Primeiro Raio da Grande Fraternidade Branca.

Algumas regiões da superfície terrestre contém aberturas sutis por meio das quais é possível o contato com essa energia.
Algumas vezes torna-se visível o trabalho das referidas energias, quando pessoas percebem o movimento de luzes silenciosas, vindas de outros universos para auxiliar este planeta.
É uma das regiões na qual até pouco tempo o trabalho de naves extraterrestres era intenso e facilmente observável. Porém com o tempo, essas aparições foram substituídas por atuações em planos mais internos, visando alcançar a consciência humana por comunicações com seu mundo interior e não mais por manifestações visuais.

Aurora é a base da Operação Resgate (bem como as outras duas citadas), cujas atividades o homem ainda desconhece. Sabe-se que para lá convergem civilizações extraterrestres que se unem à civilização intraterrena, visando auxiliar a transição da Terra segundo o plano evolutivo, estimulando um relacionamento mais harmonioso entre o mundo material e o imaterial.
Sob as vestes da beleza e da harmonia, características também do Primeiro Raio, oculta-se um núcleo de vibrações potentes que tem como uma de suas tarefas retirar camadas trevosas da aura da Terra.
Este centro de irradiação é um dos decodificadores dos padrões arquetípicos do planeta. De tal sorte, as Crianças Índigo e Cristal que estão nascendo recebem impulsos estimuladores de Aurora, porque estes seres que chegam à Terra, têm a difícil missão de criar um novo paradigma e consequentemente trazer novos arquétipos à Humanidade Terrestre.
A meta do homem em última instância é retornar à sua origem cósmica, e o trabalho de Aurora procura levá-lo à perfeição interior e conseqüente liberação espiritual para alcançar este mundo cósmico.
Eu diria que o padrão emitido pela Hierarquia deste centro é a famosa citação de Hermes Trismegisto no sentido de que o que está em cima é exatamente igual ao que está em baixo.

O que faz eclodir a manifestação do plano da matéria de qualquer coisa existente no cosmo é sempre uma energia do Primeiro Raio, que contém uma vibração capaz de criar uma centelha primordial onde antes nada parecia existir. Ao Primeiro Raio, também cabe a tarefa de fechamento de ciclos, pois daí também provém a determinação de dissolver formas e liberar a vida nelas contidas. Assim, cabe a esse centro a função de guardião do final de uma etapa evolutiva (e início de outra) do planeta, bem como a tarefa de implantar a cura cósmica na Terra.
Os centros e pessoas que trabalham com cura espiritual e física na Terra estão conectadas à Aurora e, por se tratar de um núcleo energético inovador, gerador de novos impulsos para a humanidade, tendem a ser centros universalistas que usam varias técnicas e crenças, gerando assim uma realidade unificadora.

Foi me passado pelo plano espiritual, que os seres incumbidos das tarefas de resgate planetário e implantação de uma nova realidade, estiveram aqui encarnados em Atlântida, no Egito, na Revolução Francesa e hoje no Brasil (independente de terem tido outras encarnações). É por este motivo que tantos encontros e separações estão se dando neste momento de forma inequívoca e acelerada, como que a unir os músicos de uma orquestra que vai apresentar a Música das Esferas na Terra...

Deixo aqui meu carinho, respeito e gratidão por todos vocês que estão engajados na difícil e bela tarefa de trazer a cura para o nosso planeta, seja qual for a religião ou o método utilizado.

Muita Luz.






fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 27 Jun 2012 - 11:03

Olá amigos,

ótimo texto.

fadinha

"A Kundalini da Terra, regulada por certas ordens de seres uni -
ficados num centro secreto na América do Sul, a norte da chamada
Terra Do Fogo,
tem os seus guerreiros e guardiões, ordens
alquímicas que vigiam a passagem, o contacto, o entendimento
humano em relação a essas forças. Como exemplo, pode referir-se
a inspiração genial de cientistas, artistas e inventores sociais na
altura das suas maiores concretizações, em que contactaram,
ainda que brevemente, a energia Kundalini combinada com a
inteligência da Lux Aeterna.

Esse despertar progressivo da Kundalini terrestre, combinado
com a Luz Eterna da Mãe, levará todo o planeta a uma condição de
cristal
antes que ele ascenda à 7ª dimensão, onde se transfigura
em supermatéria, estruturas cristalinas sublimes, sendo retirado
definitivamente do contínuo espaço-temporal do Universo Criado
– um planeta eternizado.
Actualmente está a ser preparada a transição da Terra da
ter ceira para a quarta dimensão e a transição da consciência
superior humana (os Eus Superiores), da terceira para a
quinta/sexta dimensão.
Um planeta recebe portanto informação sideral que seguedois circuitos:

1) o circuito do Pai, que estimula as Mónadas, o Eu Superior,
o corpo de luz, o nível intuitivo e o Coração;

2) o circuito da Mãe, que atinge o Coração da Terra e que cria
uma percussão cíclica sobre o ressoador central, alterando
a interacção subliminar dos átomos com o continuo espaço-
-temporal, elevando a substância a um padrão cristalino.

O ser humano tem etapas de crescimento definidas e ciclos
muito precisos de emissão de insulina, de corticóides, de
estrogénios, de testosterona, etc... um relógio biológico-glândular
exacto: a fusão de químicos específicos determina resultados
específicos também. Exactamente da mesma maneira, a Terra biogeo-
física foi um bebé que se tornou criança e adolescente... um dia
será adulta.

Quem regula os ciclos da informação galáctica que deve
circular no âmago da matéria é o Coração de Cristal da Mãe, por
isso é chamada “Rainha do Mundo”: simbolicamente o bastão da
Kunda-lini planetária está na Sua mão.


Se o bastão do fogo safira – Sírius – está na mão do Senhor do
Mundo, o bastão vermelho-rubi está na mão da Mãe do Mundo.


É ela quem guarda os ciclos através dos quais nova informação
cósmica final pode ser metabolizada pelas inúmeras malhas que
representam os sustentadores das associações qualitativas a que
nós chamamos Natureza."

parte do texto de André Louro de Almeida

O Centro a que ele se refere é o de Iberah com ramificações no Brasil correspondendo a Ibez que representa realmente a kundalini e tem como regente uma GRANDE SACERDOTISA.

fadinha

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 27 Jun 2012 - 11:21

Vai daí....

unindo um conhecimento ao outro...podemos concluir que a luz do centro da galáxia conectada ao nosso Sol, irá, através do prana, incrementar nossa kundalini? passaremos a incorporar o silício?

fadinha

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qua 7 Nov 2012 - 10:54

Amigos,

palestra do Trigueirinho.

Primeiro ele fala da matéria e antimatéria e da materialização e desmaterialização. Muito interessante.

Depois ele aborda o assunto Serra do Roncador: como o centro Intraterreno de Ibez tem trabalhado para reprogramar nosso Espírito.
Só posso dizer que é verdade.

fadinha

Matéria e Anti-matéria são complementares uma da outra. Toda Matéria tem sua. Anti-matéria, a contraparte em outro Plano, poderíamos compreender melhor os nossos corpos se tivermos conhecimento da Anti-matéria. A Ciência evita o que não pode provar. Por exemplo, o Conde de Saint-Germain utilizava a materialização e desmaterialização normalmente. Padre Pio esteve em vários lugares ao mesmo tempo, hoje existe em Dimensões Supra-Físicas.

AS COISAS DO MUNDO PRECISAM SER CONHECIDAS PARA SEREM AMADAS, MAS AS COISAS DIVINAS PRECISAM SER AMADAS PARA SEREM CONHECIDAS.

Entre as coisas Divinas , uma está acontecendo na Serra do Roncador: na parte Etérica é parte da nova vida que deve emergir; para conhece-la é preciso primeiro, amá-la. Este Centro (Ibez) é um Reservatório de Conhecimento antiquísssimo, ali há um Conhecimento de como se reprograma um Ser para que no futuro ele venha a desenvolver certas capacidades. A Reprogramação é feita no Espírito (Mônada), que é infinitamente mais profundo que a Alma.

A Mônada (Espírito) é o nosso Núcleo de Consciência mais próximo da vida Cósmica.
Em Ibez ( Serra do Roncador) se faz uso, nos Planos invisíveis de alguns Cristais que emitem certos raios. Esses raios se unem e formam um único raio e os cientistas direcionam esse raio para o nosso cérebro (se estivermos abertos para essas coisas) e aí na nossa Mônada vai se instalando um dispositivo que irá se materializando como processo químico e vai se incorporando em nosso corpo, mas precisamos estar sintonizados para sermos Reprogramados. Com essa Reprogramação, podemos receber, com mais facilidade as instruções, as informações Superiores diretas.

O processo de inércia do cérebro pode ser sutilizado através da Reprogramação. Essa Reprogramação é um processo usado por Seres Cósmicos, quando tem que se aproximar de processos de Expansões da Consciência e passa a fazer parte de outras Dimensões da Consciência. Para receber essa Reprogramação temos que nos tornar ativos do ponto-de-vista interno a mente teria que colaborar , o Ser Consciente tem que dar consentimento. Em Ibez, se fazem esses processos de implantações de códigos que os Seres utilizam em momentos de emergência. Sendo Reprogramados podemos ser úteis nesses momentos.

escrito por Ildo Mendonça

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  fadinha em Qui 18 Jul 2013 - 13:49

O Centro do Mundo

Então, estava eu na montanha mais alta de todas, e por toda a volta abaixo de mim estava o arco inteiro do mundo.

E, enquanto eu estava lá, eu vi mais do que eu possa contar e eu compreendi mais do que tenha visto; porque eu estava vendo no espírito a maneira sagrada das formas de todas as coisas, e a forma de todas as formas como elas têm que viver, juntas como um único ser.

E eu digo, o arco sagrado do meu povo era um dos muitos arcos que fazem um círculo, largo como a luz do dia e a luz das estrelas, e no centro cresceu uma pujante árvore florida para abrigar todas as crianças de uma mãe e de um pai.

E eu vi que isso era sagrado...

Mas em qualquer lugar está o centro do mundo.

ALCE-NEGRO - OGLALA SIOUX - 1863-1950

Instituto Imagick


Última edição por fadinha em Sex 6 Set 2013 - 11:55, editado 1 vez(es)

fadinha

Mensagens : 796
Data de inscrição : 03/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: CENTROS PLANETÁRIOS

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum